Feeds:
Posts
Comments

Archive for the ‘Uncategorized’ Category

I would like to continue to speak practically about Corporate Governance. Last week we dealt with the Roman system of communication and I showed you a basic organogram. When the centurion explained this system of communication to Jesus He was amazed and declared that He had not seen anything like it in all of Israel.

We will talk about another major aspect of Corporate Governance that would have amazed Jesus.

We cannot function with abstract philosophies as an organization; whether we are an entity called the church, or a company that is trading in the marketplace.

When we look at corporate governance in a secular environment – governance is established according to pre determined laws, articles and clear objectives by the shareholders. This is what causes an organization to maintain consistency in its passion and purpose; even during a lockdown, the pre determined goals and values are entrenched, not only in the hearts and minds, but also on documentation.

God has always communicated His laws, statutes, ordinances and decrees to His people. Throughout Scripture there is a demand to write down instructions, write down what one sees, a demand to record the words and visions

Exodus 31:18

18 And when He had made an end of speaking with him on Mount Sinai, He gave Moses two tablets of the Testimony, tablets of stone, written with the finger of God.

HADDEBARIM

The Hebrew title of Deuteronomy is Haddebarim, “The Words,” taken from the opening phrase in Deuteronomy 1:1, “These are the words……”

These laws of God that Moses handed over to the new generation are given in oral and written form so that they will endure to all generations.

Deuteronomy completes the five Books of Moses

The Lord instructs John to record his vision :

Revelation 1

10 I was in the Spirit on the Lord’s Day, and I heard behind me a loud voice, as of a trumpet, 11 saying, “I am the Alpha and the Omega, the First and the Last,” and, “What you see, write in a book and send it to the seven churches

The Lord asks His prophet to record His vision

Habakkuk 2:1-2

1 I will stand my watch and set myself on the rampart,

And watch to see what He will say to me, and what I will answer when I am corrected.

2 Then the Lord answered me and said: “Write the vision and make it plain on tablets, that he may run who reads it.

And so the Word of the Lord passed on to believers is the very foundation of our legacy; it is higher than the heavens. The Lord passed His Word to Moses as a legacy to be passed on to Joshua who represented the next generation of leadership. The safety and prosperity of the people of God in any generation is linked to the responsible and faithful transfer of Divine intelligence to that generation.

In this generation we enjoy the added benefit of the ministry of the Holy Spirit who brings us proceeding revelation from the Father.

The prosperity of Joshua and the people of God was promised wherever God would lead them.

The Church is no different, concerning the application of this principle. Our values are extracted from the Word of the Lord. Whether these values excite us or not, they are pre determined for us by the Lord, and therefore we embrace them.

In the secular environment, the documentation of vision, goals, objectives, desired outcomes, operating procedures, non negotiable value systems, code of ethics, grievance procedures, accountability structures are essential for astute governance. This is normal practice in any legitimate corporate environment.

There must be a point of reference.

In the secular commercial sector, these founding documents are variously referred to as “articles of association”, “articles of incorporation”, “memorandum of association”, or here in South Africa it is known as “Memorandum of Incorporation”.

We can conclude that the Church of Jesus Christ also needs to be undergirded and administrated on the earth by the Word of God, the key pillars of our faith must be clearly outlined in our Memorandum of Incorporation.

This morning I would like us to talk about one article that ought to be immortalized in the Memorandum of Incorporation –

Submission within a Family

THE WORD OF GOD MUST DWELL IN US RICHLY

Colossians 3:16-17

16 Let the word of Christ dwell in you richly in all wisdom, teaching and admonishing one another in psalms and hymns and spiritual songs, singing with grace in your hearts to the Lord. 17 And whatever you do in word or deed, do all in the name of the Lord Jesus, giving thanks to God the Father through Him.

Not only in written form but also written on the tablets of our hearts. The Word must live within us.

Colossians 3:18-25

18 Wives, submit to your own husbands, as is fitting in the Lord.

19 Husbands, love your wives and do not be bitter toward them.

20 Children, obey your parents in all things, for this is well pleasing to the Lord.

21 Fathers, do not provoke your children, lest they become discouraged.

22 Bondservants, obey in all things your masters according to the flesh, not with eyeservice, as men-pleasers, but in sincerity of heart, fearing God. 23 And whatever you do, do it heartily, as to the Lord and not to men, 24 knowing that from the Lord you will receive the reward of the inheritance; for you serve the Lord Christ. 25 But he who does wrong will be repaid for what he has done, and there is no partiality.

Let us focus on this one word “submit”

Submit

Greek Word is hupotássō, to place in order; to place under in an orderly fashion

This word clearly implies that although in Christ there is a freedom and equality in spiritual sonship and spiritual inheritance as we see in Galatians, this does not mean, that we are free to violate the Divine order that has been established and predetermined by God for His family

Galatians 3:26-28

26 For you are all sons of God through faith in Christ Jesus. 27 For as many of you as were baptized into Christ have put on Christ. 28 There is neither Jew nor Greek, there is neither slave nor free, there is neither male nor female; for you are all one in Christ Jesus.

Ephesians 5:22-24

22 Wives, submit to your own husbands, as to the Lord. 23 For the husband is head of the wife, as also Christ is head of the church; and He is the Savior of the body. 24 Therefore, just as the church is subject to Christ, so let the wives be to their own husbands in everything.

This order that God has established for His family should not be violated.

The father/husband is the head of the household.

This is the image of Christ being Lord over His Church.

If we understand the symbolism represented here, we will realize that the father’s position as head of his family cannot be usurped or violated.

All transactions with a family is done in consultation with the father of the house. This demonstrates our code of honor to Divine order.

A sovereign God does not need to communicate; we do. This is essential in corporate governance.

If we follow this argument, we can see that it is not possible, in the eyes of God and the scriptures, for any five fold elder or carrier of grace to outrank a father in his own house or family. We need to embrace this reality.

The demand is for for women (church) to submit to their OWN husbands (fathers/elders)

This is just the way it is.

The need for order is not just restricted to the family, it is also extended to every area where submission is required. We need to recognize those who God has called us to submit to.

Galatians 3:26-28

26 For you are all sons of God through faith in Christ Jesus. 27 For as many of you as were baptized into Christ have put on Christ. 28 There is neither Jew nor Greek, there is neither slave nor free, there is neither male nor female; for you are all one in Christ Jesus.

Ephesians 6:5-8

5 Bondservants, be obedient to those who are your masters according to the flesh, with fear and trembling, in sincerity of heart, as to Christ; 6 not with eyeservice, as men-pleasers, but as bondservants of Christ, doing the will of God from the heart, 7 with goodwill doing service, as to the Lord, and not to men, 8 knowing that whatever good anyone does, he will receive the same from the Lord, whether he is a slave or free.

Although Paul would declare equality between the slave and the free concerning their spiritual sonship and inheritance, he does not neglect to inform the Ephesians concerning the need of slaves to submit to their masters.

The apostle Paul instructs believers to submit to the Roman governing authorities. They are there to prevent chaos and anarchy. Submission is not a sign of weakness; it is evidence of an internal code of discipline that recognizes those who have been appointed over us to maintain order and governance. As long as there are individuals who constantly promote rebellion, we will always exist in an environment of perpetual strife and contention.

Romans 13:1-4

1 Let every soul be subject to the governing authorities. For there is no authority except from God, and the authorities that exist are appointed by God. 2 Therefore whoever resists the authority resists the ordinance of God, and those who resist will bring judgment on themselves. 3 For rulers are not a terror to good works, but to evil. Do you want to be unafraid of the authority? Do what is good, and you will have praise from the same. 4 For he is God’s minister to you for good. But if you do evil, be afraid; for he does not bear the sword in vain; for he is God’s minister, an avenger to execute wrath on him who practices evil.

GOVERNANÇA – SUBMISSÃO

(Traduzido por Rafael Nogueira)

 

Eu gostaria de continuar falando praticamente sobre Governança Corporativa. Na semana passada, lidamos com o sistema romano de comunicação e mostrei um organograma básico. Quando o centurião explicou esse sistema de comunicação a Jesus, ficou surpreso e declarou que não havia visto nada parecido em todo o Israel.

 

Falaremos sobre outro aspecto importante da governança corporativa que teria surpreendido Jesus.

 

Não podemos funcionar com filosofias abstratas como organização; se somos uma entidade chamada igreja ou uma empresa que negocia no mercado.

 

Quando analisamos a governança corporativa em um ambiente secular – a governança é estabelecida de acordo com leis, artigos e objetivos claros determinados pelos acionistas. É isso que faz com que uma organização mantenha consistência em sua paixão e propósito; mesmo durante um bloqueio, os objetivos e valores pré-determinados estão enraizadoss, não apenas no coração e na mente, mas também na documentação.

 

Deus sempre comunicou Suas leis, estatutos, ordenanças e decretos ao Seu povo. Em toda a Escritura há uma demanda para escrever instruções, escrever o que se vê, uma demanda para registrar as palavras e visões

 

Êxodo 31:18

 

18 E deu a Moisés, quando acabou de falar com ele no monte Sinai, as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas com o dedo de Deus.

 

HADDEBARIM

 

O título hebraico de Deuteronômio é Haddebarim, “As Palavras”, retirado da frase de abertura em Deuteronômio 1: 1, “Estas são as palavras ……”.

 

Essas leis de Deus que Moisés entregou à nova geração são dadas em forma oral e escrita, para que elas durem por todas as gerações.

 

Deuteronômio completa os cinco Livros de Moisés

 

O Senhor instrui João a registrar sua visão:

 

Apocalipse 1:10-11

 

10 Eu estava no Espírito, no dia do Senhor, e ouvi por trás de mim uma grande voz, como a de uma trombeta, 11 dizendo: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último; e o que tu vês, escreve em um livro, e envia-o às sete igrejas que estão na Ásia; a Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a Filadélfia e a Laodiceia.

 

O Senhor pede que Seu profeta registre Sua visão

 

Habacuque 2: 1-2

 

1 Eu estarei sobre a minha guarda, e me colocarei sobre a torre; vigiarei para ver o que ele falará a mim, e o que eu responderei quando eu for reprovado. 2 Então o  SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e faça-a bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo.

 

E assim a Palavra do Senhor passada aos crentes é o próprio fundamento do nosso legado; é mais alto que os céus. O Senhor transmitiu Sua Palavra a Moisés como um legado a ser transmitido a Josué, que representou a próxima geração de liderança. A segurança e a prosperidade do povo de Deus em qualquer geração estão ligadas à transferência responsável e fiel da inteligência divina para essa geração.

 

Nesta geração, desfrutamos do benefício adicional do ministério do Espírito Santo, que nos traz a revelação contínua do Pai.

 

A prosperidade de Josué e do povo de Deus foi prometida aonde quer que Deus os levasse.

 

A Igreja não é diferente no que diz respeito à aplicação deste princípio. Nossos valores são extraídos da Palavra do Senhor. Se esses valores nos excitam ou não, eles são pré-determinados por nós pelo Senhor e, portanto, nós os abraçamos.

 

No ambiente secular, a documentação da visão, metas, objetivos, resultados desejados, procedimentos operacionais, sistemas de valores não negociáveis, código de ética, procedimentos de queixas e estruturas de prestação de contas são essenciais para a governança astuta. Essa é uma prática normal em qualquer ambiente corporativo legítimo.

 

Deve haver um ponto de referência.

 

No setor comercial secular, esses documentos fundadores são chamados de “artigos de associação”, “artigos de incorporação”, “memorando de associação” ou aqui na África do Sul é conhecido como “Memorando de Incorporação”.

 

Podemos concluir que a Igreja de Jesus Cristo também precisa ser sustentada e administrada na Terra pela Palavra de Deus. Os principais pilares de nossa fé devem ser claramente delineados em nosso Memorando de Incorporação.

 

Hoje de manhã, gostaríamos que falássemos sobre um artigo que deveria ser imortalizado no Memorando de Incorporação –

 

Submissão dentro de uma família

 

A PALAVRA DE DEUS DEVE HABITAR EM NÓS RICAMENTE

 

Colossenses 3: 16-17

 

16 A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais; cantando com graça em vosso coração ao Senhor. 17 E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando graças a Deus Pai por ele.

 

Não apenas na forma escrita, mas também escrita nas tábuas de nossos corações. A Palavra deve viver dentro de nós.

 

Colossenses 3: 18-25

18 Esposas, sede submissas a vosso próprio marido, como convém no Senhor. 19 Maridos, amai as vossas mulheres e não vos irriteis contra elas. 20 Filhos, obedecei a vossos pais em todas as coisas, porque isto é agradável ao Senhor. 21 Pais, não provoqueis os vossos filhos à ira, para que não sejam desencorajados. 22 Servos, obedecei em todas as coisas a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus. 23 E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens, 24 sabendo que do Senhor recebereis a recompensa da herança, porque servis a Cristo, o Senhor. 25 Mas quem faz o errado, recebe pelo erro que fez; e não há acepção de pessoas.

 

Vamos nos concentrar nessa única palavra “submeter”

 

Submeter

 

A palavra grega é hupotássō, para colocar em ordem; colocar sob de forma ordenada

 

Essa palavra implica claramente que, embora em Cristo exista liberdade e igualdade na filiação espiritual e na herança espiritual, como vemos em Gálatas, isso não significa que somos livres para violar a ordem divina que foi estabelecida e predeterminada por Deus para Sua família.

 

Gálatas 3: 26-28

 

26 Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. 27 Todos vós que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo. 28 Já não há judeu nem grego, não há também escravo nem livre, nem homem nem mulher, pois todos vós sois um em Cristo Jesus.

 

Efésios 5: 22-24

 

22 Esposas, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor. 23 Porque o marido é a cabeça da esposa, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. 24 Portanto, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido.

 

Essa ordem que Deus estabeleceu para Sua família não deve ser violada.

 

O pai / marido é o chefe da família.

 

Esta é a imagem de Cristo sendo Senhor sobre Sua Igreja.

 

Se entendermos o simbolismo representado aqui, perceberemos que a posição do pai como chefe de família não pode ser usurpada ou violada.

 

Todas as transações com uma família são feitas em consulta com o pai da casa, incluindo a exposição as várias graças do cinco dons que estão disponíveis para a edificação dos crentes no Corpo de Cristo. Isso demonstra nosso código de honra à ordem divina.

 

Um Deus soberano tem a prerrogativa de se comunicar com Seu povo se e quando Ele escolher; no entanto, para os crentes, a comunicação é uma demanda essencial para o cumprimento dos resultados desejados. Isso é essencial para a governança corporativa.

 

Se seguirmos esse argumento, podemos ver que, aos olhos de Deus e das escrituras, não é possível que nenhuma graça supere o pai em sua própria casa ou família. Precisamos abraçar essa realidade.

 

A demanda é para que as mulheres (igreja) se submetam a seus próprios maridos (pais / anciãos)

É assim que é.

 

A necessidade de pedido não se restringe apenas à família, mas também a todas as áreas em que a submissão é necessária. Precisamos reconhecer aqueles a quem Deus nos chamou para nos submetermos.

 

Gálatas 3: 26-28

 

26 Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. 27 Todos vós que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo. 28 Já não há judeu nem grego, não há também escravo nem livre, nem homem nem mulher, pois todos vós sois um em Cristo Jesus.

 

Efésios 6: 5-8

 

5 Servos, obedecei àqueles que são os vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo; 6 não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo a vontade de Deus de coração; 7 servindo de boa vontade como ao Senhor e não como aos homens; 8 sabendo que toda a boa coisa que cada um fizer, o mesmo ele receberá do Senhor, seja ele servo, seja livre.

 

Embora Paulo declare a igualdade entre o escravo e o livre em relação à filiação e herança espiritual, ele não deixa de informar os efésios sobre a necessidade de os escravos se submeterem a seus senhores.

 

O apóstolo Paulo instrui os crentes a se submeterem às autoridades governamentais romanas. Eles estão lá para evitar o caos e a anarquia. Submissão não é um sinal de fraqueza; é evidência de um código interno de disciplina que reconhece aqueles que foram nomeados sobre nós para manter a ordem e o governo. Enquanto houver indivíduos que promovam constantemente a rebelião, sempre existiremos em um ambiente de contenda e contenda perpétuas.

 

Romanos 13: 1-4

 

1 Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades existentes foram ordenadas por Deus. 2 Por isso, quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem receberão sobre si mesmos a condenação. 3 Porque os governantes não são terror para as boas obras, mas para as más. Tu então não queres temer a autoridade? Faze o que é bom e terás louvor dela. 4 Porque ela é o ministro de Deus para o teu bem. Mas se tu fizeres o que é mau, teme, pois ela não traz a espada em vão; porque é ministro de Deus e vingador para executar a ira contra aquele que pratica o mal.

 

 

Read Full Post »

Last week I shared with you my understanding of the leadership model of Joseph which is an inclusive model. In my notes on the subject, I have cited other cross references to this model.

I said clearly that Joseph told his brothers to bring back Benjamin and his father. If these brothers did not comply, they would be exposed to the ravages of the famine for a further 5 years.

In my notes, I cross referenced to Jesus’ Parable of the Wedding Feast

Jesus is teaching Kingdom principles in Matthew 22

The outcome that the King desired was that his targeted audience would respond affirmatively to his invitation . He says The Kingdom of Heaven is like ….

Matthew 22:1-10

1 And Jesus answered and spoke to them again by parables and said: 2 “The kingdom of heaven is like a certain king who arranged a marriage for his son,

I will use some types and shadows to bring clear emphasis to some key areas in our understanding.

We can interpret this parable in various ways.

Allow me to present my interpretation and understanding of the role players in this parable.

The King is a picture of The Lord our God as the King.

Son here can be interpreted as the image of Israel, the first born Son of God , the corporate Son. Exodus 4 identifies Israel as the first born Son.

Exodus 4:22-23

22 Then you shall say to Pharaoh, ‘Thus says the LORD: “Israel is My son, My firstborn. 23 So I say to you, let My son go that he may serve Me. But if you refuse to let him go, indeed I will kill your son, your firstborn.”

Revelation 19:7

7 Let us be glad and rejoice and give Him glory, for the marriage of the Lamb has come, and His wife has made herself ready.”

True and righteous are His judgments, because He has judged the great harlot who corrupted the earth with her fornication; and He has avenged on her the blood of His servants shed by her.”

MYSTERY, BABYLON THE GREAT, THE MOTHER OF HARLOTS

Babylon was drunk with the blood of the saints and with the blood of the martyrs of Jesus

Come, I will show you the judgment of the great harlot who sits on many waters

The wedding here would represent the covenant that the Lord desires to enter into with His people. There is a great expectation to witness the covenant between Christ and His church (spiritual Israel). This would be an event filled with elaborate festivities, singing and dancing.

All that the invitees were expected to bring to this wedding was the “kimcha” – which means joy in Hebrew

Matthew 22

3 and sent out his servants to call those who were invited to the wedding; and they were not willing to come.

I want to talk this morning about the critical demand for effective and clear communication concerning this life changing, direction changing, iconic, and in many ways crossing the rubicon experience. There would be no turning back.

The ratification of an “abiding, until death and beyond death into time eternal” type of covenant between God and His people. In times of trials and afflictions, and in times of great joy this covenant will stand the test of time.

It is to this celebration, witnessing and ratification that God’s Servants were sent out to announce and communicate to a targeted audience, God’s people. They went out with a specific message. But they failed to achieve the desired outcome in their communication. The Jews, God’s chosen family, rejected the invitation to enter into an abiding relationship with God.

I want to draw your attention to the traditions of some cultures, both Jews and Indian cultures. I want to take you back some 50 years although these practices are still valid today.

The success of the event will be determined by the number of people who attended the wedding

It would be considered an offense if you did not respond to the invitation. The parents would come with an invitation and they will implore you to attend. In the present day we use emails, and the various social platforms to communicate in an instant, an invitation to a select few.

Not so in those days. The invitation applied, without prejudice to the entire family. To have 600-1000 people at a wedding was not uncommon in those days.

Now for this particular case; visualise this. The people of God who represent the bride refuse to show up; she is not willing to enter into a marital covenant with her husband. She wants to prolong her days as a harlot. The very thought of an abiding relationship scares her to death.

4 Again, he sent out other servants, saying, ‘Tell those who are invited, “See, I have prepared my dinner; my oxen and fatted cattle are killed, and all things are ready. Come to the wedding.” ’ 5 But they made light of it and went their ways, one to his own farm, another to his business.

Although the first attempt was unsuccessful, the King sent out out other messengers who communicated more clearly the importance of the event.

The king (picture of the Lord) sends out other servants, probably those who carry great grace, to go out and try to solicit their cooperation by presenting the great menu at the feast. These men go out carrying more details for the feast. They probably were more gifted in communicating specific details and influencing.

