Feeds:
Posts
Comments

Archive for August, 2021

The prophet Isaiah was called by God in a cataclysmic demonstration of the literal awesome majesty and splendour of His Presence.

This Divine visitation caused a total meltdown in Isaiah and caused him to do an instant introspection of his spiritual condition and pronounce his own uncleanness and the uncleanness of the people among whom he dwelt.

Isaiah made a significant prophesy that is noteworthy : that before the manifestation of Christ and His Kingdom on the earth, God will judge the idolatry and apostasy of His people, and that He would allow the Assyrians as His chosen instrument to inflict His judgement upon them in order to bring His people back to Him; just as He allowed the Medianites to torment His people.

Even as we are presently declaring the protocols of the Kingdom of God and we earnestly seek the manifestation of a Kingdom culture – the scriptures declare that God will engage in a purging of foreign ideologies and technologies that are counter productive to the manifestation of a culture that emerges from the Word of God.

Like with the prophet Jeremiah, there has to be a rooting out and a pulling down, a destruction and throwing down of patterns that present a barrier to the manifestation of a Godly culture.

Isaiah 7:13 Then he said, “Hear now, O house of David! Is it a small thing for you to weary men, but will you weary my God also? 14 Therefore the Lord Himself will give you a sign: Behold, the virgin shall conceive and bear a Son, and shall call His name Immanuel. 15 Curds and honey He shall eat, that He may know to refuse the evil and choose the good. 16 For before the Child shall know to refuse the evil and choose the good, the land that you dread will be forsaken by both her kings. 17 The LORD will bring the king of Assyria upon you and your people and your father’s house—days that have not come since the day that Ephraim departed from Judah.”

Isaiah 10:1111 As I have done to Samaria and her idols, Shall I not do also to Jerusalem and her idols?’ ”

THIS IS VERY IMPORTANT TO NOTE

Although the Assyrians were the “chosen instrument by God to discipline and punish His apostate people, the Assyrians must not forget that God will judge the excesses of the arrogance and the brutality of the Assyrian regime. The fruit of the arrogance of the Assyrian heart is public bullying, scorning, mocking, insulting, threatening, ridicule and the humiliation of God’s people (2 Kings 18:19-35)

Isaiah was clear when he declared this :

Isaiah 10:12 Therefore it shall come to pass, when the Lord has performed all His work on Mount Zion and on Jerusalem, that He will say, “I will punish the fruit of the arrogant heart of the king of Assyria, and the glory of his haughty looks.”

When God’s people are subject to brutal and humiliating treatment, do not expect God to remain silent; more importantly, do not expect His spokesman Isaiah to remain silent.

Isaiah was God’s chosen conduit to carry instructions to God’s people at that point in history.

We must firstly understand the nature of God’s covenant with His people. God dwells in and among His people. Believers are required to worship Him and obey the laws and commands that He has given us through His Word. The benefits of remaining faithful to this covenant would include among others, security, peace and prosperity. God is committed to maintaining the integrity of His side of the covenant.

Listen to the lamentation of Isaiah concerning the state of the relationship between the people and God :

Isaiah 24:5 The earth is also defiled under its inhabitants, Because they have transgressed the laws, Changed the ordinance, Broken the everlasting covenant. 6 Therefore the curse has devoured the earth, And those who dwell in it are desolate. Therefore the inhabitants of the earth are burned, And few men are left.

The Assyrians, having conquered Israel and the outlying fortified cities of Judah, are now positioned at the door of Judah. This situation is the consequence of being unfaithful in keeping Divine agreements and the Law.

Instead of repentance and turning their hearts from their wicked ways back to the demands of the Word of God, the people of God sought alternative alliances, not sanctioned by God, as places of refuge.

In doing this God’s people are guilty of allowing the leaven of foreign alternative ideologies to infiltrate the culture of God’s people. Remember that the Assyrian people and their kings have an unshakeable covenant with their god Assur, the god of war. * I strongly recommend a study of the worship of this god Assur

Although we determined that God was the One responsible for allowing the Assyrian invasion, the Assyrians must be very careful not to push God’s people beyond their ability to endure. God’s testings, when lessons are learned, are always followed by reconciliation and restoration. The Assyrians do not know this. They are oblivious to the fact that it is the God of Israel who is the architect of this invasion.

Please understand that when we refer to God’s laws, we refer to God’s Word

Isaiah prophesied ……. For out of Zion shall go forth the law, And the word of the LORD from Jerusalem.