Jesus was greatly impacted when He was presented with the Roman communication system by the centurion. He declared :

“I have not found such great faith, not even in Israel!”

It was a very basic system; let me show you on my simple organogram. We cannot send out the town crier for an event like this. Why?

Because it is a targeted audience …. God’s chosen people. There is a DESIRED OUTCOME. Every single person in the family of God must be invited.

The union between God and His people will be publically ratified at this wedding.

Here is the reality of ministry and the act of sending out servants of God. We just need to know that we have done our absolute best in our communication.

The response of the people is not in our hands. The response of the people does not reflect on our leadership ability. There are several secular leadership models today that would teach on how to gather people; sadly, this is not the principal mandate of a man of God, who is committed to representing the heart and mind of the Eternal Father.

If this is the case, then Jesus may be considered a failure as a leader because thousands of people abandoned him; despite all the miracles, signs and wonders, Jesus’ representation of the Father was rejected.

Samuel and all the prophets would be considered failures because God’s people still went into exile.

God had to remind Samuel that the people have not rejected his leadership, they rejected God Himself. This was the accuracy of Samuel’s representation.

I want to encourage all messengers and servants of the Lord today. Let us not question our leadership capabilities when people don’t pursue our righteous instructions. They have rejected God.

They have been distracted by the busyness of their earthly existence.

The King cannot do anything more, except to invite the people. If the people don’t show up

The King is not going to go out and search for them

Joseph’s brothers came to him simply because they had run out of grain. They wanted grain ; but Joseph wanted a family

Matthew 22

6 And the rest seized his servants, treated them spitefully, and killed them.

7 But when the king heard about it, he was furious. And he sent out his armies, destroyed those murderers, and burned up their city.

Those who were not occupied abused the messengers of the king (messengers of the Lord)

They slew the messengers of the Lord. The Lord sent out the Roman armies, to destroy these wicked men, these haters of covenant and He burned down their city.

We must be careful how we receive messengers who are sent by the Lord

Matthew 22

8 Then he said to his servants, ‘The wedding is ready, but those who were invited were not worthy. 9 Therefore go into the highways, and as many as you find, invite to the wedding.’ 10 So those servants went out into the highways and gathered together all whom they found, both bad and good. And the wedding hall was filled with guests.

Rejection of the invitation will render the targeted audience to become unworthy. The wedding has a timeline. The invitation is now sent out to everyone. Clear communication is critically important; lives and cities are depending upon it.

Parábola da festa de casamento

(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

 

Na semana passada, compartilhei com vocês minha compreensão do modelo de liderança de José, que é um modelo inclusivo. Nas minhas notas sobre o assunto, citei outras referências cruzadas para esse modelo.

 

Eu disse claramente que José disse a seus irmãos que trouxessem Benjamin e seu pai. Se esses irmãos não obedecessem, seriam expostos à devastação da fome por mais cinco anos.

 

Nas minhas anotações, faço referência cruzada à Parábola de Jesus da Festa do Casamento

 

Jesus está ensinando os princípios do Reino em Mateus 22

 

O resultado que o rei desejou foi que seu público-alvo respondesse afirmativamente ao seu convite. Ele diz que o Reino dos Céus é como ….

 

Mateus 22: 1 Então Jesus, tomando a palavra, tornou a falar-lhes em parábolas, dizendo: 2 O Reino dos céus é semelhante a um certo rei que celebrou as bodas de seu filho;

 

Usarei alguns tipos e sombras para enfatizar claramente algumas áreas-chave em nosso entendimento.

 

Podemos interpretar essa parábola de várias maneiras.

 

Permitam-me apresentar minha interpretação e entendimento dos atores desta parábola.

 

O rei é uma figura do Senhor nosso Deus como o rei.

 

Filho aqui pode ser interpretado como a imagem de Israel, o primeiro filho de Deus, o Filho corporativo. Êxodo 4 identifica Israel como o primeiro filho nascido.

 

Êxodo 4: 22 Então dirás a Faraó: Assim diz o Senhor: Israel é meu filho, meu primogênito. 23 E eu te tenho dito: Deixa ir o meu filho, para que me sirva; mas tu recusaste deixá-lo ir; eis que eu matarei a teu filho, o teu primogênito.

Apocalipse 19: 7 Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.

 

Verdadeiros e justos são os seus juízos, porque julgou a grande prostituta que corrompeu a terra com sua fornicação; e ele vingou dela o sangue de seus servos derramado por ela. ”

 

MISTÉRIO, BABILÔNIA, A GRANDE MÃE DAS PROSTITUTAS

 

Babilônia estava bêbada com o sangue dos santos e com o sangue dos mártires de Jesus

 

Venha, eu lhe mostrarei o julgamento da grande prostituta que está sentada em muitas águas

O casamento aqui representaria a aliança que o Senhor deseja celebrar com Seu povo. Há uma grande expectativa de testemunhar a aliança entre Cristo e Sua igreja (Israel espiritual). Este seria um evento repleto de festividades elaboradas, cantando e dançando.

 

Tudo o que os convidados deveriam trazer para este casamento era o “kimcha” – que significa alegria em hebraico

 

Mateus 22:3 E enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas, e estes não quiseram vir.

 

Quero falar hoje de manhã sobre a demanda crítica por uma comunicação clara e eficaz sobre essa mudança de vida, mudança de direção, icônica e, de muitas maneiras, atravessando a experiência do Rubicon. Não haveria como voltar atrás.

 

A ratificação de um pacto “permanente, até a morte e além da morte no tempo eterno” entre Deus e Seu povo. Em tempos de provações e aflições, e em tempos de grande alegria, essa aliança resistirá à prova do tempo.

 

É para esta celebração, testemunho e ratificação que os Servos de Deus foram enviados para anunciar e comunicar a um público-alvo, o povo de Deus. Eles saíram com uma mensagem específica. Mas eles não conseguiram alcançar o resultado desejado em sua comunicação. Os judeus, a família escolhida por Deus, rejeitaram o convite para entrar em um relacionamento permanente com Deus.

 

Quero chamar sua atenção para as tradições de algumas culturas, tanto judeus quanto indianas. Quero levá-lo de volta cerca de 50 anos, embora essas práticas ainda sejam válidas hoje.

 

O sucesso do evento será determinado pelo número de pessoas que compareceram ao casamento

 

Seria considerado uma ofensa se você não respondesse ao convite. Os pais viriam com um convite e eles implorariam que você comparecesse. Atualmente, usamos e-mails e as várias plataformas sociais para comunicar em um instante, um convite para alguns selecionados.

 

Não é assim naqueles dias. O convite foi aplicado, sem prejuízo de toda a família. Ter 600-1000 pessoas em um casamento não era incomum naqueles dias.

 

Agora, para este caso em particular; visualize isso. O povo de Deus que representa a noiva se recusa a aparecer; ela não está disposta a fazer um pacto conjugal com o marido. Ela quer prolongar seus dias como prostituta. O próprio pensamento de um relacionamento permanente a assusta até a morte.

 

Mateus 22:4 Depois, enviou outros servos, dizendo: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado, os meus bois e cevados já mortos, e tudo já pronto; vinde às bodas. 5 Eles, porém, não fazendo caso, foram, um para o seu campo, outro para o seu negócio;

Embora a primeira tentativa não tenha sido bem-sucedida, o rei enviou outros mensageiros que comunicaram mais claramente a importância do evento.

 

O rei (figura do Senhor) envia outros servos, provavelmente aqueles que carregam grande graça, para sair e tentar solicitar sua cooperação apresentando o grande cardápio na festa. Esses homens saem carregando mais detalhes para o banquete. Eles provavelmente foram mais talentosos em comunicar detalhes específicos e influenciar.

 

Jesus teve um grande impacto quando recebeu o centurião o sistema de comunicação romano. Ele declarou :

 

“Não encontrei tanta fé, nem mesmo em Israel!”

 

Era um sistema muito básico; deixe-me mostrar-lhe no meu organograma simples. Não podemos enviar o guia da cidade para um evento como esse. Por quê?

 

Porque é um público-alvo… Povo escolhido de Deus. Existe um resultado desejado. Toda pessoa na família de Deus deve ser convidada.

 

A união entre Deus e Seu povo será ratificada publicamente neste casamento.

 

Aqui está a realidade do ministério e o ato de enviar servos de Deus. Só precisamos saber que fizemos o melhor possível em nossa comunicação.

 

A resposta do povo não está em nossas mãos. A resposta do povo não reflete em nossa capacidade de liderança. Atualmente, existem vários modelos de liderança secular que ensinariam como reunir pessoas; infelizmente, esse não é o principal mandato de um homem de Deus, comprometido em representar o coração e a mente do Pai Eterno.

 

Se for esse o caso, então Jesus pode ser considerado um fracasso como líder, porque milhares de pessoas o abandonaram; apesar de todos os milagres, sinais e maravilhas, a representação de Jesus do Pai foi rejeitada.

 

Samuel e todos os profetas seriam considerados fracassos porque o povo de Deus ainda se exilou.

 

Deus teve que lembrar a Samuel que o povo não rejeitou sua liderança, eles rejeitaram o próprio Deus. Essa foi a precisão da representação de Samuel.

 

Quero incentivar todos os mensageiros e servos do Senhor hoje. Não questionemos nossas capacidades de liderança quando as pessoas não seguem nossas instruções justas. Eles rejeitaram a Deus.

 

Eles foram distraídos pela ocupação de sua existência terrena.

 

O rei não pode fazer mais nada, exceto convidar o povo. Se as pessoas não aparecerem

 

O rei não vai sair e procurá-los

 

Os irmãos de José vieram até ele simplesmente porque estavam sem grãos. Eles queriam grãos; mas José queria uma família.

 

Mateus 22:6 E os outros, apoderando-se dos servos, os ultrajaram e mataram. 7 E o rei, tendo notícia disto, encolerizou-se e, enviando os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade.

Os que não estavam ocupados abusaram dos mensageiros do rei (mensageiros do Senhor)

 

Eles mataram os mensageiros do Senhor. O Senhor enviou os exércitos romanos, para destruir esses homens maus, esses odiadores da aliança e queimou a cidade deles.

 

Devemos tomar cuidado ao receber mensageiros que são enviados pelo Senhor

 

Mateus 22:8 Então diz aos servos: As bodas, na verdade, estão preparadas, mas os convidados não eram dignos. 9 Ide, pois, às saídas dos caminhos, e convidai para as bodas a todos os que encontrardes. 10 E os servos, saindo pelos caminhos, ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons; e a festa nupcial foi cheia de convidados.

A rejeição do convite tornará o público-alvo indigno. O casamento tem uma linha do tempo. O convite agora é enviado a todos. A comunicação clara é extremamente importante; vidas e cidades dependem disso.

Read Full Post »

This morning I would like to share from the book of Hosea who prophesied just before the impending captivity of the people of God.

For the time we have at our disposal today I would like to share a few thoughts with you.

Hosea is one of the clearest types of Christ in the scriptures. God uses His prophet to openly reveal the great disappointment in heart of God concerning His people.

It would appear to me that God had exhausted all His conventional methods of engaging His people. God raised some of the most profound prophetic voices to call His people back to Him, voices like Isaiah, Jeremiah, Elijah, Elisha, Samuel, Ezekiel, Malachi; these are those who were exact representatives of the mind and heart of God. They spoke as oracles of God.

God released His finest articulators and teachers of His Word. Yet God’s people would remain embedded and ensconced in their idolatrous ways; having lost all notion of discerning right from wrong.

It is as if, the servants of God are all preached out, they have poured themselves out like drink offerings into the lives of God’s people; yet the people of God appear to be oblivious to the reality that they have estranged themselves from God.

If creation, at that point in time, had an expectation for the emergence of sons of God, it was not going to happen in that point in Israel’s journey with God.

Now we see God use Hosea in a completely different way. His own life would be translated to become the very experience of God in the presence and in the face of His people; like a mobile billboard.

His life would become a living, practical expression of all the exasperation that is in the heart of God.

The book of Hosea is full of graphic metaphors and symbolism. There is an overarching spirit of love demonstrated by a God who is intent on keeping His covenant with a people who think nothing of breaking covenants.

GOD’S COVENANT WITH HIS PEOPLE

Let us examine a few scriptures that reveal the heart of God concerning His covenant with His people. God is betrothed to His people. We are His people and He is our God.

Exodus 19:4 You have seen what I did to the Egyptians, and how I bore you on eagles’ wings and brought you to Myself. 5 Now therefore, if you will indeed obey My voice and keep My covenant, then you shall be a special treasure to Me above all people; for all the earth is Mine. 6 And you shall be to Me a kingdom of priests and a holy nation.’ These are the words which you shall speak to the children of Israel.”

The reward for keeping this covenant is this : “You shall be a special treasure to Me above all people”. This covenant is conditional – “if you will indeed obey My voice and keep My covenant”

Israel had just emerged victorious against the Amalekites. It is a good time for God to talk about keeping covenant. God had just demonstrated what a powerful ally He is concerning the safety and security of His people ; Aaron and Hur lifted up the hands of Moses and Israel experienced victory. This creates the imagery of “all things working together” for the good of the people of God.

Isaiah 54:5 For your Maker is your husband, the LORD of hosts is His name; And your Redeemer is the Holy One of Israel; He is called the God of the whole earth.

Jeremiah 3:14 “Return, O backsliding children,” says the LORD; “for I am married to you. I will take you, one from a city and two from a family, and I will bring you to Zion.

Revelation 19:7 Let us be glad and rejoice and give Him glory, for the marriage of the Lamb has come, and His wife has made herself ready.”

God would regularly speak with His people concerning His covenant and His protection and care over them, sadly, they would regularly violate their covenants.

With this in mind, let us take a look at Hosea 1:2

Hosea 1:2 When the LORD began to speak by Hosea, the LORD said to Hosea: “Go, take yourself a wife of harlotry and children of harlotry, For the land has committed great harlotry by departing from the LORD.” 3 So he went and took Gomer the daughter of Diblaim, and she conceived and bore him a son.

This must have come as a shock to Hosea and his family; my research informs me that he came from a solid family upbringing, from the higher echelons of society.

Yet God would choose him to represent His love and care for a people not deserving of love or mercy. This is the definition of grace. The instruction is to take a harlot to be his wife.

He must love her; teach her to become faithful; have a family with her; restore her dignity; redeem her status in society. Be an exact representation of God’s love and care for her well being. Not only was Hosea commissioned to take a wife of harlotry, he was also told about the children of harlotry.

Hosea must prepare himself, mentally and spiritually, for this unique experience. He, as a representative of God, must remain “Faithful and True” whilst being married to an unfaithful wife. He must experience the daily frustration of seeing his wife (the people of God) continuing with her harlotry. Hosea will never know if he is the true father of his children. His frustration and deep pain exactly represents the frustration and pain in the heart of God.

This was Hosea’s assignment. Hosea cannot legislate or enforce love. All he had to do was to continue to love as he had been commanded.

God will judge His people on their insistence on being unfaithful and rebellious. His mandate is to marry this unfaithful woman. This is the expression of the love of the Father.

2 Corinthians 5:21 For he hath made him to be sin for us, who knew no sin; that we might be made the righteousness of God in him.

As I said, the finest teaching and preaching, the greatest acts of personal sacrifice, could not bring His people to the place of obedience. We are experiencing open defiance to His Word in many places.

The offer of love was made; This is all Hosea was expected to do; be a type of the sacrificial lamb of God; God wants Hosea to experience exactly what He was experiencing.

Refusal to accept the grace of God will send His people into Babylonian exile – a place of outer spiritual darkness. Israel, the backslidden harlot must know how to respond to this love; to restore their relationship with God.

Sadly, even in this present day, leaders continue to confront the reality of apostasy that is evident among the people of God.

When the Lord’s people forsake him and worship false gods, their infidelity to Almighty God is described as spiritual adultery. God’s people have forsaken their God and chased after other lovers.

Hosea 2:5 For their mother has played the harlot; She who conceived them has behaved shamefully. For she said, ‘I will go after my lovers, Who give me my bread and my water, My wool and my linen, My oil and my drink.’ 6 “Therefore, behold, I will hedge up your way with thorns, And wall her in, so that she cannot find her paths. 7 She will chase her lovers, But not overtake them; Yes, she will seek them, but not find them. Then she will say, “I will go and return to my first husband, For then it was better for me than now.’

“I will go after my lovers”

• The harlot is not interested in our grace, revelation, knowledge of the scriptures or how anointed we may be – the only thing that moves her is the financial benefit to her; this drives her to seek other lovers.

• When the the ten tribes idolised the calves at Dan and Bethel; when Israel worshipped pagan gods on high mountains and under every green tree, they were seeking other lovers

• Alliances and treaties that Israel made with with the Assyrians, Egyptians and other Gentile nations that were not sanctioned by the Lord and were hostile to the culture and ways of God.

Ezekiel 16:28 You also played the harlot with the Assyrians, because you were insatiable; indeed you played the harlot with them and still were not satisfied. 29 Moreover you multiplied your acts of harlotry as far as the land of the trader, Chaldea; and even then you were not satisfied. 30 “How degenerate is your heart!” says the Lord GOD, “seeing you do all these things, the deeds of a brazen harlot.

• The Jews trusted in being governed by a Roman administration rather than their own kings. When they chose obedience to Caesar, and rejected their Messiah Jesus Christ; this constitutes chasing after other lovers.

The judgement for these atrocious acts of infidelity by the people of God was the Babylonian exile and captivity.

God wants His people to return to their FIRST LOVE, to the One who first loved us.

Hosea 8:8 Israel is swallowed up; Now they are among the Gentiles. Like a vessel in which is no pleasure. 9 For they have gone up to Assyria, Like a wild donkey alone by itself; Ephraim has hired lovers.

A wild donkey is a picture of an animal that refuses to be harnessed to the Lord and His Word. This is the metaphor God uses to describe His people.

GOD’S CONTINUED LOVE FOR HIS PEOPLE

Hosea 11:1 “When Israel was a child, I loved him, And out of Egypt I called My son.

We see a people that started well; who were faithful, but now have gone astray.

THE PROMISE OF THE RESTORATION OF ISRAEL

Hosea 14: 1 O Israel, return to the Lord your God, For you have stumbled because of your iniquity; 2 Take words with you, And return to the Lord. Say to Him, “Take away all iniquity; Receive us graciously, For we will offer the sacrifices of our lips.

THE CONFESSION

3 Assyria shall not save us, We will not ride on horses, Nor will we say anymore to the work of our hands, ‘You are our gods.’ For in You the fatherless finds mercy.” 4 “I will heal their backsliding, I will love them freely, For My anger has turned away from him. 5 I will be like the dew to Israel; He shall grow like the lily, And lengthen his roots like Lebanon. 6 His branches shall spread; His beauty shall be like an olive tree, And his fragrance like Lebanon. 7 Those who dwell under his shadow shall return; They shall be revived like grain, And grow like a vine. Their scent shall be like the wine of Lebanon. 8 “Ephraim shall say, ‘What have I to do anymore with idols?’ I have heard and observed him. I am like a green cypress tree; Your fruit is found in Me.” 9 Who is wise? Let him understand these things. Who is prudent? Let him know them. For the ways of the Lord are right; The righteous walk in them, But transgressors stumble in them.

God is a jealous God. He is jealous over His people to whom He is married. God will not compete for the affection and devotion that is due to Him by His people. We need to declare as His corporate Son …… “Assyria shall not save us”.

Verse 3 says “We will not ride on horses”. The people of God must declare “We will not trust in the horses of Egypt”. Let us join with David and declare :

Psalms 20:7 Some trust in chariots, and some in horses; But we will remember the name of the Lord our God.

Tradução para o português

Oséias – Expressando o Coração de Deus

(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

Nesta manhã, gostaria de compartilhar do livro de Oséias, que profetizou pouco antes do cativeiro iminente do povo de Deus.

Pelo tempo que temos à nossa disposição hoje, gostaria de compartilhar alguns pensamentos com você.

Oséias é um dos tipos mais claros de Cristo nas escrituras. Deus usa Seu profeta para revelar abertamente a grande decepção no coração de Deus em relação ao Seu povo.

Parece-me que Deus esgotou todos os Seus métodos convencionais de envolver Seu povo. Deus levantou algumas das mais profundas vozes proféticas para chamar Seu povo de volta a Ele, vozes como Isaías, Jeremias, Elias, Eliseu, Samuel, Ezequiel, Malaquias; estes são aqueles que foram representantes exatos da mente e do coração de Deus. Eles falavam como oráculos de Deus.

Deus liberou Seus melhores articuladores e professores de Sua Palavra. No entanto, o povo de Deus permaneceria incorporado e abrigado de maneira idólatra; tendo perdido toda a noção de discernir o certo do errado.

É como se todos os servos de Deus tivessem proclamando, derramando-se como ofertas de bebida na vida do povo de Deus; no entanto, o povo de Deus parece alheio à realidade de que se afastou de Deus.

Se a criação, naquele momento, tinha uma expectativa para o surgimento de filhos de Deus, isso não aconteceria naquele momento na jornada de Israel com Deus.

Agora vemos Deus usar Oséias de uma maneira completamente diferente. Sua própria vida seria traduzida para se tornar a própria experiência de Deus na presença e na face de Seu povo; como um outdoor móvel.

Sua vida se tornaria uma expressão viva e prática de toda a exasperação que está no coração de Deus.

 O livro de Oséias está cheio de metáforas gráficas e simbolismo. Existe um espírito abrangente de amor demonstrado por um Deus que tem a intenção de cumprir Sua aliança com um povo que não pensa em romper alianças.

ALIANÇA DE DEUS COM SEU POVO

Vamos examinar algumas escrituras que revelam o coração de Deus a respeito de Sua aliança com Seu povo. Deus está noivo de Seu povo. Nós somos o Seu povo e Ele é o nosso Deus.

Êxodo 19:4 Vistes o que fiz aos egípcios, e como vos carreguei sobre asas de águia, e vos trouxe a mim. 5 Agora, portanto, se realmente obedeceres a minha voz, e guardares o meu pacto, então sereis o meu tesouro peculiar acima de todos os povos, porque toda a terra é minha. 6 E sereis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel.

A recompensa por guardar essa aliança é a seguinte: “Você será um tesouro especial para mim acima de todas as pessoas”. Essa aliança é condicional – “se você realmente obedecer à minha voz e guardar a minha aliança”

Israel acabara de sair vitorioso contra os amalequitas. É um bom momento para Deus falar sobre guardar a aliança. Deus acabara de demonstrar que poderoso aliado Ele é em relação à segurança e proteção de Seu povo; Arão e Hur levantaram as mãos de Moisés e Israel experimentou a vitória. Isso cria a imagem de “todas as coisas trabalhando juntas” para o bem do povo de Deus.

Isaías 54:5 Porque teu Criador é teu marido. O SENHOR dos Exércitos é seu nome, e teu Redentor o Santo de Israel. O Deus de toda a terra será Ele denominado.

Jeremias 3:14 “Voltai, ó filhos que rejeitam”, diz o SENHOR; Porque sou casada contigo. Vou levá-lo, um de uma cidade e dois de uma família, e vou levá-lo para Sião.

Apocalipse 19:7 Alegremo-nos e regozijemo-nos, e demos honra a ele; porque as bodas do Cordeiro chegou, e sua esposa já se preparou.

Deus falava regularmente com Seu povo a respeito de Sua aliança e Sua proteção e cuidado com eles, infelizmente, eles violavam regularmente suas alianças.

Com isso em mente, vamos dar uma olhada em Oséias 1: 2

Oséias 1: 2 O princípio da palavra do SENHOR por meio de Oseias. E o SENHOR disse a Oseias: Vai, toma para ti uma mulher de prostituições, e filhos de prostituições; porque a terra cometeu grande prostituição, afastando-se do SENHOR. 3 Então ele foi e tomou Gômer, filha de Diblaim, e ela concebeu, e lhe deu um filho.

Isso deve ter sido um choque para Oséias e sua família; minha pesquisa me informa que ele veio de uma sólida formação familiar, dos mais altos escalões da sociedade.

No entanto, Deus o escolheria para representar Seu amor e cuidar de um povo que não merece amor ou misericórdia. Esta é a definição de graça. A instrução é levar uma prostituta para ser sua esposa.

Ele deve amá-la; ensine-a a se tornar fiel; ter uma família com ela; restaurar sua dignidade; resgatar seu status na sociedade. Seja uma representação exata do amor de Deus e cuide do bem-estar dela. Oséias não apenas foi contratado para tomar uma esposa da prostituição, mas também foi informado sobre os filhos da prostituição.

Oséias deve se preparar, mental e espiritualmente, para esta experiência única. Ele, como representante de Deus, deve permanecer “fiel e verdadeiro” enquanto estiver casado com uma esposa infiel. Ele deve experimentar a frustração diária de ver sua esposa (o povo de Deus) continuando com sua prostituição. Oséias nunca saberá se ele é o verdadeiro pai de seus filhos. Sua frustração e dor profunda representam exatamente a frustração e a dor no coração de Deus.

Essa foi a tarefa de Oséias. Oséias não pode legislar ou reforçar o amor. Tudo o que ele precisava fazer era continuar a amar como fora ordenado.

Deus julgará Seu povo por insistência em serem infiéis e rebeldes. Seu mandato é casar com essa mulher infiel. Esta é a expressão do amor do pai.

2 Coríntios 5:21 Porque aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós, para que fôssemos feitos justiça de Deus nele.

Como eu disse, os melhores ensinamentos e pregações, os maiores atos de sacrifício pessoal, não podiam levar Seu povo ao lugar da obediência. Estamos experimentando um desafio aberto à Sua Palavra em muitos lugares.

A oferta de amor foi feita; Isto é tudo o que Oséias deveria fazer; seja um tipo do cordeiro sacrificial de Deus; Deus quer que Oséias experimente exatamente o que estava experimentando.

A recusa em aceitar a graça de Deus enviará Seu povo ao exílio na Babilônia – um lugar de escuridão espiritual externa. Israel, a prostituta desviada deve saber como responder a esse amor; restaurar o relacionamento deles com Deus.

Infelizmente, mesmo nos dias atuais, os líderes continuam a confrontar a realidade da apostasia que é evidente entre o povo de Deus.

Quando o povo do Senhor o abandona e adora deuses falsos, sua infidelidade ao Deus Todo Poderoso é descrita como adultério espiritual. O povo de Deus abandonou seu Deus e perseguiu outros amantes.

 

Oséias 2:5 Porque sua mãe se prostituiu; aquela que os concebeu se comportou vergonhosamente, porque ela disse: Irei atrás de meus amantes, que me dão o meu pão e a minha água, a minha lã e o meu linho, o meu óleo e a minha bebida. 6 Portanto, eis que cercarei o teu caminho com espinhos; e farei um muro, para que ela não ache os seus caminhos. 7 Ela irá atrás de seus amantes, mas não os alcançará; ela os buscará, mas não os encontrará; então ela dirá: Irei e retornarei ao meu primeiro marido, porque eu estava melhor do que agora. 

 

“Irei atrás dos meus amantes”

• A prostituta não está interessada em nossa graça, revelação, conhecimento das escrituras ou quão ungidos podemos ser – a única coisa que a move é o benefício financeiro para ela; isso a leva a procurar outros amantes.

• Quando as dez tribos idolatravam os bezerros em Dã e Betel; quando Israel adorava deuses pagãos nas altas montanhas e sob todas as árvores verdes, eles estavam procurando outros amantes.

• Alianças e tratados que Israel fez com os assírios, egípcios e outras nações gentias que não foram sancionadas pelo Senhor e eram hostis à cultura e aos caminhos de Deus.

Ezequiel 16

28 Você se prostituiu também com os assírios, porque era insaciável, e, mesmo depois disso, ainda não ficou satisfeita. 29 Então você aumentou a sua promiscuidade também com a Babilônia, uma terra de comerciantes, mas nem com isso ficou satisfeita.

30 “Como você tem pouca força de vontade, palavra do Soberano, o Senhor, quando você faz todas essas coisas, agindo como uma prostituta descarada!

• Os judeus confiavam em ser governados por uma administração romana, e não por seus próprios reis. Quando eles escolheram obediência a César e rejeitaram o Messias Jesus Cristo; isso constitui perseguir outros amantes.

O julgamento por esses atos atrozes de infidelidade por parte do povo de Deus foi o exílio e cativeiro da Babilônia.

Deus quer que Seu povo retorne ao PRIMEIRO AMOR, àquele que nos amou primeiro.

Oséias 8:8 Israel foi devorado; agora está entre os gentios como um vaso onde não há prazer. 9 Porque subiram à Assíria, como um jumento selvagem, por si só; Efraim contratou amantes. 

Um jumento selvagem é uma figura de um animal que se recusa a ser atrelado ao Senhor e à Sua Palavra. Essa é a metáfora que Deus usa para descrever Seu povo.

 

DEUS CONTINUA  A AMAR O SEU POVO

Oséias 11:1 Quando Israel era criança, eu o amei; e chamei o meu filho para fora do Egito.

Vemos um povo que começou bem; que eram fiéis, mas agora se perderam.

 

A PROMESSA DA RESTAURAÇÃO DE ISRAEL

 

Oséias 14:1-9 

1 Ó Israel, converte-te ao SENHOR teu Deus; porque caíste pela tua iniquidade. 2 Tomai convosco palavras, e converte-te ao SENHOR; diz a ele: Tira toda a iniquidade, e nos receba graciosamente; e ofereceremos os novilhos dos nossos lábios. 

 

A CONFISSÃO

3 A Assíria não nos salvará; não iremos montados em cavalos, e já não diremos mais à obra das nossas mãos: tu és o nosso deus; porque em ti o órfão encontra misericórdia. 4 Eu sararei a sua apostasia, eu os amarei voluntariamente; porque a minha ira se apartou dele. 5 Eu serei como o orvalho para Israel. Ele crescerá como o lírio e lançará as suas raízes como o Líbano. 6 Os seus galhos se estenderão, e a sua beleza será como a da oliveira, e o seu perfume como o do Líbano. 7 Os que habitam debaixo da sua sombra retornarão; serão vivificados como o grão, e crescerão como a videira; a sua fama será como o vinho do Líbano. 8 Efraim dirá: Que mais tenho eu com os ídolos? Eu o tenho ouvido e observado; eu sou como o abeto verde; de mim é achado o teu fruto. 9 Quem é sábio, para que entenda estas coisas? Quem é prudente, para que as saiba? Porque os caminhos do SENHOR são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles cairão. 

 

Deus é um Deus ciumento. Ele tem ciúmes do Seu povo, com quem Ele é casado. Deus não competirá pelo carinho e devoção que Lhe é devido pelo Seu povo. Precisamos declarar como Seu Filho corporativo …… “A Assíria não nos salvará”.

 

O versículo 3 diz: “não iremos montados em cavalos”. O povo de Deus deve declarar “Não confiaremos nos cavalos do Egito”. Vamos nos juntar a David e declarar:

Salmos 20:7 Uns confiam em carruagens e outros em cavalos, mas nós lembraremos do nome do SENHOR nosso Deus.

Read Full Post »

JOSEPH LEADERSHIP MODEL

We are living in a time of uncertainty where people are in need of guidance and assurance on so many fronts. Today my exhortation will be more practical and relevant to some of our own challenges that we would face as a household of faith as well as those households that relate to us.

I would like to examine a few aspects of the leadership model of Joseph in Egypt that is evidenced in his governance. There are many models for leadership in the scriptures, but Christ is revealed so graphically in the life of Joseph.

We will pick up the story when Joseph would reveal himself to his brothers.

Genesis 45:2-5

2 And he wept aloud, and the Egyptians and the house of Pharaoh heard it.

3 Then Joseph said to his brothers, “I am Joseph; does my father still live?” But his brothers could not answer him, for they were dismayed in his presence. 4 And Joseph said to his brothers, “Please come near to me.” So they came near. Then he said: “I am Joseph your brother, whom you sold into Egypt. 5 But now, do not therefore be grieved or angry with yourselves because you sold me here; for God sent me before you to preserve life.

Hebrew Word for “dismayed or troubled”

bāhal: A verb meaning to be dismayed or terrified. It is sometimes used when a sudden threat conveys great fear

(Extracted from CWSB)

At the core and heart of a Joseph company is a desire to preserve life. Although Joseph was the beloved son of Jacob, yet Almighty God would have His own plans for Joseph. Joseph was destined to rule in Egypt under Pharaoh

It reminds us of the Father, sending His only begotten Son, as a His gift to the world, to preserve life. The option to receive this Gift from God rests with the inhabitants of this world.

John 3:16

16 For God so loved the world that He gave His only begotten Son, that whoever believes in Him should not perish but have everlasting life.

Joseph had come to a place where he was established as a ruler in Egypt. Jesus did not have to prove His Sonship; He was the Son of God before He came to the earth; before the earth and the heavens were formed and created, Jesus was always there.

Jesus existed before Abraham. This was a source of great contention with the Jews.

John 8

58 Jesus said to them, “Most assuredly, I say to you, before Abraham was, I AM.”

Joseph did not need to do anything further to enhance his career. God had brought Joseph to his destiny.

Joseph was secure, abiding in the saving grace and favor of the Father; he has been well trained in Egypt; he knows how to deal with Egyptian challenges

All these years, in a strange land, amongst foreigners, in the midst of a strange culture, away from his family, not hearing the voice of his father, yet God, the Eternal Father by His grace and favor brought Joseph into a place of influence

There is a prevailing anointing on Joseph to preserve life

It is this anointing that overwhelms his need to avenge his brothers.

Joseph could not help himself. He is anointed to preserve life; not to position anyone harm’s way. It is the expression and manifestation of the nature of Christ towards those who would receive Him.

2 Peter 3:9

9 The Lord is not slack concerning His promise, as some count slackness, but is longsuffering toward us, not willing that any should perish but that all should come to repentance.

The first question from Joseph concerns his father.

The Joseph anointing seeks to restore the whole family.

“Is my father still alive?”

The fellowship of the family cannot be restored by excluding the father.

Therefore, before the great cry of Joseph is heard throughout the palace, there are things that need to fall into place that would attract the blessings of the Lord concerning the table of reconciliation.

Joseph set up a table for truth and reconciliation for his family

His family needed to be orientated and informed about the ways of the Egyptians

Joseph’s family needs to know that every shepherd is an abomination to the Egyptians.

It is imperative that remnant of God’s people, this first fruit company of promise, understand that

When we exclude the grace of Joseph at our table, we exclude this vital piece of information. They need to know that Egyptians and Hebrews could not eat together.

Daniel 2:43

43 As you saw iron mixed with ceramic clay, they will mingle with the seed of men; but they will not adhere to one another, just as iron does not mix with clay.

1 John 2:15-17

15 Do not love the world or the things in the world. If anyone loves the world, the love of the Father is not in him. 16 For all that is in the world—the lust of the flesh, the lust of the eyes, and the pride of life—is not of the Father but is of the world. 17 And the world is passing away, and the lust of it; but he who does the will of God abides forever.

That both cultures need a Christ who is able to destroy the middle wall of partisanship, making both one. This ancient offer is still available today.

Ephesians 2:13

13 But now in Christ Jesus you who once were far off have been brought near by the blood of Christ.

As we celebrate fathers this morning, we recognize a deep desire in the heart of fathers is for a family that is united around God and His Word.

A legitimate Joseph leadership would set up this table that is inclusive but it is not enforced nor legislated; the invitation for the family to be reconciled in a foreign environment has been extended; if any of Joseph’s brothers resist the invitation, there would have to endure another 5 years of famine that still remains.

Matthew 22:2-7

2 “The kingdom of heaven is like a certain king who arranged a marriage for his son, 3 and sent out his servants to call those who were invited to the wedding; and they were not willing to come. 4 Again, he sent out other servants, saying, ‘Tell those who are invited, “See, I have prepared my dinner; my oxen and fatted cattle are killed, and all things are ready. Come to the wedding.” ’ 5 But they made light of it and went their ways, one to his own farm, another to his business. 6 And the rest seized his servants, treated them spitefully, and killed them. 7 But when the king heard about it, he was furious. And he sent out his armies, destroyed those murderers, and burned up their city.

In this parable Jesus explains this principle, in the parable where the king extends the invitation to his guests. There is a real expectation that the first invitees (Jews) would respond to the invitation. By rejecting the invitation, Jesus explains that we incur the judgement and the wrath of the king. Cities will be destroyed, the murder of the Lord’s servants will be avenged. Let us not lose our seat at the banquet. Respond while there is still time.

The 12 sons of Jacob would eventually constitute the 12 tribes of Israel. The Body of Christ is the spiritual Israel of God. We understand all of this.

This model of reconciliation between Joseph and his brothers can be applied to all levels of construction :

1. Household of faith

2. Family of households

3. Body of Christ

This leadership model exudes the nature of Christ

The cry that was heard in the palace of Pharaoh represents the pent up emotion of years of separation from his father and his brothers. Until this cry is heard throughout the palace, the spirit of disunity and fragmentation will always exist. The cry is the sound of the trumpet announcing the gathering of

all the sons of Jacob.

Go and bring the father, go and bring Benjamin, invite all the sons to sit at the table. Joseph is not one man in this season, he represents a company of men who exude the features of the Joseph anointing; this anointing will not desire that any son should perish.

Although Jacob may remember the unfaithfulness of Reuben in defiling the bed with his concubine, the Joseph model does not prejudice Reuben in any way; he will have his place at the table. In fact some Jewish historians state that Reuben was one of the 5 sons chosen by Joseph to be presented before Pharaoh. Joseph sees no man after the flesh.

Joseph represents an “inclusive style of leadership and governance” that brings the sons to be seated at the table. This is at the heart and core of the Joseph anointing.

This attitude and mindset will bring us the promises that the grace of Joseph would release. Remember there are 5 years of famine left. Instead of perishing in this famine, households and families must come together; sibling rivalries and fragmentation must be dealt with decisively at the table with a spiritual father.Jacob and Benjamin must be invited to sit at the same table as Joseph and the others.

We cannot escape this moment. We cannot put a secular spin on this . The sound of the cry of Joseph must be heard throughout the palace until it gets to the ears of Pharaoh.

Genesis 45:6-15

6 For these two years the famine has been in the land, and there are still five years in which there will be neither plowing nor harvesting. 7 And God sent me before you to preserve a posterity for you in the earth, and to save your lives by a great deliverance. 8 So now it was not you who sent me here, but God; and He has made me a father to Pharaoh, and lord of all his house, and a ruler throughout all the land of Egypt.

9 “Hurry and go up to my father, and say to him, ‘Thus says your son Joseph: “God has made me lord of all Egypt; come down to me, do not tarry. 10 You shall dwell in the land of Goshen, and you shall be near to me, you and your children, your children’s children, your flocks and your herds, and all that you have. 11 There I will provide for you, lest you and your household, and all that you have, come to poverty; for there are still five years of famine.” ’

12 “And behold, your eyes and the eyes of my brother Benjamin see that it is my mouth that speaks to you. 13 So you shall tell my father of all my glory in Egypt, and of all that you have seen; and you shall hurry and bring my father down here.”

14 Then he fell on his brother Benjamin’s neck and wept, and Benjamin wept on his neck. 15 Moreover he kissed all his brothers and wept over them, and after that his brothers talked with him.

Verse 7 declares that it was God who sent Joseph into Egypt, not Jacob, not his brothers, not his friends…… but God. Jacob sent Joseph to check on his brothers in the field, but God had other plans for Joseph. The will of God will always prevail.

We don’t have to function on “survival mode” for the next five years as a family.

THE JOSEPH COMPANY DESIRES PROXIMITY

You shall dwell in the land of Goshen, and you shall be near to me, you and your children, your children’s children, your flocks and your herds, and all that you have.

There is protection conferred upon Joseph’s family within a legitimate Joseph administration.

MODELO DE LIDERANÇA DE JOSÉ

(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

 

Vivemos um tempo de incerteza em que as pessoas precisam de orientação e garantia em tantas frentes. Hoje, minha exortação será mais prática e relevante para alguns de nossos próprios desafios que enfrentaríamos como família de fé, bem como para as famílias que se relacionam conosco.

 

Eu gostaria de examinar alguns aspectos do modelo de liderança de José no Egito que são evidenciados em seu governo. Existem muitos modelos de liderança nas escrituras, mas Cristo é revelado tão graficamente na vida de José.

 

Contaremos a história em que José se revelaria a seus irmãos.

 

Gênesis 45:2-5

2 E ele chorou em voz alta, e os egípcios e a casa de Faraó ouviu. 3 E José disse a seus irmãos: Eu sou José; acaso ainda vive o meu pai? E seus irmãos não lhe puderam responder, pois eles estavam conturbados com a sua presença. 4 E José disse a seus irmãos: Aproximai-vos de mim, rogo-vos. E eles se aproximaram. E ele disse: Eu sou José, vosso irmão, a quem vendestes ao Egito. 5 Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos ireis convosco mesmos, por terdes me vendido para cá; pois Deus me enviou adiante de vós para preservar a vida.