Obedience to God’s laws attracts His Divine protection. Also concerning the natural, Paul would say that rulers are not a terror to good works. Recently during the civil unrest, at the height of all the looting and violence and murders, the people were demanding law and order; they demanded urgent and immediate police and military intervention.

We should not clamor for Law and order only during crises; it must be factored into our culture; in fact the Word of God (Jesus) must be the firm foundation of our culture.

We see current events unfold in Afghanistan where the country has been captured by the Taliban. After the terrorist attacks against the US in 9/11, the government of Afghanistan and its infrastructure was provided security by NATO troops and the Allied Forces. When the foreign governments entered into agreements to withdraw their troops in May this year, the security of the nation was compromised and the beleaguered nation became vulnerable to a take over.

The absence of our adherence to laws, commands, statutes and ordinances will also place God’s people in a position of great vulnerability.

These principles apply to anything we may be building. Careers, family, ministry, business, etc. Isaiah lamented that there are a “few men left”. This is representative of the remnant of God’s people who, whilst functioning in the midst of an “uncleanness/worldly culture”, they choose to steadfastly be wholly reliant and dependant on God and His Word for their survival because their lips have been touched by a “burning coal” that has removed their iniquities and purged their sins.

The “few men” that Isaiah speaks about have today grown into a first fruit company.

TRADUÇÃO PORTUGUESA
(Traduzido pelo Pastor Rafael Nogueira)

Conversas na Estrada para Fullers Field – Parte 3

O profeta Isaías foi chamado por Deus em uma demonstração cataclísmica da impressionante majestade e esplendor literal de Sua Presença.

Esta visitação divina causou um colapso total em Isaías e fez com que ele fizesse uma introspecção instantânea de sua condição espiritual e declarasse sua própria impureza e a impureza das pessoas entre as quais ele morava.

Isaías fez uma profecia significativa que é digna de nota: que antes da manifestação de Cristo e Seu Reino na terra, Deus julgará a idolatria e apostasia de Seu povo, e que Ele permitirá que os assírios como Seu instrumento escolhido infligam Seu julgamento sobre eles a fim de trazer Seu povo de volta a Ele; assim como Ele permitiu que os midianitas atormentassem Seu povo.

Mesmo enquanto estamos atualmente declarando os protocolos do Reino de Deus e buscamos sinceramente a manifestação de uma cultura do Reino – as escrituras declaram que Deus se envolverá na purificação de ideologias e tecnologias estrangeiras que são contraproducentes para a manifestação de uma cultura que emerge da Palavra de Deus.

Como com o profeta Jeremias, deve haver um arrancamento e uma derrubada, uma destruição e derrubada de padrões que apresentam uma barreira para a manifestação de uma cultura piedosa.

Isaías 7:13-17 Disse então Isaías: “Ouçam agora, descendentes de Davi! Não basta abusarem da paciência dos homens? Também vão abusar da paciência do meu Deus?

Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel. Ele comerá coalhada e mel até a idade em que saiba rejeitar o erro e escolher o que é certo. Mas antes que o menino saiba rejeitar o erro e escolher o que é certo, a terra dos dois reis que você teme ficará deserta. O Senhor trará o rei da Assíria sobre você e sobre o seu povo e sobre a descendência de seu pai. Serão dias como nunca houve, desde que Efraim se separou de Judá”.

Isaías 10:11 eu tratarei Jerusalém e suas imagens como tratei Samaria e seus ídolos’ “.

ISTO É MUITO IMPORTANTE OBSERVAR

Embora os assírios tenham sido o “instrumento escolhido por Deus para disciplinar e punir Seu povo apóstata”, os assírios não devem esquecer que Deus julgará os excessos da arrogância e da brutalidade do regime assírio. O fruto da arrogância do coração assírio é o bullying público, o escárnio, a zombaria, o insulto, a ameaça, o ridículo e a humilhação do povo de Deus (2 Reis 18:19-35).

Isaías foi claro quando declarou o seguinte:

Isaías 10:12 Quando o Senhor terminar toda a sua obra contra o monte Sião e contra Jerusalém, ele dirá: “Castigarei o rei da Assíria pelo orgulho obstinado de seu coração e pelo seu olhar arrogante.

Quando o povo de Deus está sujeito a um tratamento brutal e humilhante, não espere que Deus permaneça em silêncio; mais importante, não espere que Seu porta-voz Isaías permaneça em silêncio.

Isaías foi o canal escolhido por Deus para levar instruções ao povo de Deus naquele ponto da história.