 

Palavra hebraica para “consternado ou perturbado”

 

bāhal: Um verbo que significa estar consternado ou aterrorizado. Às vezes é usado quando uma súbita ameaça transmite grande medo

(Extraído do CWSB)

 

No centro e no coração de uma companhia de José, há um desejo de preservar a vida. Embora José fosse o filho amado de Jacó, Deus Todo Poderoso teria Seus próprios planos para José. José estava destinado a governar o Egito sob o faraó.

 

Isso nos lembra o Pai, enviando Seu Filho unigênito, como um presente para o mundo, para preservar a vida. A opção de receber esse presente de Deus é dos habitantes deste mundo.

 

João 3

16 Porque Deus amou tanto ao mundo que ele deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

 

José havia chegado a um lugar onde foi estabelecido como governante no Egito. Jesus não teve que provar Sua filiação; Ele era o Filho de Deus antes de vir à terra; antes que a terra e os céus fossem formados e criados, Jesus estava sempre lá.

Jesus existia antes de Abraão. Esta foi uma fonte de grande disputa com os judeus.

 

João 8:58

Disse-lhes Jesus: Na verdade, na verdade eu vos digo: Antes que Abraão existisse, EU SOU.”

José não precisou fazer mais nada para melhorar sua carreira. Deus trouxe José ao seu destino.

José estava seguro, permanecendo na graça salvadora e no favor do Pai; ele foi bem treinado no Egito; ele sabe como lidar com os desafios egípcios

Todos esses anos, em uma terra estranha, entre estrangeiros, no meio de uma cultura estranha, longe de sua família, sem ouvir a voz de seu pai, mas Deus, o Pai Eterno, por Sua graça e favor, levou José a um lugar de influência.

Há uma unção predominante em José para preservar a vida.

É essa unção que supera sua necessidade de vingar seus irmãos.

José não pôde evitar. Ele é ungido para preservar a vida; para não posicionar o caminho de ninguém. É a expressão e manifestação da natureza de Cristo para com aqueles que O receberiam.

2 Pedro 3:9 O Senhor não é tardio a respeito de sua promessa, ainda que alguns homens a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que nenhum se perca, senão que todos cheguem ao arrependimento.

A primeira pergunta de José diz respeito ao pai.

A unção de José procura restaurar toda a família.

 “acaso ainda vive o meu pai?“

A comunhão da família não pode ser restaurada excluindo o pai.

Portanto, antes que o grande clamor de José seja ouvido em todo o palácio, há coisas que precisam se encaixar para atrair as bênçãos do Senhor a respeito da mesa da reconciliação.

José estabeleceu uma mesa para a verdade e reconciliação para sua família

Sua família precisava ser orientada e informada sobre os caminhos dos egípcios

A família de José precisa saber que todo pastor é uma abominação para os egípcios.

É imperativo que o restante do povo de Deus, essa companhia de primeiros frutos da promessa, entenda que:

Quando excluímos a graça de José em nossa mesa, excluímos essa informação vital. Eles precisam saber que egípcios e hebreus não podiam comer juntos.

Daniel 2:43 E enquanto tu viste ferro misturado com barro lamacento, eles irão se misturar à semente de homens; porém eles não se apegarão um ao outro, assim como o ferro não se mistura ao barro.

1 João 2:15 Não ameis o mundo, e nem as coisas que estão no mundo. Se algum homem ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 16 Porque tudo o que está no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e o orgulho da vida, não é do Pai, mas do mundo. 17 E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

Que ambas as culturas precisam de um Cristo capaz de destruir o muro do meio do partidarismo, tornando ambos um. Esta oferta antiga ainda está disponível hoje.

 

Efésios 2:13 Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, chegastes perto pelo sangue de Cristo.

Ao celebrarmos os pais nesta manhã, reconhecemos que um profundo desejo no coração dos pais é por uma família unida em torno de Deus e de Sua Palavra.

Uma liderança legítima de José estabeleceria essa mesa que é inclusiva, mas não é aplicada nem legislada; o convite para a família ser reconciliada em um ambiente estrangeiro foi estendido; se algum dos irmãos de José resistir ao convite, teria que suportar outros 5 anos de fome que ainda permanecem.

 

Mateus 22: 2 O reino do céu é semelhante a um certo rei, que fez as bodas de seu filho, 3 e enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas, e estes não quiseram vir. 4 Mais uma vez, ele enviou outros servos, dizendo: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado, os meus bois e meus cevados estão mortos, e todas as coisas estão prontas; vinde às bodas. 5 Mas eles, fazendo pouco caso, seguiram os seus caminhos, um para sua fazenda, outro para o seu negócio. 6 E os outros, tomaram os seus servos, os maltrataram e mataram. 7 Mas, ouvindo disso o rei, irou-se, e enviando os seus exércitos, destruiu aqueles assassinos, e incendiou a sua cidade.

Nesta parábola, Jesus explica esse princípio, na parábola em que o rei faz o convite a seus convidados. Há uma expectativa real de que os primeiros convidados (judeus) respondam ao convite. Ao rejeitar o convite, Jesus explica que incorremos no julgamento e na ira do rei. As cidades serão destruídas, o assassinato dos servos do Senhor será vingado. Não vamos perder nosso lugar no banquete. Responda enquanto ainda houver tempo.

Os 12 filhos de Jacó acabariam por constituir as 12 tribos de Israel. O Corpo de Cristo é o Israel espiritual de Deus. Nós entendemos tudo isso.

Este modelo de reconciliação entre José e seus irmãos pode ser aplicado a todos os níveis de construção:

1. Casa da fé

2. Domicílios familiares

3. Corpo de Cristo

Esse modelo de liderança exala a natureza de Cristo. O grito que foi ouvido no palácio do Faraó representa a emoção reprimida de anos de separação de seu pai e de seus irmãos. Até que este grito seja ouvido em todo o palácio, o espírito de desunião e fragmentação sempre existirá. O clamor é o som da trombeta anunciando a reunião de todos os filhos de Jacó.

Vá e traga o pai, vá e traga Benjamin, convide todos os filhos para se sentarem à mesa. José não é um homem nesta temporada, ele representa uma companhia de homens que exalam as características da unção de José; essa unção não desejará que nenhum filho pereça.

Embora Jacó se lembre da infidelidade de Rúben em sujar a cama com sua concubina, o modelo de José não prejudica Rúben de forma alguma; ele terá seu lugar à mesa. De fato, alguns historiadores judeus afirmam que Rúben foi um dos 5 filhos escolhidos por José para serem apresentados diante do faraó. José não vê homem segundo a carne.

 José representa um “estilo inclusivo de liderança e governança” que leva os filhos a se sentarem à mesa. Este é o cerne da essência da unção de José.

Essa atitude e mentalidade nos trarão as promessas que a graça de José lançaria. Lembre-se de que restam 5 anos de fome. Em vez de perecer nesta fome, as famílias e as famílias devem se unir; rivalidades e fragmentação entre irmãos devem ser tratadas decisivamente à mesa com um pai espiritual. Jacó e Benjamim devem ser convidados a sentar à mesma mesa que José e os outros.

Não podemos escapar deste momento. Não podemos dar uma guinada secular nisso. O som do clamor de José deve ser ouvido em todo o palácio até chegar aos ouvidos do faraó.

 

Gênesis 45: 6-15

6 Por estes dois anos a fome esteve na terra; e ainda há cinco anos nos quais não haverá cultivo nem colheita. 7 E Deus me enviou adiante de vós para preservar para vós uma posteridade na terra, e para salvar as vossas vidas com grande livramento. 8 Então, agora, não fostes vós que me enviastes aqui, mas Deus. E ele me fez pai de Faraó, e senhor sobre toda a sua casa, e governador de toda a terra do Egito. 9 Apressai-vos e subi a meu pai, e dizei-lhe: Assim diz teu filho José: Deus me fez senhor de todo o Egito. Desce até mim, e não te demores, 10 e tu habitará na terra de Gósen, e estarás perto de mim, tu, e teus filhos, e os filhos de teus filhos, e teus rebanhos, e teu gado, e tudo que tens. 11 E ali eu te sustentarei, pois ainda há cinco anos de fome, para que tu e tua casa e tudo que tens não vades à pobreza. 12 E eis que vossos olhos veem, e os olhos de meu irmão Benjamim, que é minha boca que está falando convosco. 13 E contareis a meu pai de toda a minha glória no Egito, e de tudo o que tendes visto; apressar-vos eis, e trareis meu pai para cá. 14 E ele caiu sobre o pescoço de seu irmão Benjamim, e chorou, e Benjamim chorou sobre o pescoço dele. 15 Além disso, ele beijou todos os seus irmãos, e chorou sobre eles. E depois disso, seus irmãos falaram com ele.

O versículo 7 declara que foi Deus quem enviou José ao Egito, não Jacó, nem seus irmãos, nem seus amigos … mas Deus. Jacó enviou José para verificar seus irmãos no campo, mas Deus tinha outros planos para José. A vontade de Deus sempre prevalecerá.

Não precisamos trabalhar no “modo de sobrevivência” pelos próximos cinco anos em família.

A COMPANHIA DE JOSÉ DESEJA PROXIMIDADE

Você habitará na terra de Gósen e estará perto de mim, você e seus filhos, filhos de seus filhos, seus rebanhos e suas manadas, e tudo o que você tem.

Há proteção conferida à família de José dentro de uma administração legítima de José.

Read Full Post »

I would like us to talk about the how God would speak through His prophets and His servants to warn His people concerning His judgements

The judgements of God do not come as a surprise to believers who are familiar with the ways of God and His Word.

We will examine the scriptures where God is speaking through His prophet Jeremiah concerning His intention to send His people into Babylonian captivity.

Jeremiah 25

1 The word that came to Jeremiah concerning all the people of Judah, in the fourth year of Jehoiakim the son of Josiah, king of Judah (which was the first year of Nebuchadnezzar king of Babylon), 2 which Jeremiah the prophet spoke to all the people of Judah and to all the inhabitants of Jerusalem, saying: 3 “From the thirteenth year of Josiah the son of Amon, king of Judah, even to this day, this is the twenty-third year in which the word of the LORD has come to me; and I have spoken to you, rising early and speaking, but you have not listened.

4 And the LORD has sent to you all His servants the prophets, rising early and sending them, but you have not listened nor inclined your ear to hear. 5 They said, Repent now everyone of his evil way and his evil doings, and dwell in the land that the LORD has given to you and your fathers forever and ever. 6 Do not go after other gods to serve them and worship them, and do not provoke Me to anger with the works of your hands; and I will not harm you.’ 7 Yet you have not listened to Me,” says the LORD, “that you might provoke Me to anger with the works of your hands to your own hurt.

8 “Therefore thus says the LORD of hosts: ‘Because you have not heard My words, 9 behold, I will send and take all the families of the north,’ says the LORD, ‘and Nebuchadnezzar the king of Babylon, My servant, and will bring them against this land, against its inhabitants, and against these nations all around, and will utterly destroy them, and make them an astonishment, a hissing, and perpetual desolations. 10 Moreover I will take from them the voice of mirth and the voice of gladness, the voice of the bridegroom and the voice of the bride, the sound of the millstones and the light of the lamp. 11 And this whole land shall be a desolation and an astonishment, and these nations shall serve the king of Babylon seventy years.

God is lamenting the fact that His people have not responded to His Word after Jeremiah prophesied to them for all these years. Although God had sent many of His servants to warn the people about going after other Gods they did not listen. They remained obstinate and hard hearted, not receiving the words of the One Sent by the Lord.

The captivity in Babylon, was not a random, impulsive act of God.

He demonstrated the spirit of long suffering as He lamented the gross violations of His people, in the hope that they would come to their senses.

They knew that God is slow to anger, but His people succeeded in testing His flash point.

If we thought that this spiritual condition of God’s people was restricted to the era of the Old Testament, we would be mistaken. We see Jesus experiencing the same rejection and hostility from His own people.

Matthew 23:31-37

31 “Therefore you are witnesses against yourselves that you are sons of those who murdered the prophets. 32 Fill up, then, the measure of your fathers’ guilt. 33 Serpents, brood of vipers! How can you escape the condemnation of hell? 34 Therefore, indeed, I send you prophets, wise men, and scribes: some of them you will kill and crucify, and some of them you will scourge in your synagogues and persecute from city to city, 35 that on you may come all the righteous blood shed on the earth, from the blood of righteous Abel to the blood of Zechariah, son of Berechiah, whom you murdered between the temple and the altar. 36 Assuredly, I say to you, all these things will come upon this generation.

37 “O Jerusalem, Jerusalem, the one who kills the prophets and stones those who are sent to her! How often I wanted to gather your children together, as a hen gathers her chicks under her wings, but you were not willing!

Jesus prophesies the destruction of the Temple

Matthew 24:1-2

1 Then Jesus went out and departed from the temple, and His disciples came up to show Him the buildings of the temple. 2 And Jesus said to them, “Do you not see all these things? Assuredly, I say to you, not one stone shall be left here upon another, that shall not be thrown down.”

Jesus refers to a period of time known as the “Beginning of Sorrows”

Matthew 24:12-13

12 And because lawlessness will abound, the love of many will grow cold. 13 But he who endures to the end shall be saved.

The challenge for believers is to endure until the end. Our victory is connected to our ability to endure in the midst of apostasy.

THIS IS IMPORTANT FOR US TO KNOW

Jeremiah did not just prophesy the captivity, he also prophesied deliverance and restoration

Jesus did not only talk about His death, He also spoke about His resurrection on the third day

Jesus just did not talk about the a single grain of seed fall to the ground and dying, He also spoke about the emergence of a Harvest

Jesus just did not talk about the destruction of the Temple

Jesus also said “Destroy this temple, and in three days I will raise it up.”

PAUL WRITES HIS FIRST LETTER TO THE BELIEVERS IN CORINTH

HE ADDRESSES THEM AS SAINTS

His address on “Love” in 1 Corinthians 13 is often quoted.

1 Corinthians 13:1

1 Though I speak with the tongues of men and of angels, but have not love, I have become sounding brass or a clanging cymbal.

Paul has fought a good fight, kept the faith, finished the race

But he needed to share important truths with his son Timothy

Just before his death, the same Apostle Paul shared this truth from his vast experience in apostolic ministry. The same Apostle who wrote those immortal verses on the greatest gift of love now warns his son to turn away from all people who display these characteristic features.

2 Timothy 3:1-5

1 But know this, that in the last days perilous times will come: 2 For men will be lovers of themselves, lovers of money, boasters, proud, blasphemers, disobedient to parents, unthankful, unholy, 3 unloving, unforgiving, slanderers, without self-control, brutal, despisers of good, 4 traitors, headstrong, haughty, lovers of pleasure rather than lovers of God, 5 having a form of godliness but denying its power. And from such people turn away!

Paul’s experience brought wisdom to Timothy, who represents the next generation.

Many believers may think that these apostles and prophets are bipolar.

Sons of God are led by the Spirit of God.

Isaiah the prophet presents another example. If Isaiah the prophet had the courage to declare before King Hezekiah :

“Thus says the LORD: Set your house in order, for you shall die and not live.’ ”

(Isaiah 38:1)

When the Lord changes His directive after hearing the prayer of Hezekiah,

Isaiah must be faithful and humble and demonstrate great grace to inform King Hezekiah that God had changed His position, and that God has added 15 years to his life.

Isaiah 38:5-6

5 “Go and tell Hezekiah, ‘Thus says the LORD, the God of David your father: “I have heard your prayer, I have seen your tears; surely I will add to your days fifteen years. 6 I will deliver you and this city from the hand of the king of Assyria, and I will defend this city.” ’

In the heart of God, there is an overarching spirit for the restoration of His people; those who know how to respond towards His judgements.

We see very clearly that is the same mouth that God used to judge His people, now He uses to restore those who have decided to return to Him.

Jeremiah 29:10

10 For thus says the Lord: After seventy years are completed at Babylon, I will visit you and perform My good word toward you, and cause you to return to this place.

Sadly from millions of Jews who went into exile, only 42000 returned to Jerusalém. The rest found a place to lay their head to rest in Babylon.

JEREMIAH ALSO PROPHESIED THE COMING OF THE MESSIAH

Jeremiah 33:14-16

14 Behold, the days are coming,’ says the LORD, ‘that I will perform that good thing which I have promised to the house of Israel and to the house of Judah:

15 ‘In those days and at that time I will cause to grow up to David

A Branch of righteousness; He shall execute judgment and righteousness in the earth. 16 In those days Judah will be saved, And Jerusalem will dwell safely.

And this is the name by which she will be called:

THE LORD OUR RIGHTEOUSNESS.’

Jeremiah is prophesying about the dispensation of Christ . A time when we have been set free from all religious rituals and strivings, that caused us to “appear” righteous. Christ is our righteousness and our peace; this has always been our spiritual reality, where Christ, the righteousness of God has been imputed to us. We also recognize our personal responsibility in walking in practical righteousness.

The exile in Babylon, the lockdown has revealed the idolatry of the people of God.They prioritised the Temple of Solomon rather than the God of the Temple.

This will also become clearly evident during our lockdown.

The purpose of the exile, is for the people of God to come to their senses, to experience brokenness, to reset our value system. If we understand and accept that God is a spirit who lives in us, His holy temple, we can survive anywhere on the earth, in lockdown or out of lockdown.

Psalms 137:1-6

1 By the rivers of Babylon, There we sat down, yea, we wept When we remembered Zion.

2 We hung our harps Upon the willows in the midst of it.

3 For there those who carried us away captive asked of us a song, And those who plundered us requested mirth, Saying, “Sing us one of the songs of Zion!”

4 How shall we sing the LORD’s song

In a foreign land?

5 If I forget you, O Jerusalem,

Let my right hand forget its skill!

6 If I do not remember you,

Let my tongue cling to the roof of my mouth—

If I do not exalt Jerusalem

Above my chief joy.

The people of God were totally incapacitated in a foreign environment

They hung their harps on the willows

Babylon wants the sons of God to sing and play music for their entertainment

In this time, it is impossible for the sons of God to be incapacitated in any form of lockdown or exile.

We have His Word embedded inside us

We have His song inside us

We can lift up our hands as the evening sacrifice

Isaiah prophesied this calamity ….

Isaiah 24:5-8

5 The earth is also defiled under its inhabitants,

Because they have transgressed the laws,

Changed the ordinance,

Broken the everlasting covenant.

6 Therefore the curse has devoured the earth,

And those who dwell in it are desolate.

Therefore the inhabitants of the earth are burned, and few men are left.

7 The new wine fails, the vine languishes,

All the merry-hearted sigh.

8 The mirth of the tambourine ceases,

The noise of the jubilant ends,

The joy of the harp ceases.

Isaiah was talking about a new wine failing in his time; because the people of God transgressed the laws of the Lord. We see the new wine that Jesus produced; it was the product of total obedience to the instructions (Word) of the Lord.

The failure of the new wine in the years of captivity is the result of disobedience to the laws of God

THE BEST WINE FOR THE END – FOR THOSE WHO HAVE ENDURED CONSUMING EVERYTHING ELSE

Jesus supernaturally formulated the best wine at the wedding at Cana. Yet, the same enduring principle prevails. The servants at the wedding were explicitly directed to do everything that Jesus required (total obedience to His Word).

A lack of obedience will cause the wine to fail.

TRADUÇÃO EM PORTUGUÊS (Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

DEUS FALANDO ATRAVÉS DE SEUS SERVOS

 

Gostaria que falássemos sobre como Deus falaria através de Seus profetas e servos para advertir Seu povo a respeito de Seus julgamentos.

 

Os julgamentos de Deus não são uma surpresa para os crentes que estão familiarizados com os caminhos de Deus e Sua Palavra.

 

Examinaremos as escrituras em que Deus está falando por meio de Seu profeta Jeremias, a respeito de Sua intenção de enviar Seu povo ao cativeiro na Babilônia.

 

Jeremias 25-1:11

 

1 A palavra que veio a Jeremias a respeito de todo o povo de Judá, no quarto ano de Jeoiaquim, o filho de Josias, rei de Judá, que foi o primeiro ano de Nabucodonosor, rei de Babilônia. 2 A qual Jeremias, o profeta, falou para todo o povo de Judá, e para todos os habitantes de Jerusalém, dizendo: 3 Desde o décimo terceiro ano de Josias, o filho de Amom, rei de Judá, até este dia, período de vinte e três anos, a palavra do SENHOR tem vindo até mim, e eu tenho falado para vós, madrugando e falando. Porém vós não tendes escutado. 4 E o SENHOR vos enviou todos os servos, os profetas, madrugando e os enviando, porém vós não escutastes, nem inclinastes o vosso ouvido para ouvir. 5 Eles disseram: Convertei-vos de seu mau caminho, e do mal de vossos feitos, e habitai na terra que o SENHOR vos deu, e a vossos pais, para sempre e sempre. 6 E não andeis após outros deuses para os servir, e para os adorar, e não me provoqueis à ira com as obras de vossas mãos, e eu não vos farei mal. 7 Contudo vós não me escutastes, diz o SENHOR, mas me provocastes à ira com as obras de vossas mãos, para vosso próprio mal. 8 Portanto, assim diz o SENHOR dos Exércitos: Porque vós não ouvistes minhas palavras; 9 eis que eu enviarei e tomarei todas as famílias do norte, diz o SENHOR, e Nabucodonosor, o rei de Babilônia, meu servo, e os trarei contra esta terra, e contra os seus habitantes, e contra todas estas nações ao redor, e as destruirei completamente, e as farei um assombro, e um assobio, e desolações perpétuas. 10 Além disso, eu lhes tomarei a voz de regozijo, e a voz de júbilo, a voz do noivo, e a voz da noiva, o som das pedras de moinho, e a luz da vela. 11 E esta terra inteira será uma desolação, e um assombro. E estas nações servirão ao rei de Babilônia por setenta anos.

 

Deus está lamentando o fato de Seu povo não ter respondido à Sua Palavra depois que Jeremias profetizou a eles por todos esses anos. Embora Deus tenha enviado muitos de seus servos para avisar o povo sobre perseguir outros deuses, eles não ouviram. Eles permaneceram obstinados e de coração duro, não recebendo as palavras daquele enviado pelo Senhor.

 

O cativeiro na Babilônia não foi um ato aleatório e impulsivo de Deus.

 

Ele demonstrou o espírito de longanimidade ao lamentar as violações graves de Seu povo, na esperança de que eles voltassem a si.

 

Eles sabiam que Deus demorou a se enfurecer, mas Seu povo conseguiu testar Seu ponto de ignição.

 

Se pensássemos que essa condição espiritual do povo de Deus estava restrita à era do Antigo Testamento, estaríamos enganados. Vemos Jesus experimentando a mesma rejeição e hostilidade de Seu próprio povo.

 

 

 

 

Mateus 23:31-37

 

31 Assim, testificais contra vós mesmos, pois sois filhos dos que mataram os profetas. 32 Enchei vós, então, a medida de vossos pais. 33 Serpentes, geração de víboras, como podeis escapar da condenação do inferno? 34 Portanto, eis que eu vos envio profetas, homens sábios e escribas; a alguns deles matareis e crucificareis; e a outros açoitareis nas vossas sinagogas e os perseguireis de cidade em cidade. 35 Para que sobre vós possa vir todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue do justo Abel até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, que matastes entre o templo e o altar. 36 Na verdade eu vos digo que todas estas coisas sobrevirão sobre esta geração. 37 Ó Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados, quantas vezes eu quis ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e tu não quiseste!

 

Jesus profetiza a destruição do templo

 

Mateus 24:1-2

 

1 E Jesus, saindo, partiu do templo, e aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem os edifícios do templo. 2 Mas Jesus lhes disse: Não vedes todas estas coisas? Na verdade eu vos digo que não ficará aqui uma pedra sobre a outra que não seja derrubada.

 

Jesus se refere a um período de tempo conhecido como o “começo das tristezas”

 

Mateus 24:12-13

 

12 E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. 13 Mas aquele que suportar até o fim, esse será salvo.

 

O desafio para os crentes é perseverar até o fim. Nossa vitória está ligada à nossa capacidade de perseverar no meio da apostasia.

 

ISSO É IMPORTANTE PARA NÓS SABERMOS

 

Jeremias não apenas profetizou o cativeiro, ele também profetizou libertação e restauração

 

Jesus não falou apenas sobre sua morte, mas também sobre sua ressurreição no terceiro dia

 

Jesus simplesmente não falou sobre um único grão de semente cair no chão e morrer, mas também falou sobre o surgimento de uma colheita

 

Jesus não somente falou sobre a destruição do templo.

 

PAULO ESCREVE SUA PRIMEIRA CARTA AOS CRENTES EM CORINTO

 

ELE SE DIRIGE A ELES COMO SANTOS

 

Seu discurso sobre “Amor” em 1 Coríntios 13 é frequentemente citado.

 

1 Coríntios 13:1

 

1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, eu me tornaria como o bronze ressoante ou um címbalo tilintante.

 

Paulo travou uma boa luta, manteve a fé, terminou a corrida

 

Mas ele precisava compartilhar verdades importantes com seu filho Timóteo.

 

Pouco antes de sua morte, o mesmo apóstolo Paulo compartilhou essa verdade de sua vasta experiência no ministério apostólico. O mesmo apóstolo que escreveu esses versos imortais sobre o maior presente do amor agora adverte seu filho a se afastar de todas as pessoas que exibem esses traços característicos.

 

2 Timóteo 3:1-5

 

1 Sabe, porém, isto: Que nos últimos dias perigosos tempos sobrevirão; 2 porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, orgulhosos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, 3 sem afeto natural, irreconciliáveis, falsos acusadores, incontinentes, cruéis, inimigos daqueles que são bons, 4 traidores, obstinados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amantes de Deus, 5 tendo aparência de piedade, mas negando o poder dela. Destes, afasta-te.

 

A experiência de Paulo trouxe sabedoria a Timóteo, que representa a próxima geração.

 

Muitos crentes podem pensar que esses apóstolos e profetas são bipolares.

 

Os filhos de Deus são guiados pelo Espírito de Deus.

 

O profeta Isaías apresenta outro exemplo. Se o profeta Isaías teve a coragem de declarar perante o rei Ezequias:

 

“Assim diz o SENHOR: Põe a tua casa em ordem, porque morrerás e não viverás.” (Isaías 38: 1)

 

Quando o Senhor muda de direção depois de ouvir a oração de Ezequias,

 

Isaías deve ser fiel e humilde e demonstrar grande graça para informar o rei Ezequias que Deus havia mudado de posição e que Deus acrescentou 15 anos à sua vida.

 

Isaías 38:5-6

 

5 Vai, e dize a Ezequias: Portanto, diz o SENHOR, o Deus de Davi teu pai, eu tenho ouvido a tua oração, e tenho visto tuas lágrimas. Eis que Eu acrescentarei aos teus dias quinze anos. 6 E eu te livrarei e a esta cidade da mão do rei da Assíria, e eu defenderei esta cidade.

 

No coração de Deus, existe um espírito abrangente para a restauração do Seu povo; aqueles que sabem responder aos Seus julgamentos.

 

Vemos claramente que é a mesma boca que Deus usou para julgar Seu povo, agora Ele usa para restaurar aqueles que decidiram voltar para Ele.

 

Jeremias 29:10

 

10 orque assim diz o SENHOR: Após se completarem setenta anos em Babilônia, eu vos visitarei e cumprirei a minha boa palavra em vós, fazendo-vos retornar para este lugar.

 

Infelizmente, de milhões de judeus que se exilaram, apenas 42.000 retornaram a Jerusalém. O resto encontrou um lugar para descansar a cabeça na Babilônia.

 

JEREMIAS TAMBÉM PROFETIZOU A VINDA DO MESSIAS

 

Jeremias 33:14-16

 

Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que eu realizarei aquela boa palavra que prometi à casa de Israel, e à casa de Judá. 15 Naqueles dias, e naquele tempo, eu farei crescer um Renovo de justiça a Davi, e ele fará juízo e justiça na terra. 16 Naqueles dias Judá será salvo, e Jerusalém habitará a salvo, e este é o nome pelo qual ela será chamada: O SENHOR NOSSA JUSTIÇA.

 

Jeremias está profetizando sobre a dispensação de Cristo. Uma época em que fomos libertados de todos os rituais e esforços religiosos, que nos fizeram “parecer” justos. Cristo é nossa justiça e nossa paz; essa sempre foi nossa realidade espiritual, onde Cristo, a justiça de Deus nos foi imputada. Também reconhecemos nossa responsabilidade pessoal em andar na justiça prática.

 

O exílio na Babilônia, o confinamento, revelou a idolatria do povo de Deus. Eles priorizaram o Templo de Salomão, e não o Deus do Templo.

 

Isso também ficará claramente evidente durante a nossa quarentena.

 

O objetivo do exílio é que o povo de Deus recupere o juízo, experimente o quebrantamento, restaure nosso sistema de valores. Se entendermos e aceitarmos que Deus é um espírito que vive em nós, Seu santo templo, podemos sobreviver em qualquer lugar da Terra, em confinamento ou fora dele.

 

Salmos 137:1-6

 

1 Junto aos rios de Babilônia, ali nos assentamos, sim, nós choramos, quando nos lembramos de Sião. 2 Pendurávamos nossas harpas sobre os salgueiros no seu meio. 3 Pois lá aqueles que nos levaram cativos nos requeriam uma canção; e aqueles que nos consumiam nos requeriam alegria dizendo: Cantai-nos uma das canções de Sião. 4 Como cantaremos a canção do SENHOR em uma terra estranha? 5 Se eu te esquecer, ó Jerusalém, deixa minha mão direita esquecer sua destreza. 6 Se eu não me lembrar de ti, apegue-se a minha língua no céu da minha boca; se eu não preferir Jerusalém à minha maior alegria.

 

O povo de Deus estava totalmente incapacitado em um ambiente estranho

 

Eles penduraram suas harpas nos salgueiros

 

Babilônia quer que os filhos de Deus cantem e toquem música para seu entretenimento

 

Nesse tempo, é impossível que os filhos de Deus sejam incapacitados em qualquer forma de confinamento ou exílio.

 

Temos Sua Palavra embutida dentro de nós

 

Temos a música Dele dentro de nós

 

Podemos levantar nossas mãos como o sacrifício da noite

 

Isaías profetizou essa calamidade….

Isaías 24:5-8

 

5 A terra também está corrompida sob os habitantes dela, porque eles têm transgredido as leis, mudado os estatutos, quebrado o pacto eterno. 6 Portanto, a maldição tem devorado a terra e aqueles que nela habitam estão desolados. Portanto, os habitantes da terra estão queimados e poucos homens restam. 7 O vinho novo pranteia, a videira definha, todo o de coração alegre suspira. 8 O regozijo dos tamborins cessa, o barulho daqueles que jubilam termina, a alegria da harpa cessa.

 

Isaías estava falando sobre um novo vinho falhando em seu tempo; porque o povo de Deus transgrediu as leis do Senhor. Vemos o novo vinho que Jesus produziu; foi o produto da total obediência às instruções (Palavra) do Senhor.

 

O fracasso do novo vinho nos anos de cativeiro é o resultado da desobediência às leis de Deus

 

O MELHOR VINHO NO FINAL – PARA AQUELES QUE RESISTIRAM AO CONSUMO DE TODO O RESTO

 

Jesus formulou sobrenaturalmente o melhor vinho no casamento de Caná. No entanto, o mesmo princípio duradouro prevalece. Os servos do casamento foram explicitamente orientados a fazer tudo o que Jesus exigia (total obediência à Sua Palavra).

 

A falta de obediência fará com que o vinho falhe.

 

Read Full Post »

One of the benefits of this lockdown is to separate ourselves to spend time studying the Word and inclining our ear to listen to the voice of the Spirit

Much of what I have shared is from my conversations with the Holy Spirit, and I share it with you in the hope that it would also be a blessing and encouragement to you.

There is a sphere of dominion that extends beyond the accumulation of material and tangible possessions. I would like to present three models today that are based on strong covenants with

The Lord, His Word, the spiritual authority assigned over our lives and His people.

All three models attract Divine blessings and favor

Jesus often separated Himself from His disciples to spend time alone communing with the Father

This lockdown allows us the time to commune and converse with God. During crises, do we align our decisions to comply with the Word of God? Do we abandon our mandate and faithfulness when we are having our personal Gethsemane experience?

We are all tested in these areas regularly just as Jesus was.

Matthew 26:36-39

36 Then Jesus came with them to a place called Gethsemane, and said to the disciples, “Sit here while I go and pray over there.” 37 And He took with Him Peter and the two sons of Zebedee, and He began to be sorrowful and deeply distressed. 38 Then He said to them, “My soul is exceedingly sorrowful, even to death. Stay here and watch with Me.”

39 He went a little farther and fell on His face, and prayed, saying, “O My Father, if it is possible, let this cup pass from Me; nevertheless, not as I will, but as You will.”

Observe the process of separation from the voices around Him until He arrived at the place where He is alone with His Father. We cannot avoid the moment when we will find ourselves alone in His Presence.

This is a moment of decision. Right here, the Son of God faces His ultimate test as Son of Man.

Jesus had to separate from His disciples, then from Peter and the sons of Zebedee and then be alone with the Father

Jesus had to place His absolute trust in the Word and the promise of the Father. The Cross did not surprise Jesus. This was the purpose of His coming. He knew when the hour and the moment had come. He knew the timeline of all the events from the time He came into this world until His death His resurrection and His ascension to the Right hand of the Father

Matthew 16

21 From that time Jesus began to show to His disciples that He must go to Jerusalem, and suffer many things from the elders and chief priests and scribes, and be killed, and be raised the third day.

There are critical moments in our lives where our integrity in believing the Word of God will be tested

We see this clearly with Daniel within a Babylonian environment

Daniel and his friends represent a sample of the remnant of sons of God who are faithful until the end. We see clearly that they possess incredible mental and spiritual strength in their hour of decision.

These are our “Gethsemane” moments that define and identify who we are, in the eyes of God. These decisions may make no sense to the natural man; they may even be considered to be foolish by our contemporaries; but righteous decisions attract great favor and establish goodwill with the Lord.

Gethsemane offers the ultimate proof of our identity as sons of God

I would like to draw your attention to a word that the scriptures use concerning Daniel. This word establishes his resistance campaign against the culture of Babylon.

That word is “resolved”

Right up front Daniel resolved in his heart not to defile himself, not to profane or make the name of his God common.

Daniel 1:8

But Daniel resolved not to defile himself with the royal food and wine, and he asked the chief official for permission not to defile himself this way.

This means he put to rest all conflicting emotions and turbulence in his heart concerning the temptations and offerings of Babylon. This simply means that there was no grey area for Daniel to navigate concerning Babylon. He would maintain his integrity to obey the Word of God, in the face of the fiercest intimidation. This does not mean that he tried to escape Babylon; it means that we would represent the integrity and the culture of a son of God in the midst of Babylon.

Hebrew word for resolve indicates;

Determination, assertiveness, finality, absoluteness, firmness

The doctrine and counsel from the Word of God that has become our diet influences our responses when we are faced with major decisions. Conflict and tensions arise when we lack a conviction of our identity.

The three Hebrew boys answered calmly before being thrown into the furnace

Daniel 3:16-18

16 Shadrach, Meshach, and Abed-Nego answered and said to the king, “O Nebuchadnezzar, we have no need to answer you in this matter. 17 If that is the case, our God whom we serve is able to deliver us from the burning fiery furnace, and He will deliver us from your hand, O king. 18 But if not, let it be known to you, O king, that we do not serve your gods, nor will we worship the gold image which you have set up.”

ESTHER

This is typical of the rags to riches story of any believer

What about Esther, a Hebrew queen masquerading as a Persian in the palace of the King? Her “Gethsemane moment” would also come. Her own people are languishing under the weight of a royal decree that declares :

to destroy, to kill, and to annihilate all the Jews, both young and old, little children and women, in one day, on the thirteenth day of the twelfth month, which is the month of Adar, and to plunder their possessions.

Mordecai, the man who nurtured Esther, is sitting outside the gates in sackcloth. He desperately needs Esther to intercede for the Jews before the King.

These are Gethsemane moments, where we cannot remain silent. These moments shape our identity.

God is not restricted to depending on those who wear the crown; this is Esther’s moment to arise and shine as an instrument who would be used by God.

Like Mordecai asked ……..

“who knows whether you have come to the kingdom for such a time as this?”

If we refuse to represent God, He will raise someone else. This is the reason God allowed Mordecai to smuggle Esther into the palace.

Esther not only reveals her identity as a son of God, she also demonstrated her solidarity with the people of God. She also remains obedient to the instructions of Mordecai, who is a picture of a “spiritual father”

Although she is now married to the King, living in the palace, her heart does not forget the man who raised her, who now sits in sackcloth outside the gates of the palace

This is the turning point where you transition from being Queen in the palace, to being queen over the people. This is where we earn our stripes.

Remember Mordecai knew Esther when her name was still Hadassah. When we wear a crown on our head, it is easy to forget our Mordecai sitting outside the gate in sackcloth.

I wrote last week that in critical moments we must identify ourselves.

Esther identified herself with Mordecai and her people.

God’s people counted on Esther doing the right thing

She walked through her Gethsemane, with the same courage and fortitude like Daniel declaring, “If I perish, I perish”

Truth is worth dying for. When you spiritually die for the truth, expect to be resurrected by the Lord.

In our darkest moments, always choose to believe and trust the integrity and promise of God in His Word.

Deuteronomy 20:3-4

3 And he shall say to them, ‘Hear, O Israel: Today you are on the verge of battle with your enemies. Do not let your heart faint, do not be afraid, and do not tremble or be terrified because of them; 4 for the Lord your God is He who goes with you, to fight for you against your enemies, to save you.’

EVERY ONE OF THESE MODELS, IF IMPLEMENTED ATTRACTS DIVINE FAVOR

Jesus was highly exalted by His Father and He received a name above every name.

Philippians 2:8-9

8 And being found in appearance as a man, He humbled Himself and became obedient to the point of death, even the death of the cross. 9 Therefore God also has highly exalted Him and given Him the name which is above every name,

Esther was highly favored by her husband the King. She received the full authority to write on behalf of the king using his seal.

Esther 9:29 Then Queen Esther, the daughter of Abihail, with Mordecai the Jew, wrote with full authority to confirm this second letter about Purim.

Unlike Jezebel who fraudulently used the King’s name and seal to plot the assassination of Naboth

1 Kings 21:8

8 And she wrote letters in Ahab’s name, sealed them with his seal, and sent the letters to the elders and the nobles who were dwelling in the city with Naboth.

Mordecai was also blessed with great authority conferred upon him.

Esther 10:3

3 For Mordecai the Jew was second to King Ahasuerus, and was great among the Jews and well received by the multitude of his brethren, seeking the good of his people and speaking peace to all his countrymen.

The faithfulness of Daniel also attracted Divine favor and blessings

Daniel 6:28

28 So this Daniel prospered in the reign of Darius and in the reign of Cyrus the Persian.

MOMENTOS DECISIVOS (Traduzido por Rafael Nogueira)

 

Um dos benefícios dessa quarentena é nos separar para passar um tempo estudando a Palavra e inclinando nossos ouvidos para ouvir a voz do Espírito.

 

Muito do que compartilhei é de minhas conversas com o Espírito Santo, e eu o compartilho com você na esperança de que isso também seja uma bênção e encorajamento para você.

 

Existe uma esfera de domínio que se estende além do acúmulo de bens materiais e tangíveis. Gostaria de apresentar hoje três modelos baseados em convênios fortes com

 

O Senhor, Sua Palavra, a autoridade espiritual designada sobre nossas vidas e Seu povo.

 

Todos os três modelos atraem bênçãos divinas e favorecem

 

Jesus muitas vezes se separava de seus discípulos para passar um tempo sozinho em comunhão com o Pai

 

Essa quarentena nos dá tempo para comungar e conversar com Deus. Durante as crises, alinhamos nossas decisões para cumprir a Palavra de Deus? Abandonamos nosso mandato e fidelidade quando estamos tendo nossa experiência pessoal no Getsêmani?

 

Todos nós somos testados nessas áreas regularmente, exatamente como Jesus foi.

 

Mateus 26

36 Então chegou Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse a seus discípulos: Sentai-vos aqui, enquanto eu vou ali orar.

37 E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito.

38 Então lhes disse: A minha alma está demasiadamente triste, até a morte; ficai aqui e vigiai comigo.

39 E ele indo um pouco mais adiante, prostrou-se sobre a sua face, orando e dizendo: Ó meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.

Observe o processo de separação das vozes ao seu redor até que ele chegue ao local onde está sozinho com seu pai. Não podemos evitar o momento em que nos encontraremos sozinhos em Sua Presença.

 

Este é um momento de decisão. Bem aqui, o Filho de Deus enfrenta Seu teste final como Filho do Homem.

 

Jesus teve que se separar de Seus discípulos, depois de Pedro e os filhos de Zebedeu e depois ficar sozinho com o Pai.

 

Jesus teve que depositar Sua confiança absoluta na Palavra e na promessa do Pai. A cruz não surpreendeu Jesus. Este foi o propósito de Sua vinda. Ele sabia quando chegara a hora e o momento. Ele sabia a linha do tempo de todos os eventos desde o momento em que veio a este mundo até Sua morte, Sua ressurreição e Sua ascensão à mão direita do Pai.