Devemos primeiro entender a natureza da aliança de Deus com Seu povo. Deus habita em e entre Seu povo. Os crentes devem adorá-Lo e obedecer às leis e mandamentos que Ele nos deu por meio de Sua Palavra. Os benefícios de permanecer fiel a esta aliança incluiriam, entre outros, segurança, paz e prosperidade. Deus está comprometido em manter a integridade de Seu lado da aliança.

Ouça a lamentação de Isaías sobre o estado da relação entre o povo e Deus:

Isaías 24:5-6 Na verdade, a terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos e quebram a aliança eterna. Por isso, a maldição consome a terra, e os que habitam nela serão desolados; por isso, serão queimados os moradores da terra, e poucos homens restarão.

Os assírios, tendo conquistado Israel e as cidades fortificadas de Judá, agora estão posicionados às portas de Judá. Esta situação é consequência de ser infiel em guardar os acordos divinos e a lei.

Em vez de se arrepender e voltar seus corações de seus caminhos perversos de volta às exigências da Palavra de Deus, o povo de Deus buscou alianças alternativas, não sancionadas por Deus, como lugares de refúgio.

Ao fazer isso, o povo de Deus é culpado de permitir que o fermento de ideologias alternativas estrangeiras se infiltrem na cultura do povo de Deus. Lembre-se de que o povo assírio e seus reis têm uma aliança inabalável com seu deus Assur, o deus da guerra. * Eu recomendo fortemente um estudo sobre a adoração desse deus Assur

Embora tenhamos determinado que Deus foi o único responsável por permitir a invasão assíria, os assírios devem ter muito cuidado para não forçar o povo de Deus além de sua capacidade de suportar. Os testes de Deus, quando as lições são aprendidas, são sempre seguidos de reconciliação e restauração. Os assírios não sabem disso. Eles estão alheios ao fato de que é o Deus de Israel o arquiteto dessa invasão.

Por favor, entenda que quando nos referimos às leis de Deus, nos referimos à Palavra de Deus

Isaías profetizou ……. Porque de Sião sairá a lei, e a palavra do Senhor de Jerusalém.

A obediência às leis de Deus atrai Sua proteção divina. Também com relação ao natural, Paulo diria que os governantes não são um terror para as boas obras. Recentemente, durante a agitação civil, no auge de todos os saques, violência e assassinatos, o povo exigia lei e ordem; exigiam intervenção policial e militar urgente e imediata.

Não devemos clamar por Lei e ordem apenas durante as crises; deve ser considerado em nossa cultura; na verdade, a Palavra de Deus (Jesus) deve ser o alicerce firme de nossa cultura.

Vemos eventos atuais se desenrolando no Afeganistão, onde o país foi capturado pelo Talibã. Após os ataques terroristas contra os EUA em 11 de setembro, o governo do Afeganistão e sua infraestrutura receberam segurança das tropas da OTAN e das Forças Aliadas. Quando os governos estrangeiros firmaram acordos para retirar suas tropas em maio deste ano, a segurança da nação foi comprometida e a nação sitiada tornou-se vulnerável a uma tomada de controle.

A ausência de nossa adesão às leis, mandamentos, estatutos e ordenanças também colocará o povo de Deus em uma posição de grande vulnerabilidade.

Esses princípios se aplicam a qualquer coisa que estejamos construindo. Carreiras, família, ministério, negócios, etc. Isaías lamentou que haja “alguns homens restantes”. Isso é representativo do remanescente do povo de Deus que, embora funcionando em meio a uma “cultura impura / mundana”, eles optam por ser totalmente confiantes e dependentes de Deus e de Sua Palavra para sua sobrevivência porque seus lábios foram tocados por um “Carvão em brasa” que removeu suas iniquidades e purificou seus pecados.

Os “poucos homens” de que fala Isaías tornaram-se hoje uma companhia de primeiros frutos.

Read Full Post »

When the body of believers is spiritually seated in an elevated position with Christ – this spiritual location is far above principalities and powers, might and dominion, and every name that is named.

The challenge to His church is to manifest practically this position on the earth – There is a demand from the heavens on His Body of believers on the earth to vociferously resist the spirits that Christ has already placed under His feet. Leaders must continue to unapologetically teach the truth of God’s Word.

For this culture to emerge we must accept the need for vigorous discourse and dialogue where it will be profitable to accommodate the spirit of dissent.