 

Mateus 16

21 Desde esse tempo começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que ele deveria ir a Jerusalém, e sofrer muitas coisas dos anciãos, e dos principais sacerdotes e escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia.

 

Há momentos críticos em nossas vidas onde nossa integridade em crer na Palavra de Deus será testada.

 

Vemos isso claramente com Daniel dentro de um ambiente babilônico.

 

Daniel e seus amigos representam uma amostra do remanescente de filhos de Deus que são fiéis até o fim. Vemos claramente que eles possuem uma incrível força mental e espiritual em sua hora de decisão.

 

Estes são nossos momentos no Getsêmani que definem e identificam quem somos, aos olhos de Deus. Essas decisões podem não fazer sentido para o homem natural; eles podem até ser considerados tolos por nossos contemporâneos; mas decisões justas atraem grande favor e estabelecem boa vontade com o Senhor.

 

O Getsêmani oferece a prova definitiva de nossa identidade como filhos de Deus

 

DANIEL

 

Gostaria de chamar sua atenção para uma palavra que as escrituras usam a respeito de Daniel. Esta palavra estabelece sua campanha de resistência contra a cultura da Babilônia.

 

Essa palavra é “resolveu”

 

Logo na frente, Daniel resolveu em seu coração não se contaminar, não profanar ou tornar comum o nome de seu Deus.

 

Daniel 1

8 Porém Daniel resolveu em seu coração que não se contaminaria com a porção do alimento do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao príncipe dos eunucos que ele não se contaminasse.

 

Isso significa que ele repousou todas as emoções e turbulências conflitantes em seu coração com relação às tentações e ofertas da Babilônia. Isso significa simplesmente que não havia uma área cinzenta para Daniel navegar em relação à Babilônia. Ele manteria sua integridade para obedecer à Palavra de Deus, diante da mais feroz intimidação. Isso não significa que ele tentou escapar da Babilônia; significa que representamos a integridade e a cultura de um filho de Deus no meio da Babilônia.

 

A palavra hebraica para resolver indica;

 

Determinação, assertividade, finalidade, absoluto, firmeza

 

A doutrina e o conselho da Palavra de Deus que se tornou nossa dieta influencia nossas respostas quando enfrentamos grandes decisões. Conflitos e tensões surgem quando não temos convicção de nossa identidade.

 

Os três meninos hebreus responderam calmamente antes de serem jogados na fornalha

 

Daniel 3

16 Sadraque, Mesaque e Abednego responderam, e disseram ao rei: Ó Nabucodonosor, nós não somos cautelosos em responder-te nesta questão.

17 Se assim o for, nosso Deus a quem servimos é capaz de nos livrar da fornalha de fogo ardente, e ele há de nos livrar de tua mão, ó rei.

18 Mas se não o for, que saibas tu, ó rei, que nós não serviremos aos teus deuses, nem adoraremos a imagem dourada que tu ergueste.

 

ESTER

 

Isso é a típica história de trapos e riquezas de qualquer crente.

 

E Ester, uma rainha hebraica disfarçada de persa no palácio do rei?

Seu “momento Getsêmani” também chegaria. Seu próprio povo está definhando sob o peso de um decreto real que declara:

 

Destruir, matar e aniquilar todos os judeus, jovens e velhos, crianças e mulheres, em um dia, no décimo terceiro dia do décimo segundo mês, que é o mês de Adar, e saquear suas posses.

 

Mardoqueu, o homem que nutriu Ester, está sentado do lado de fora dos portões vestido de saco. Ele precisa desesperadamente de Ester para interceder pelos judeus perante o rei.

 

São momentos do Getsêmani, onde não podemos permanecer calados. Esses momentos moldam nossa identidade.

 

Deus não se restringe a depender daqueles que usam a coroa; este é o momento de Ester para surgir e brilhar como um instrumento que seria usado por Deus.

 

Como Mordecai pediu …

 

“Quem sabe se você veio ao reino por um tempo como esse?”

 

Se nos recusarmos a representar Deus, Ele criará outra pessoa. Foi por essa razão que Deus permitiu que Mardoqueu trouxesse Ester para o palácio.

 

Ester não apenas revela sua identidade como filho de Deus, mas também demonstra sua solidariedade com o povo de Deus. Ela também permanece obediente às instruções de Mardoqueu, que é uma imagem de um “pai espiritual”

 

Embora agora esteja casada com o rei, morando no palácio, seu coração não esquece o homem que a criou, que agora está de saco fora dos portões do palácio.

 

Este é o ponto de virada em que você passa de rainha do palácio para rainha do povo. É aqui que ganhamos nossas listras.

 

Lembre-se de que Mardoqueu conheceu Ester quando seu nome ainda era Hadassa. Quando usamos uma coroa na cabeça, é fácil esquecer nosso Mardoqueu sentado do lado de fora do portão, vestido de saco.

 

Escrevi na semana passada que, em momentos críticos, devemos nos identificar.

 

Ester se identificou com Mordecai e seu povo.

 

O povo de Deus contava com Ester fazendo a coisa certa

 

Ela atravessou seu Getsêmani, com a mesma coragem e coragem como Daniel declarando: “Se eu perecer, eu perecerei”

 

Vale a pena morrer pela verdade. Quando você morrer espiritualmente pela verdade, espere ser ressuscitado pelo Senhor.

 

Nos momentos mais sombrios, escolha sempre acreditar e confiar na integridade e promessa de Deus em Sua Palavra.

 

Deuteronômio 20

3 e lhes dirá: Ouve, ó Israel, chegais neste dia à batalha contra os vossos inimigos; não fraquejem os vossos corações, não temais, e não tremais, nem vos aterrorizeis por causa deles;

4 porque o SENHOR teu Deus é aquele que vai convosco, para pelejar por vós contra os vossos inimigos, para vos salvar.

 

CADA UM DESTES MODELOS, SE IMPLEMENTADO ATRAI O FAVOR DIVINO

 

Jesus foi altamente exaltado por seu pai e recebeu um nome acima de todo nome.

 

Filipenses 2

E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz.

9 Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que está acima de todo nome,

Ester foi muito favorecida por seu marido, o rei. Ela recebeu toda a autoridade para escrever em nome do rei usando seu selo.

 

Ester 9

29 Então, escreveram à rainha Ester, a filha de Abiail, e o judeu Mardoqueu com autoridade, para confirmar esta segunda carta de Purim.

 

Ao contrário de Jezabel, que usou fraudulentamente o nome e o selo do rei para planejar o assassinato de Nabote

 

1 Reis 21

8 Assim, ela escreveu cartas em nome de Acabe, e as selou com o selo dele, e enviou as cartas para os anciãos e para os nobres que estavam na sua cidade, habitando com Nabote.

 

Mardoqueu também foi abençoado com grande autoridade conferida a ele.

 

Ester 10: 3

3 Porque o judeu Mardoqueu, foi o imediato ao rei Assuero, e grande entre os judeus, e estimado pela multidão dos seus irmãos, buscando a riqueza do seu povo, e falando da paz a toda a sua semente.

 

A fidelidade de Daniel também atraiu favor e bênçãos divinos.

 

Daniel 6

28 Então este Daniel prosperou no reinado de Dario, e no reinado de Ciro, o persa.

 

 

Read Full Post »

I want to talk about the consequences of not being positioned in the place where we have been specifically commanded by the Lord. We cannot escape His perfect will for our lives.

We see this in the commissioning of Jonah to go to the great city of Nineveh. The wickedness of the great city had come up before the eyes of the Lord.

The emphasis of the message given to Jonah was a cry for the inhabitants of this great city to turn their hearts to God. This was not Jonah’s message. The message was already pre determined by the Lord.

The message was not to conform with or assimilate the culture of the city of Nineveh. The assignment of Jonah was to deliver God’s message.

This is an assignment not many people would embrace, including Jonah. Jonah knew clearly that he was only the messenger. How often have we, especially leaders, been reluctant to deliver a message that is extremely hostile and provocative to the prevailing culture in a city?

Jonah knew that as soon as the people received the message and repented, God would be gracious to them; but Jonah would always be remembered as God’s battle axe.

In our understanding in this present day, Jonah is not a singular person. He is representative of a company of individuals and leaders who are going in the wrong direction.

The reason that God would choose a Jonah company, is because He knew that this company will not be intimidated or seduced by an idolatrous or worldly culture.

It is very difficult for people to understand the ministry of a Jonah company or a prophetic company. God would bring their voices to the fore in times of apostasy, unfaithfulness and idolatry. They represent heaven’s early warning systems concerning impending danger or judgement; oracles of God that reveal His heart and His mind.

Their messages are not structured for an “itching ear” community; their messages are confrontational, because their loyalty to their assignment demands a singular focus. It is clearly evident that Jonah was God’s chosen vessel. We also see the Christ manifested in his life; when he offered to die to save the lives and property of the unbelievers on the vessel; when he spent three days and three nights in the belly of the great fish, after which he experienced the resurrection when he was safely deposited on dry land.

This morning I would like to highlight in this exhortation the tenacity and the tempestuous fury that the Lord demonstrates to recover His chosen son.

The scriptures record that after receiving a direct instruction from the Lord that Jonah arose to flee to Tarshish from the presence of the LORD.

We must agree, as a corporate company, that the earth is not big enough for us to flee from the Presence of the Lord

“The eyes of the Lord run to and fro throughout the whole earth”

Where can we flee from His Presence?

The vessel that left Tarshish, appears to have cargo and the sailors on board. It would appear to be a legitimate expedition. However, God’s singular focus is to recover His Son. Anyone and anything that stands in His way is in great trouble.

Jonah 1

4 But the Lord sent out a great wind on the sea, and there was a mighty tempest on the sea, so that the ship was about to be broken up.

5 Then the mariners were afraid; and every man cried out to his god, and threw the cargo that was in the ship into the sea, to lighten the load. But Jonah had gone down into the lowest parts of the ship, had lain down, and was fast asleep.

God was prepared to wreck this vessel to recover His son. The Lord sent out a tempest to pursue the ship.

Psalms 83:15-18

15 So pursue them with Your tempest,

And frighten them with Your storm.

16 Fill their faces with shame,

That they may seek Your name, O LORD.

17 Let them be confounded and dismayed forever; Yes, let them be put to shame and perish,

18 That they may know that You, whose name alone is the LORD, Are the Most High over all the earth.

Such was the great fear, that every man cried out to his god; This is a picture of a multi faith intercessory meeting; nothing would deter God.

The men took a decision to lose their precious cargo.

The hour has come for Jonah to identify himself.

Jonah 1:9-11

9 So he said to them, “I am a Hebrew; and I fear the LORD, the God of heaven, who made the sea and the dry land.”

10 Then the men were exceedingly afraid, and said to him, “Why have you done this?” For the men knew that he fled from the presence of the LORD, because he had told them.

11 Then they said to him, “What shall we do to you that the sea may be calm for us?”—for the sea was growing more tempestuous.

In tempestuous times, when our lives are on the line, we have to identify ourselves. We must declare that this is the day of judgement where the hand of God is against the prevailing culture of rebellion, apostasy and idolatry that has come before the Lord.

God expects a Jonah company to prophesy to the Ninevites; to warn them of impending danger.

This company must not abort their Divine mandate and go in the wrong direction.

We cannot choose to live anonymously in Tarshish.

Jonah did this; now he finds himself fighting against the God of this tempest who is threatening to destroy and liquidate the entire boat; God is violently shaking this boat and it’s occupants; just because He wants to rescue this “Jonah company”

Jonah 1:12

12 And he said to them, “Pick me up and throw me into the sea; then the sea will become calm for you. For I know that this great tempest is because of me.”

Jonah saw the face and might of God in the tempest. He knew that his presence on this vessel is the cause of this mighty tempest.

God had called this Jonah company to go east to Nineveh; but they chose to go west to Tarshish

Jonah knew that there would be a high human and material cost for the expedition if he chose to continue to travel in the wrong direction

GOD “HAD” PREPARED A GREAT FISH TO SWALLOW JONAH

Jonah 1:17

17 Now the Lord had prepared a great fish to swallow Jonah. And Jonah was in the belly of the fish three days and three nights.

Rescuing Jonah was not an afterthought. God had prepared a great fish; before God sent the great tempest, the great fish was already there.

Jonah only saw the fish when it appeared;but, in reality, it was always there.

AFTER HIS RESCUE – THE PRAYER OF JONAH WAS TRANSFORMED

This pandemic is a type of tempest that threatens to destroy the lives and the economies of the nations; we must rest in the knowledge that the God that sent this great tempest is the same God that has already prepared our means of deliverance.

When that day comes, everything will change.

Our prayer will reflect a regenerated spirit of thanksgiving to the Lord.

Jonah 2:4-6

4 Then I said, ‘I have been cast out of Your sight;

Yet I will look again toward Your holy temple.’

5 The waters surrounded me, even to my soul;

The deep closed around me;

Weeds were wrapped around my head.

6 I went down to the moorings of the mountains;

The earth with its bars closed behind me forever;

Yet You have brought up my life from the pit,

O LORD, my God.

Amen.

O SENHOR PERSEGUE UMA COMPANHIA DE JONAS

(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

 

Quero falar sobre as consequências de não estarmos posicionados no local onde fomos especificamente ordenados pelo Senhor. Não podemos escapar de Sua vontade perfeita para nossas vidas.

 

Vemos isso no comissionamento de Jonas para ir à grande cidade de Nínive. A maldade da grande cidade havia surgido diante dos olhos do Senhor.

 

A ênfase da mensagem dada a Jonas foi um grito para que os habitantes desta grande cidade voltassem seus corações para Deus. Esta não foi a mensagem de Jonas. A mensagem já foi pré-determinada pelo Senhor.

 

A mensagem não era para se conformar ou assimilar a cultura da cidade de Nínive. A tarefa de Jonas era entregar a mensagem de Deus.

 

Essa é uma tarefa que muitas pessoas não aceitariam, incluindo Jonas. Jonas sabia claramente que ele era apenas o mensageiro. Quantas vezes nós, especialmente líderes, relutamos em entregar uma mensagem extremamente hostil e provocadora à cultura predominante em uma cidade?

 

Jonas sabia que assim que as pessoas recebessem a mensagem e se arrependessem, Deus seria misericordioso com elas; mas Jonas sempre seria lembrado como o machado de batalha de Deus.

 

Em nossa compreensão nos dias atuais, Jonas não é uma pessoa singular. Ele é representante de uma companhia de indivíduos e líderes que estão indo na direção errada.

 

A razão pela qual Deus escolheria uma companhia de Jonas, é porque sabia que essa companhia não seria intimidada ou seduzida por uma cultura idólatra ou mundana.

 

É muito difícil para as pessoas entenderem o ministério de uma companhia Jonas ou de uma companhia profética. Deus traria suas vozes à tona em tempos de apostasia, infidelidade e idolatria. Eles representam os sistemas de alerta precoce do céu sobre perigo ou julgamento iminentes; oráculos de Deus que revelam Seu coração e Sua mente.

 

Suas mensagens não são estruturadas para uma comunidade de “coceira no ouvido”; suas mensagens são de confronto, porque sua lealdade à sua tarefa exige um foco singular. É claramente evidente que Jonas foi o vaso escolhido por Deus. Também vemos o Cristo manifestado em sua vida; quando ele se ofereceu para morrer para salvar as vidas e propriedades dos incrédulos no navio; quando passou três dias e três noites no ventre do grande peixe, após o que experimentou a ressurreição quando foi depositado em segurança em terra firme.

 

Nesta manhã, gostaria de destacar nesta exortação a tenacidade e a fúria tempestuosa que o Senhor demonstra para recuperar Seu filho escolhido.

 

As escrituras registram que, depois de receber uma instrução direta do Senhor, Jonas se levantou para fugir para Társis da presença do Senhor.

 

Como companhia corporativa, devemos concordar que a Terra não é grande o suficiente para fugirmos da Presença do Senhor.

 

“Os olhos do Senhor correm de um lado para o outro por toda a terra”

 

Para onde podemos fugir de Sua Presença?

 

A embarcação que saiu de Társis parece ter carga e os marinheiros a bordo. Parece ser uma expedição legítima. No entanto, o foco singular de Deus é recuperar Seu Filho. Qualquer pessoa e qualquer coisa que esteja no Seu caminho está com grandes problemas.

 

Jonas 1:4-5

4 O Senhor, porém, fez soprar um forte vento sobre o mar, e caiu uma tempestade tão violenta que o barco ameaçava arrebentar-se.

5 Todos os marinheiros ficaram com medo e cada um clamava ao seu próprio deus. E atiraram as cargas ao mar para tornar mais leve o navio. Enquanto isso, Jonas, que tinha descido para o porão e se deitado, dormia profundamente.

 

Deus estava preparado para destruir este navio para recuperar Seu filho. O Senhor enviou uma tempestade para perseguir o navio.

 

Salmos 83:15-18

15 persegue-os com o teu vendaval e aterroriza-os com a tua tempestade.

16 Cobre-lhes de vergonha o rosto até que busquem o teu nome, Senhor.

17 Sejam eles humilhados e aterrorizados para sempre; pereçam em completa desgraça.

18 Saibam eles que tu, cujo nome é Senhor, somente tu, és o Altíssimo sobre toda a terra.

 

Tal era o grande medo, que todo homem clamava a seu deus; Esta é uma imagem de uma reunião intercessora “multi-fé”; nada impediria Deus.

 

Os homens decidiram perder sua preciosa carga.

 

Chegou a hora de Jonas se identificar.

 

Jonas 1:9-11

9 Ele respondeu: “Eu sou hebreu, adorador do Senhor, o Deus dos céus, que fez o mar e a terra”.

10 Com isso eles ficaram apavorados e perguntaram: “O que foi que você fez? “, pois sabiam que Jonas estava fugindo do Senhor, porque ele já lhes tinha dito.

11 Visto que o mar estava cada vez mais agitado, eles lhe perguntaram: “O que devemos fazer com você, para que o mar se acalme? ”

 

Em tempos tempestuosos, quando nossas vidas estão em risco, temos que nos identificar. Devemos declarar que este é o dia do julgamento em que a mão de Deus está contra a cultura predominante de rebelião, apostasia e idolatria que veio antes do Senhor.

 

Deus espera que uma companhia de Jonas profetize aos ninivitas; para avisá-los do perigo iminente.

 

Esta companhia não deve abortar seu mandato divino e seguir na direção errada.

 

Não podemos escolher viver anonimamente em Társis.

 

Jonas fez isso; agora ele se vê lutando contra o Deus desta tempestade que ameaça destruir e liquidar o barco inteiro; Deus está tremendo violentamente este barco e seus ocupantes; só porque ele quer resgatar essa “companhia de Jonas”

 

Jonas 1:12

12 Respondeu ele: “Peguem-me e joguem-me ao mar, e ele se acalmará. Pois eu sei que é por minha causa que esta violenta tempestade caiu sobre vocês”.

 

Jonas viu o rosto e o poder de Deus na tempestade. Ele sabia que sua presença neste navio é a causa desta poderosa tempestade.

 

Deus havia chamado essa companhia de Jonas para ir para o leste de Nínive; mas eles escolheram ir para o oeste, para Társis.

 

Jonas sabia que haveria um alto custo humano e material para a expedição se ele escolhesse continuar viajando na direção errada.

 

DEUS “PRECIOU” DE UM GRANDE PEIXE PARA ENGOLIR JONAS

 

Jonas 1:17

17 Então o Senhor fez com que um grande peixe engolisse Jonas, e ele ficou dentro do peixe três dias e três noites.

 

Resgatar Jonas não foi uma reflexão tardia. Deus havia preparado um ótimo peixe; antes que Deus mandasse a grande tempestade, o grande peixe já estava lá.

 

Jonas só viu o peixe quando apareceu, mas, na realidade, estava sempre lá.

 

DEPOIS DE SEU SALVAMENTO – A ORAÇÃO DE JONAS FOI TRANSFORMADA

 

Essa pandemia é um tipo de tempestade que ameaça destruir as vidas e as economias das nações; devemos descansar no conhecimento de que o Deus que enviou essa grande tempestade é o mesmo Deus que já preparou nossos meios de libertação.

 

Quando esse dia chegar, tudo mudará.

 

Nossa oração refletirá um espírito regenerado de ação de graças ao Senhor.

 

Jonas 2:4-6

4 Eu disse: Fui expulso da tua presença; contudo, olharei de novo para o teu santo templo.

5 As águas agitadas me envolveram, o abismo me cercou, as algas marinhas se enrolaram em minha cabeça.

6  Afundei até os fundamentos dos montes; à terra cujas trancas estavam me aprisionando para sempre. Mas tu trouxeste a minha vida de volta da cova, ó Senhor meu Deus!

Read Full Post »

The Holy Spirit continues to reveal His will to us through this pandemic

Our sensitivity to the voice of the Spirit has been greatly enhanced during this time of lockdown

One of the most referred to declarations in the Bible is the one between Ruth and Naomi. It has become immortalized through the scriptures and it will be referred to for thousands of years to come.

It was in Moab, where the scriptures introduce us to Ruth. Moab represents a culture that is steeped in idolatry, worshipping Chemosh, the fish god. Embedded in this culture was Ruth.

Her name means friend or companion

My central point in this exhortation is to reveal the way the Lord always expected us to build;

We need to read Ruth’s Declaration of Intent.

This model is often used for teaching spiritual sonship

Ruth 1:16-17

16 But Ruth said:

“Entreat me not to leave you, Or to turn back from following after you; For wherever you go, I will go; And wherever you lodge, I will lodge; Your people shall be my people, And your God, my God.

17 Where you die, I will die, And there will I be buried. The LORD do so to me, and more also, If anything but death parts you and me.”

Naomi tried her best to dissuade her two daughters in law to remain in Moab. The only reason Naomi is returning is that she heard that the Lord had visited His people and the economy was improving.

She said nothing after Ruth made this declaration of intent. She relented because she saw that Ruth was determined to go with her.

But Naomi did not reciprocate in words her response to this profound declaration.

There is a method to building that Jesus also introduced us to, that is contrary to modern day methods of church growth.

We understand that Naomi is a picture or representation of a church.

In her particular situation it is a church that has lost its father and its sons. It is a picture of desolation. It is a church that has experienced great tribulation. It finds itself in Moab, a country that is steeped in the worship of false gods. This swamp Moab had destroyed everything that she had ever had. All that she has is a Gentile woman from this culture by the name of Ruth…… this young woman would prove to be better than seven sons. The church of Naomi begins with the potential strength of seven strong sons.

It is no wonder that Naomi would say nothing to Ruth. Naomi must have heard all these beautiful promises in Moab over the years that come to nothing. She implements a new model of leadership. She would observe and evaluate Ruth according to her own declarations

This is leadership through scrutiny and evaluation.

I believe that this is something many of us have learned during this pandemic. We are able to focus on fellowship, prayers and breaking of bread with our families.

This is to build from what we have.

We must build with those that stand with you, the faithful remnant, the little flock

God is teaching us this principle through this pandemic.

Build strength in your own house whilst you are locked down.

Jesus used the same method to build.

Jesus made it very difficult for the 5000 to follow him.

He placed a demand upon them. He asked them to perform a piece of doctrine; they were unable to make a declaration of intent.

Jesus did not have the time to keep 5000 people entertained by performing signs and wonders every week like a magician ; there are weightier issues to deal with in the Kingdom than eating fish and bread or having barbecues every week.

We have to ensure that sons of God are fully invested in the Word of God. His Word that builds His nature in us so that it could be revealed as Light to a groaning, expectant creation.

The multitude is not zealous for life in the integrity of a Zion culture.

Jerusalém will be known as the City of truth.

There is a NEXT LEVEL which demands absolute covenanting

The translation of the words of Jesus “eat my body and drink my blood is …..

“Love me with all your heart, with all your soul, and with all your mind.’”

This is total and absolute devotion. There is no room here for any other gods or idols.

Building on the Rock Christ Jesus is building on His Word, His Doctrine, making demands on the congregation to perform the doctrine, to value, honor and prioritize the Word of God.

Although Naomi was speechless, I believe that throughout her journey back to Judah, Naomi was preoccupied with this thought “How can I bless this young woman? “

Naomi would have thought about Boaz long before they even got back to Bethlehem.

Who told Boaz?

Does it matter? Just remember this…..

God is not unjust to forget your work and labor of love which you have shown toward His name

Ruth 2:11-12

11 And Boaz answered and said to her, “It has been fully reported to me, all that you have done for your mother-in-law since the death of your husband, and how you have left your father and your mother and the land of your birth, and have come to a people whom you did not know before. 12 The LORD repay your work, and a full reward be given you by the LORD God of Israel, under whose wings you have come for refuge.”

There is a clear principle of representation in the words of Boaz (representation of Christ).

Boaz would be a blessing to Ruth; yet he would say that the Lord would repay Ruth

Boaz would provide a roof and a covering over Ruth; yet he would say that she is under the wings of the Lord God of Israel.

All this was possible, because Naomi, the one who said nothing to Ruth’s declaration of intent, quietly strategized Ruth’s victory and ultimate redemption in her marriage to Boaz (Christ). This, I believe is the primary assignment of all church leaders; it is to train, equip and facilitate the journey of those under our oversight to be ultimately positioned in Christ, our Tabernacle.

MELHOR DO QUE SETE FILHOS

(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

 

O Espírito Santo continua a revelar Sua vontade para nós através desta pandemia

 

Nossa sensibilidade à voz do Espírito foi grandemente aumentada durante este período de bloqueio

 

Uma das declarações mais citadas na Bíblia é entre Rute e Noemi. Tornou-se imortalizado pelas escrituras e será mencionado por milhares de anos vindouros.

 

Foi em Moabe, onde as escrituras nos apresentam Rute. Moabe representa uma cultura rica em idolatria, adorando Chemosh, o deus dos peixes. Incorporada a essa cultura estava Rute.

 

O nome dela significa amigo ou companheiro

 

Meu ponto central nesta exortação é revelar a maneira como o Senhor sempre esperou que construíssemos;

 

Precisamos ler a Declaração de Intenção de Rute.

 

Este modelo é frequentemente usado para ensinar filiação espiritual

 

Rute 1: 16-17

 

16 Rute, porém, respondeu:

 

“Não insistas comigo que te deixe e não mais a acompanhe. Aonde fores irei, onde ficares ficarei! O teu povo será o meu povo e o teu Deus será o meu Deus!

 

17 Onde morreres morrerei, e ali serei sepultada. Que o Senhor me castigue com todo o rigor, se outra coisa que não a morte me separar de ti! ”

 

Ela não disse nada depois que Rute fez essa declaração de intenção. Ela cedeu porque viu que Rute estava determinada a ir com ela.

 

Mas Noemi não retribuiu em palavras sua resposta a essa declaração profunda.

 

Existe um método para a construção que Jesus também nos apresentou, que é contrário aos métodos modernos de crescimento da igreja.

 

Entendemos que Noemi é uma figura ou representação de uma igreja.

 

Em sua situação particular, é uma igreja que perdeu seu pai e seus filhos. É uma imagem de desolação. É uma igreja que experimentou grande tribulação. Encontra-se em Moabe, um país mergulhado na adoração de deuses falsos. Esse pântano que Moabe havia destruído tudo que ela já tivera. Tudo o que ela tem é uma mulher gentia dessa cultura chamada Rute…… essa jovem viria a ser melhor do que sete filhos. A igreja de Noemi começa com a força potencial de sete filhos fortes.

 

Não é à toa que Noemi não disse nada a Rute. Noemi deve ter ouvido todas essas belas promessas em Moabe ao longo dos anos que não deram em nada. Ela implementa um novo modelo de liderança. Ela observava e avaliava Rute de acordo com suas próprias declarações

 

Isso é liderança através de uma pesquisa minuciosa e avaliação.

Acredito que isso é algo que muitos de nós aprendemos durante essa pandemia. Somos capazes de nos concentrar em ter comunhão, orações e partir o pão com nossa família.

 

Isso é construir a partir do que temos.

 

Devemos construir com aqueles que estão com você, o remanescente fiel, o pequeno rebanho

 

Deus está nos ensinando esse princípio por meio dessa pandemia.

 

Crie força em sua própria casa enquanto estiver trancado.

 

Jesus usou o mesmo método para construir.

 

Jesus tornou muito difícil para os 5000 segui-lo.

 

Ele fez uma exigência sobre eles. Ele pediu que eles realizassem um pedaço de doutrina; eles foram incapazes de fazer uma declaração de intenções.

 

Jesus não teve tempo para manter 5000 pessoas entretidas realizando sinais e maravilhas toda semana como um mágico; há questões mais importantes para tratar no Reino do que comer peixe e pão ou fazer churrascos toda semana.

 

Temos que garantir que os filhos de Deus sejam totalmente investidos na Palavra de Deus. Sua Palavra que constrói Sua natureza em nós para que possa ser revelada como Luz a uma criação que geme e espera.

 

A multidão não é zelosa pela vida na integridade de uma cultura de Sião.

 

Jerusalém será conhecida como a Cidade da verdade.

 

Existe um PRÓXIMO NÍVEL que exige convênios absolutos

 

A tradução das palavras de Jesus “coma meu corpo e beba meu sangue é… ..

 

“Ame-me com todo o seu coração, com toda a sua alma e com toda a sua mente.”

 

Isso é devoção total e absoluta. Não há espaço aqui para outros deuses ou ídolos.

 

Construindo sobre a rocha Cristo Jesus está construindo sobre Sua Palavra, Sua Doutrina, exigindo que a congregação cumpra a doutrina, valorize, honre e priorize a Palavra de Deus.

 

Embora Noemi tenha ficado sem palavras, acredito que, durante sua jornada de volta a Judá, Noemi estava preocupada com esse pensamento: “Como posso abençoar essa jovem? ”

 

Noemi pensaria em Boaz muito antes de eles voltarem a Belém.

 

Quem disse a Boaz?

 

Isso importa? Apenas lembre-se disso …

 

Deus não é injusto para esquecer o seu trabalho e trabalho de amor que você demonstrou em Seu nome

Rute 2: 11-12

 

11 Boaz respondeu: “Contaram-me tudo o que você tem feito por sua sogra, depois que você perdeu o marido: como deixou seu pai, sua mãe e sua terra natal para viver com um povo que pouco conhecia. 12 O Senhor lhe retribua o que você tem feito! Que você seja ricamente recompensada pelo Senhor, o Deus de Israel, sob cujas asas você veio buscar refúgio! ”

 

Existe um princípio claro de representação nas palavras de Boaz (representação de Cristo).

 

Boaz seria uma bênção para Rute; contudo, ele diria que o Senhor retribuiria Rute

 

Boaz forneceria um teto e uma cobertura sobre Rute; contudo, ele diria que ela está sob as asas do Senhor Deus de Israel.

 

Tudo isso foi possível, porque Noemi a pessoa que não disse nada à declaração de intenções de Rute, planejou silenciosamente a vitória e a redenção final de Rute em seu casamento com Boaz (Cristo). Creio que esta é a designação principal de todos os líderes da igreja; é treinar, equipar e facilitar a jornada daqueles que estão sob nossa supervisão, para finalmente serem posicionados em Cristo, nosso Tabernáculo.

Read Full Post »

This plague will test our faithfulness

Not only are lives being lost, many are falling away in their zeal for the Lord.

The God who was with us before this plague is the same God who is with us now; He is observing our faithfulness.

He will remain faithful even after the plague

He cannot be anything else, because He is called Faithful and True

He is Faithful and True to those who love Him and keep His commandments

This morning I would like to talk to you about the application of spiritual gifts. With every gift comes a weight of responsibility.

Yes, our gift will make room for us; it will prosper us; it will bring us into favor yet, there is a weight of responsibility attached to it.

We will talk about these responsibilities both in our interaction with believers and with those who are unsaved.

We marvel at the grace of Paul, when he engaged unsaved people.

In spite of Paul’s vast educational and religious background he was able to easily relate to the people that he engaged.

This is something that we are beginning to learn; it is my personal goal. I believe that this is one of the greatest challenges to the advancement of the message of the gospel.

Very often we tend to be like the disciples of Jesus who were astonished to find Jesus speaking to the Samaritan woman. Jesus never betrayed the integrity of his message while answering the woman’s questions.

However, this morning I would like us to study Paul’s writings in his letter to the believers in Corinth :

1 Corinthians 9:19-23

19 For though I am free from all men, I have made myself a servant to all, that I might win the more; 20 and to the Jews I became as a Jew, that I might win Jews; to those who are under the law, as under the law, that I might win those who are under the law; 21 to those who are without law, as without law (not being without law toward God, but under law toward Christ), that I might win those who are without law; 22 to the weak I became as weak, that I might win the weak. I have become all things to all men, that I might by all means save some. 23 Now this I do for the gospel’s sake, that I may be partaker of it with you.

Our status or reputation in the Kingdom should not be an impediment in our quest to take this message into unchartered territory.

Paul was able to do this, without compromising the integrity of his faith.

Paul was able to win in unchartered territory.

He had a very simple goal – to win, to bring in other sheep that are not of the fold

Paul engaged different groups of people. He declares :

To the Jews I became as a Jew

To those who are under the law, as under the law, that I might win those who are under the law;

(If you saw Paul with the Jews you may have thought he was a Jew). He may not have ordered bacon with his eggs for breakfast. He realized, although he was a free man, set free by Jesus Christ, that this would cause offense, and it would become an impediment to his mission to save.

He became as one with the Jews, because His passion to bring men to Christ was greater than manifesting a legalistic position.

He would deliberately avoid strife and contention in the presentation of the gospel to unbelievers – we are talking about UNCHARTERED TERRITORY

He avoided all offense, even having Timothy circumcised because Timothy’s father was a Greek, he did not want anything to impede the deliverance of his message. Bringing people to the Lord was his main objective and passion.

This was the same apostle who wrote to the Colossians :

Colossians 2:16

16 So let no one judge you in food or in drink, or regarding a festival or a new moon or sabbaths,

17 which are a shadow of things to come, but the substance is of Christ.

Paul desired growth in the Kingdom. This is important for us, because much of our growth comes from the horizontal movement of disgruntled believers.

1 Corinthians 9

22 to the weak I became as weak, that I might win the weak. I have become all things to all men, that I might by all means save some.

Paul held nothing back – he put everything on the line so that he could lead a few to the Lord. He presented himself as a weak apostle, to win those whose were weak …..

If there was anyone who could boast, it was Paul.

Paul, who was known as Saul was eminently qualified – Hebrew ancestry, tribe of Benjamin – son of Pharisees, who were fervent Jewish nationalists who strictly adhered to the Law of Moses. He guarded the laws against contamination from the Gentiles

At the age 13 Saul was sent to study under Gamaleil, where he mastered Jewish history, Psalms and the prophets, continued studying the scriptures, became a lawyer and was positioned for a seat on the Sanhedrin. He was considered to be a religious extremist

With this battery of qualifications, he chose to relate to the weak, to become as one of them.

We should not allow our gifts to hinder us from relating to those who are weak.

How does this apply to believers?

With every gift comes great responsibility.

As far as the five fold ministry is concerned, let us examine for a moment the purpose of the gift.

Ephesians 4:12-13

12 for the equipping of the saints for the work of ministry, for the edifying of the body of Christ, 13 till we all come to the unity of the faith and of the knowledge of the Son of God, to a perfect man, to the measure of the stature of the fullness of Christ;

This would be the purpose of the gift.

Equipping, Perfecting, edifying, the process of building

All these words denote construction and the process of the development of the believer.

Gifts must contribute to the construction of Christ in us.

We should not use our gift to discredit those who are legitimate overseers of households and families

We should project our gift to defraud and dismantle legitimate wine skins.

Let us learn from Daniel.

Daniel did not exalt his gift to destroy the wise men of Babylon. Daniel did not flaunt his gift to demonstrate his superiority to discredit the depth of revelation of the wise men of Babylon.

He referred the king of Babylon to the God in heaven.

Daniel 2:27-28

27 Daniel answered in the presence of the king, and said, “The secret which the king has demanded, the wise men, the astrologers, the magicians, and the soothsayers cannot declare to the king. 28 But there is a God in heaven who reveals secrets, and He has made known to King Nebuchadnezzar what will be in the latter days. Your dream, and the visions of your head upon your bed, were these:

The same thing with Joseph. He was asked to interpret the dream of Pharaoh. Joseph declared “It is not in me”, God will give Pharaoh the answer.

Genesis 41:16

16 So Joseph answered Pharaoh, saying, “It is not in me; God will give Pharaoh an answer of peace.”

Restrain people from worshipping the gift. The gift cannot outrank the father of a household. If we pursue this belief, we will be guilty of leading people into idolatry.

PAUL AND BARNABAS WILL HAVE NOTHING TO DO WITH IDOLATRY

Barnabas may be a son of encouragement, but he will not endorse or encourage idolatry or their personal deification by the sensuous people of Lystra.

When the people deified these two apostles, they ran into the multitude and tore their clothes. This is an expression of grief and anger in the face of death

LISTEN TO THE APOSTOLIC RESPONSE

Acts 14:14-15

14 But when the apostles Barnabas and Paul heard this, they tore their clothes and ran in among the multitude, crying out 15 and saying, “Men, why are you doing these things? We also are men with the same nature as you, and preach to you that you should turn from these useless things to the living God, who made the heaven, the earth, the sea, and all things that are in them

Paul is passionately imploring the people . He declares that the gods of Lystra are useless and worthless. Before we build and plant, we have to dismantle and clear the field of our heart of every idolatrous altar.

The culture of worship of the Greek-Roman world was steeped in idolatry. Paul called them useless or worthless things. He stood before them and declared their gods to be useless.

Here are some of the deities :

Tychos, the god of luck

Asclepius, the god of healing

Artemis, the goddess of childbirth

Hermes -Greek God of Trade, thieves, travelers, sports, athletes, border crossings, Eloquence and Messenger of the Gods

Zeús – Greek God of sky and thunder

Why worship at the feet of the god Asclepius, the god of healing, when this God cannot help the man who is lame. This molded, brazen image has no power to deliver.

Paul implored the people to from these useless things and come to Christ, the Living God.

PAUL USED HIS GIFT FOR THE PURPOSE OF SALVATION

Paul warns that failure to use our gifts to build Christ will see a counter culture that would emerge –

We will be like children, tossed to and fro and carried about with every wind of doctrine, by the trickery of men, in the cunning craftiness of deceitful plotting. Until we use our gifts for the construction of a “Christ culture” we will forever be vulnerable to cunning craftiness and deceitful plotting.

OS DONS ESPIRITUAIS VEM COM RESPONSABILIDADE

(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

 

Essa praga testará nossa fidelidade.

 

Não apenas as vidas estão sendo perdidas, muitas estão caindo em zelo pelo Senhor.

 

O Deus que estava conosco antes desta praga é o mesmo Deus que está conosco agora; Ele está observando nossa fidelidade.

 

Ele permanecerá fiel mesmo após a praga.

 

Ele não pode ser outra coisa, porque é chamado de Fiel e Verdadeiro.

 

Ele é fiel e fiel àqueles que O amam e guardam Seus mandamentos.

 

Hoje de manhã, gostaria de falar sobre a aplicação dos dons espirituais. Com todo dom vem um peso de responsabilidade.

 

Sim, nosso dom abrirá espaço para nós; nos prosperará; ainda nos trará favor; há um peso de responsabilidade associado a ele.

 

Falaremos sobre essas responsabilidades, tanto em nossa interação com os crentes quanto com aqueles que não são salvos.

 

Maravilhamo-nos com a graça de Paulo, quando ele envolveu pessoas não-salvas.

 

Apesar da vasta formação educacional e religiosa de Paulo, ele conseguiu se relacionar facilmente com as pessoas que ele envolveu.

 

Isso é algo que estamos começando a aprender; é meu objetivo pessoal. Creio que este é um dos maiores desafios para o avanço da mensagem do evangelho.

 

Muitas vezes, tendemos a ser como os discípulos de Jesus que ficaram surpresos ao encontrar Jesus falando com a mulher samaritana. Jesus nunca traiu a integridade de sua mensagem enquanto respondia às perguntas da mulher.

 

No entanto, nesta manhã, gostaria que estudássemos os escritos de Paulo em sua carta aos crentes em Corinto:

 

1 Coríntios 9: 19 Porque, embora eu seja livre de todos os homens, fiz-me servo de todos, para eu poder ganhar mais. 20 E aos judeus tornei-me como judeu, para que eu pudesse ganhar os judeus; aos que estão sob a lei, como se estivesse sob da lei, para que eu pudesse ganhar os que estão sob a lei; 21 para os que estão sem lei, como se estivera sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para que eu pudesse ganhar os que estão sem lei. 22 Aos fracos tornei-me como fraco, para que eu pudesse ganhar os fracos. Fiz-me todas as coisas para todos os homens, para que eu pudesse por todos os meios salvar alguns. 23 E isso eu faço por causa do evangelho, para que eu possa ser participante dele convosco.

 

Nosso status ou reputação no Reino não deve ser um impedimento em nossa busca para levar esta mensagem a um território desconhecido.

Paulo foi capaz de fazer isso, sem comprometer a integridade de sua fé.

 

Paulo conseguiu vencer em território desconhecido.

 

Ele tinha um objetivo muito simples: para vencer, trazer outras ovelhas que não são do aprisco.

Paulo envolveu diferentes grupos de pessoas. Ele declara:

 

Para os judeus eu me tornei judeu.

 

Para aqueles que estão sob a lei, como sob a lei, que eu possa ganhar aqueles que estão sob a lei;

 

(Se você viu Paulo com os judeus, pode ter pensado que ele era judeu). Ele pode não ter pedido bacon com seus ovos no café da manhã. Ele percebeu, embora fosse um homem livre, libertado por Jesus Cristo, que isso causaria ofensa e se tornaria um impedimento para sua missão de salvar.

 

Ele se tornou um com os judeus, porque Sua paixão por levar homens a Cristo era maior do que manifestar uma posição legalista.

 

Ele evitaria deliberadamente contendas e contendas na apresentação do evangelho aos incrédulos – estamos falando sobre TERRITÓRIO DESCONHECIDO.

 

Ele evitou toda ofensa, mesmo tendo Timóteo circuncidado porque o pai de Timóteo era grego, ele não queria que nada impedisse a entrega de sua mensagem. Trazer pessoas ao Senhor era seu principal objetivo e paixão.

 

Este foi o mesmo apóstolo que escreveu aos colossenses:

 

Colossenses 2:16 Portanto,nenhum homem vos julgue pelo alimento, ou pela bebida, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos shabats; 17 que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.

 

Paulo desejou crescimento no Reino. Isso é importante para nós, porque grande parte do nosso crescimento vem do movimento horizontal de crentes descontentes.

 

1 Coríntios 9:22 Aos fracos tornei-me como fraco, para que eu pudesse ganhar os fracos. Fiz-me todas as coisas para todos os homens, para que eu pudesse por todos os meios salvar alguns.

 

Paulo não escondeu nada – colocou tudo em risco para que ele pudesse levar alguns ao Senhor. Ele se apresentou como um apóstolo fraco, para vencer aqueles que eram fracos …

 

Se havia alguém que poderia se gabar, era Paulo.

 

Paulo, que era conhecido como Saul, era eminentemente qualificado – ascendência hebraica, tribo de Benjamim – filho de fariseus, que eram nacionalistas judeus fervorosos que aderiam estritamente à lei de Moisés. Ele guardou as leis contra a contaminação dos gentios.

 

Aos 13 anos, Saulo foi enviado para estudar sob a instrução Gamaliel, onde dominou a história judaica, os Salmos e os profetas, continuaram estudando as escrituras, tornou-se advogado e foi posicionado para um assento no Sinédrio. Ele era considerado um extremista religioso

 

Com essa bateria de qualificações, ele escolheu se relacionar com os fracos, tornar-se um deles.

 

Não devemos permitir que nossos dons nos impeçam de nos relacionarmos com aqueles que são fracos.

 

Como isso se aplica aos crentes?

 

Com todo dom vem uma grande responsabilidade.

 

No que diz respeito ao ministério quíntuplo, vamos examinar por um momento o propósito do presente.

 

Efésios 4:12 para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, 13 até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura da plenitude de Cristo;

 

Este seria o objetivo no presente.

Equipar, aperfeiçoar, edificar, o processo de construção.

 Todas essas palavras denotam construção e o processo de desenvolvimento do crente.

 

Os presentes devem contribuir para a construção de Cristo em nós.

 Não devemos usar nosso dom para desacreditar aqueles que são superintendentes legítimos de lares e famílias.

 

Deveríamos projetar nosso presente para fraudar e desmontar os odres legítimos.

 

Vamos aprender com Daniel.

 

Daniel não exaltou seu dom para destruir os sábios da Babilônia. Daniel não ostentou seu dom para demonstrar sua superioridade para desacreditar a profundidade da revelação dos sábios da Babilônia.

 

Ele se referiu ao rei da Babilônia para Deus no céu.

 

Daniel 2: 27 Daniel respondeu na presença do rei, e disse: O segredo que o rei exigiu não podem os homens sábios, os astrólogos, os magos e os adivinhos mostrar ao rei; 28porém há um Deus no céu que revela segredos, e dá a conhecer ao rei Nabucodonosor o que acontecerá nos últimos dias. O teu sonho e as visões de tua cabeça sobre tua cama são estes:

 

O mesmo com José. Ele foi convidado a interpretar o sonho do faraó. José declarou: “Não está em mim”, Deus dará a resposta ao Faraó.

Gênesis 41:16 E José respondeu a Faraó, dizendo: Não está em mim; Deus dará a Faraó uma resposta de paz.

 

Impeça as pessoas de adorarem o presente. O presente não pode superar o pai de uma família. Se seguirmos essa crença, seremos culpados de levar as pessoas à idolatria.

 

PAULO E BARNABÉ NÃO TERÃO RELAÇÃO COM A IDOLATRIA

 

Barnabé pode ser um filho de encorajamento, mas ele não endossará ou incentivará a idolatria ou sua deificação pessoal pelas pessoas sensuais de Listra.

 

Quando o povo comparou a deuses esses dois apóstolos, eles se depararam com a multidão e rasgaram suas roupas. Esta é uma expressão de pesar e raiva diante da morte.

 

OUVIR A RESPOSTA APOSTÓLICA

 

Atos 14:14 Mas quando os apóstolos Barnabé e Paulo ouviram-no, eles rasgaram as suas vestes e correram para o meio da multidão, gritando,15 e dizendo: Senhores, por que fazeis essas coisas? Nós também somos homens de paixões semelhantes como vós, e vos pregamos que vos convertais dessas vaidades ao Deus vivo, que fez o céu, e a terra, e o mar, e todas as coisas que neles há;

 

Paulo implora apaixonadamente o povo. Ele declara que os deuses de Listra são inúteis e indígnos. Antes de construir e plantar, temos que desmontar e limpar o campo do nosso coração de todo altar idólatra.

 

A cultura de adoração do mundo greco-romano estava mergulhada na idolatria. Paulo os chamou de coisas inúteis ou sem valor. Ele ficou diante deles e declarou que seus deuses eram inúteis.

 

Aqui estão algumas das divindades:

 

Tychos, o deus da sorte.

 

Asclepius, o deus da cura.

 

Ártemis, a deusa do parto.

 

Hermes – deus do comércio grego, ladrões, viajantes, esportes, atletas, passagens de fronteira, eloquência e mensageiro dos deuses.

 

Zeus – Deus grego do céu e do trovão.

 

Por que adorar aos pés do deus Asclepius, o deus da cura, quando este deus não pode ajudar o homem que é coxo? Essa imagem moldada e descarada não tem poder para oferecer.

 

Paulo implorou ao povo que, por essas coisas inúteis, viesse a Cristo, o Deus vivo.

 

PAULO USADO SEU PRESENTE PARA FINS DE SALVAÇÃO

 

Paulo adverte que o fracasso em usar nossos dons para construir Cristo verá uma contracultura que surgiria:

 

Seremos como crianças, jogadas de um lado para o outro e carregadas com todo vento de doutrina, pelas artimanhas dos homens, na astúcia de conspirações enganosas. Até que usemos nossos dons para a construção de uma “cultura de Cristo”, estaremos para sempre vulneráveis à astúcia e conspirações enganosas.

Read Full Post »

I would like to show you how God would prepare His chosen vessels for the highest offices in leadership. This is not meant to be a leadership model for the church. The Bible is not a playbook or a dramatic script for the Church.

My impartation this morning is a honest attempt to get a glimpse into the ways of God concerning preparing His servants for specific, difficult and challenging assignments.

We would find a great disparity between His ways and our ways that we generally implement.

There is a human tendency and inclination to follow a pre-planned, pre-determined route to a preferred destiny or destination.

Many of us have planned and structured our lives to such great detail that we have locked God completely out of our plans. We give God no opportunity to weave His supernatural designs and His Divine strategies in giving direction in our journey towards the place of His perfect will for our lives.

We may think that we are trailblazers and successful; but the question is this …..

Are we functioning in the perfect will of God?

God must be allowed to be the GPS in our journey towards our destiny. God knows the end of the thing.

In my own personal experience, I have found this to be very difficult to achieve; it is much easier than said than done. Like most individuals we like to get every detail and plan in place and in perfect order as we strive for the highest standards of excellence in all things.

However, if we examine Joseph’s training and development, in the eyes of the natural man he appeared to be failing at every step in his journey; he appeared to be making poor decisions. While our natural eyes would behold Joseph in a state of weakness, God in fact was in perfect control of the his life and the attendant challenges.

Proverbs 16:9

9 A man’s heart plans his way, But the LORD directs his steps.

The caravan of Ishmaelites is God’s chosen vehicle that would rescue Joseph and position him on the path towards his destiny in Egypt.

As a patriarch of Israel, it is unthinkable that Jacob would have thought of a radical strategy like this; Jacob does not know the end game for his beloved son, but God knew exactly the office that He was preparing for Joseph. The young man needed training and development.

Jacob would have rather died than allow his son, a son that he loved dearly, to fall into slavery into the service of the Ishmaelites. It is unimaginable, from a human perspective, to align oneself to the reality that the great grandson of Abraham would serve the Ishmaelites as a slave; we recall that it was Sarah who influenced Abraham to put Hagar and Ishmael out of the house and the estate of Abraham

Yet serving the Egyptians was central to God’s plans; do not expect to rule a nation that you have not served.

God would allow the hands of the Ishmaelites, also the seed from the loins of Abraham, to rescue Joseph from a place of certain death.

Remember Jesus did not come to be served; He came to serve

Joseph was destined to be ruler in Egypt; this destiny was realised through serving the nation of Egypt

It is a challenge to rule where we have not served.

Egypt represents the world. This principle is equally applicable to those who serve in secular fields. Promotion is commensurate with service to ruling authorities. This does not mean compromising our faith in the Lord.

We must embrace the reality that the whole earth, including Egypt belongs to God

Jesus would say :

John 17:15

15 I do not pray that You should take them out of the world, but that You should keep them from the evil one.

Our God is sovereign. He orders the steps of the righteous.

When Joseph was a young man it was revealed to Joseph in a dream that he would have great influence and authority over his brothers and even his parents; that they would bow down to him.

Although this was a wonderful revelation to the young man, how he would get to this position of leadership and authority would be directed by God. This is clear when we see that the grace configuration in Joseph caused him to obtain the favor of God in every step of the way towards his destiny.

This is a clear sign that although we may have been alienated by our brothers, God has chosen to remain with us, because He has called us for a Higher purpose.

Critical to the young man’s training and development were a variety of trials that God would place in his path to prepare him for leadership. Joseph’s destiny was rulership and governance of Egypt. The intensity of his trials would be commensurate with the weight of the responsibilities of his office. How does one man be able to govern the varied, competing interests of millions of Egyptians?

God’s method of training for this specific assignment did not require a person to hold any academic credentials. God’s tests for Joseph were practical and seriously tested his integrity.

This assignment requires uncommon, abundant grace, wisdom and discernment that is produced in the furnace of affliction.

Pharaoh himself declared :

Genesis 41:38

38 And Pharaoh said to his servants, “Can we find such a one as this, a man in whom is the Spirit of God?”

To arrive at his office of rulership, he needed to overcome these challenges.

• Betrayal by his brothers – his own flesh and blood

• Physical separation from his father that he loved and whom the father loved greatly

• Separation from the coat of many colors that intimidated his brothers

• He had to deal with the psychological trauma of realising that his brothers cast him into a pit to die

• Embrace the hand of the Ishmaelites who saved him from death in the pit

• Function as a slave in the house of Potiphar

• Imprisoned because of a spurious allegation from his master’s wife,

What strengthened Joseph was knowing that God was with him. Every test brought Joseph closer to his destiny. Joseph may have thought that God was constantly changing the goalposts. He could be forgiven for not seeing the difference in progress between the pit and the prison as both were places of confinement,

This was the prophecy of Jacob concerning his son Joseph.

Genesis 49:22-26

22 “Joseph is a fruitful bough, A fruitful bough by a well; His branches run over the wall. 23 The archers have bitterly grieved him, Shot at him and hated him.

24 But his bow remained in strength, And the arms of his hands were made strong by the hands of the Mighty God of Jacob (From there is the Shepherd, the Stone of Israel), 25 By the God of your father who will help you, And by the Almighty who will bless you with blessings of heaven above, blessings of the deep that lies beneath, blessings of the breasts and of the womb.

26 The blessings of your father have excelled the blessings of my ancestors, up to the utmost bound of the everlasting hills. They shall be on the head of Joseph, and on the crown of the head of him who was separate from his brothers.

The trial that was mentioned by his father was his ability to remain in strength, although archers have bitterly grieved him, shot at him and hated him. This was the commendation of Jacob concerning his son. Jacob discerned that it was the “Mighty God of Jacob” that imparted strength to Joseph; that in the physical absence of Jacob in his life, God had done a marvellous work with his beloved son.

I would like to encourage all of you who may presently be experiencing a variety of trials. God has our successful finish in mind. The end will be better than the beginning. Let us embrace the testing!

James 1

2 My brethren, count it all joy when you fall into various trials,

3 knowing that the testing of your faith produces patience. 4 But let patience have its perfect work, that you may be perfect and complete, lacking nothing.

Testes extremos para governança

(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

Gostaria de mostrar como Deus prepararia Seus vasos escolhidos para os mais altos cargos de liderança. Isso não pretende ser um modelo de liderança para a igreja. A Bíblia não é um manual ou um roteiro dramático para a Igreja.

Minha comunicação nesta manhã é uma tentativa honesta de vislumbrar os caminhos de Deus relativos à preparação de Seus servos para designações específicas, difíceis e desafiadoras.

Encontraríamos uma grande disparidade entre os Seus caminhos e os nossos caminhos que geralmente implementamos.

Existe uma tendência e uma inclinação humanas para seguir uma rota pré planejada e pré determinada para um destino ou destino preferido.

Muitos de nós planejamos e estruturamos nossas vidas com tantos detalhes que impedimos Deus completamente de nossos planos. Não damos a Deus oportunidade de tecer Seus desígnios sobrenaturais e Suas estratégias Divinas para orientar nossa jornada em direção ao lugar de Sua perfeita vontade para nossas vidas.

Podemos pensar que somos pioneiros e bem-sucedidos; mas a questão é essa …Estamos trabalhando na perfeita vontade de Deus?

Deus deve ter permissão para ser o GPS em nossa jornada em direção ao nosso destino. Deus sabe o fim da coisa.

Na minha própria experiência pessoal, achei isso muito difícil de conseguir; é muito mais fácil do que dizer do que fazer. Como a maioria das pessoas, gostamos de colocar todos os detalhes e planos no lugar e em perfeita ordem, enquanto lutamos pelos mais altos padrões de excelência em todas as coisas.

No entanto, se examinarmos o treinamento e o desenvolvimento de José, aos olhos do homem natural, ele parecia falhar a cada passo de sua jornada; ele parecia estar tomando más decisões. Enquanto nossos olhos naturais contemplariam José em um estado de fraqueza, Deus de fato estava no controle perfeito de sua vida e dos desafios que os acompanhavam.

Provérbios 16

9 O coração do homem planeja o seu caminho, mas o Senhor direciona os seus passos.

A caravana dos ismaelitas é o veículo escolhido por Deus que resgataria José e o colocaria no caminho rumo ao seu destino no Egito.

Como patriarca de Israel, é impensável que Jacó tenha pensado em uma estratégia radical como essa; Jacó não conhece o jogo final para seu amado filho, mas Deus sabia exatamente o ofício que estava preparando para José. O jovem precisava de treinamento e desenvolvimento.

Jacó preferiria morrer a permitir que seu filho, um filho que ele amava profundamente, caísse em escravidão a serviço dos ismaelitas. É inimaginável, do ponto de vista humano, alinhar-se à realidade de que o bisneto de Abraão serviria os ismaelitas como escravo; Lembramos que foi Sara quem influenciou Abraão a tirar Hagar e Ismael da casa e da propriedade de Abraão.

No entanto, servir aos egípcios era essencial para os planos de Deus; não espere governar uma nação que você não serviu.

Deus permitiria que as mãos dos ismaelitas, também a semente dos lombos de Abraão, resgatassem José de um lugar de certa morte.

Lembre-se de que Jesus não veio para ser servido; Ele veio para servir José estava destinado a ser governante no Egito; este destino foi realizado através do serviço à nação do Egito

É um desafio governar onde não servimos.

O Egito representa o mundo. Este princípio é igualmente aplicável àqueles que servem em campos seculares. A promoção é proporcional ao serviço prestado às autoridades. Isso não significa comprometer nossa fé no Senhor.

 Devemos abraçar a realidade de que toda a terra, incluindo o Egito, pertence a Deus

Jesus diria:

João 17

15 Eu não oro para que tu os tires do mundo, mas que tu os guardes do mal.

Nosso Deus é soberano. Ele ordena os passos dos justos. Quando José era jovem, foi revelado em um sonho que ele teria grande influência e autoridade sobre seus irmãos e até mesmo seus pais; que eles se curvariam a ele.

Embora essa fosse uma revelação maravilhosa para o jovem, como ele chegaria a essa posição de liderança e autoridade seria dirigido por Deus. Isso fica claro quando vemos que a configuração da graça em José fez com que ele obtivesse o favor de Deus em cada passo do caminho em direção ao seu destino.

Este é um sinal claro de que, embora possamos ter sido alienados por nossos irmãos, Deus escolheu permanecer conosco, porque nos chamou para um propósito mais elevado.

Críticas ao treinamento e desenvolvimento do jovem foram várias provações que Deus colocaria em seu caminho para prepará-lo para a liderança. O destino de José era o governo e o governo do Egito. A intensidade de suas provações seria proporcional ao peso das responsabilidades de seu cargo. Como um homem é capaz de governar os variados interesses concorrentes de milhões de egípcios?

O método de treinamento de Deus para esta tarefa específica não exigia que uma pessoa tivesse credenciais acadêmicas. Os testes de Deus para José foram práticos e testaram seriamente sua integridade.

Essa designação requer graça incomum e abundante, sabedoria e discernimento produzidos na fornalha da aflição.

O próprio Faraó declarou:

Gênesis 41:38 E Faraó disse a seus servos: Acharemos alguém como este, um homem em quem está o Espírito de Deus?

Para chegar ao seu cargo de governante, ele precisava superar esses desafios. Traição de seus irmãos – sua própria carne e sangue

• Separação física de seu pai que ele amava e a quem ele amava muito

• Separação da túnica de muitas cores que intimidou seus irmãos

• Ele teve que lidar com o trauma psicológico de perceber que seus irmãos o lançaram em um poço para morrer

• Segurar a mão dos ismaelitas que o salvaram da morte no poço

• Trabalhar como escravo na casa de Potifar

• Preso por causa de uma alegação espúria da esposa de seu mestre

O que fortaleceu José foi saber que Deus estava com ele. Cada teste aproximava José de seu destino. José pode ter pensado que Deus estava constantemente mudando as metas. Ele poderia ser perdoado por não ver a diferença em andamento entre o poço e a prisão, pois ambos eram locais de confinamento.

Esta foi a profecia de Jacó a respeito de seu filho José.

Gênesis 49

22 José é um ramo frutífero, um ramo frutífero junto à fonte, cujos ramos correm sobre o muro. 23 Os arqueiros o amarguraram, e atiraram nele, e o odiaram, 24 mas o seu arco habitou na força, e os braços das suas mãos foram fortalecidos pelas mãos do Deus poderoso de Jacó; (de lá é o pastor, a rocha de Israel), 25 pelo Deus de teu pai, que te ajudará, e pelo Todo-poderoso, que te abençoará com bênçãos do céu acima, bênçãos da profundeza que está abaixo, bênçãos dos peitos e do útero. 26 As bênçãos de teu pai prevalecerão sobre as bênçãos dos meus progenitores, até os últimos limites das colinas eternas. Elas estarão sobre a cabeça de José, e na coroa da cabeça daquele que esteve separado de seus irmãos.

O julgamento mencionado por seu pai foi sua capacidade de permanecer efortalecido, embora os arqueiros o tenham afligido amargamente, disparado contra ele e odiado. Este foi o elogio de Jacó a respeito de seu filho. Jacó discerniu que era o “poderoso Deus de Jacó” que dava força a José; que na ausência física de Jacó em sua vida, Deus havia feito um trabalho maravilhoso com seu amado filho.

Gostaria de encorajar todos vocês que atualmente estão passando por uma variedade de testes. Deus tem em mente o nosso sucesso final. O fim será melhor que o começo. Vamos abraçar o teste!

Tiago 1

2 Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, 

3 sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; 

 

Read Full Post »

« Newer Posts - Older Posts »