Dissenting against an emerging counter culture that disregards the Word of God is NOT rebellion; dissenting against voices that bring into disrepute the believers’ salvation and redemption at the Cross is NOT rebellion; dissenting against an Assyrian dimension that seeks to subjugate the people of God into its vassals is NOT rebellion.

Isaiah was the prophetic voice, the voice of God to the people of God. When Judah experienced a major Assyrian invasion do not expect his voice to be silent. He is the spokesman for God to the people of God.

All the prophets and apostles of the Lord expressed their dissent against departure from the culture and Word of the Lord. Jesus Himself dissented regularly. Representatives of the Lord will not be at ease in an environment that does not reflect the culture of God. This is the cry of dissent at the heart of every reformation movement. Elijah cried out, John the Baptist cried out, Jesus cried out, Paul cried out.

We will briefly examine the issue regarding circumcision with Paul and Barnabas. The early church of the Lord Jesus Christ was clearly in transition. Certain men arrived from Judea to Antioch and began to teach from the Law of Moses.

“Unless you are circumcised according to the custom of Moses, you cannot be saved.

Acts 15:1 And certain men came down from Judea and taught the brethren, “Unless you are circumcised according to the custom of Moses, you cannot be saved.” 2 Therefore, when Paul and Barnabas had no small dissension and dispute with them, they determined that Paul and Barnabas and certain others of them should go up to Jerusalem, to the apostles and elders, about this question.

Paul and Barnabas expressed their dissent. They did not remain silent. They rejected the application of the Law concerning salvation that demanded circumcision.

The proponents and advocates of this law may have considered Paul and Barnabas to be violators and betrayers of the Law; they may have even been labelled as heretics and blasphemers. This dissension escalated this matter to Jerusalem for further deliberation.

At Jerusalem Peter testified how the Gentiles received the baptism of the Holy Spirit through the confession of their faith in the Lord. The Lord had purified the hearts of the Gentiles by faith.

James then brought into remembrance the words from the prophetic utterances of Amos, Jeremiah and Isaiah ……

Acts 15:17 So that the rest of mankind may seek the LORD, Even all the Gentiles who are called by My name, Says the LORD who does all these things.’

Amos 9:12 That they may possess the remnant of Edom, And all the Gentiles who are called by My name,” Says the LORD who does this thing.

After the vigorous discourse with the apostles, the issue was resolved.

Acts 15:30 So when they were sent off, they came to Antioch; and when they had gathered the multitude together, they delivered the letter. 31 When they had read it, they rejoiced over its encouragement. 32 Now Judas and Silas, themselves being prophets also, exhorted and strengthened the brethren with many words. 33 And after they had stayed there for a time, they were sent back with greetings from the brethren to the apostles.

Dissent for the sake of the integrity of the gospel should not be despised. There was great rejoicing in the midst of the multitude.

Paul would declare to the Ephesians:

Ephesians 2:8 For by grace you have been saved through faith, and that not of yourselves; it is the gift of God, 9 not of works, lest anyone should boast.

So let us not despise the dissenting voice. It has the potential to bring adjustment to our perspective.

Believers need to dissent against the Assyrian dimension to bring this system under the feet of the Body of Christ on the earth. The boast of the Assyrian principality has to be neutralised

This adversary erodes the confidence and faith of the people of God. The Assyrian blasphemes and profanes the God of Hezekiah, and also brings into disrepute the leadership of Hezekiah

The Assyrian dimension mocks the faith of God’s people who declare :

“The Lord will deliver us”

In these uncertain times that we live in, the believer’s hope is in the Lord. These times can best be described in the message Hezekiah sent to Isaiah ……

‘This day is a day of trouble, and rebuke, and blasphemy; for the children have come to birth, but there is no strength to bring them forth”

2 Kings 18:32 …….. But do not listen to Hezekiah, lest he persuade you, saying, “The LORD will deliver us.” 33 Has any of the gods of the nations at all delivered its land from the hand of the king of Assyria? 34 Where are the gods of Hamath and Arpad? Where are the gods of Sepharvaim and Hena and Ivah? Indeed, have they delivered Samaria from my hand? 35 Who among all the gods of the lands have delivered their countries from my hand, that the LORD should deliver Jerusalem from my hand?’ ”

This the the strategy of the Assyrian dimension against the remnant of God’s people. The northern tribes may have succumbed to the military might of the Assyrians; the fortified cities of Judah may have been captured; but Jerusalem has the oracle of God, the Temple, the Word of God in the mouth of His servant.

The Body of Christ, which represents the present day Temple, has the Word of God dwelling near and richly in it. It would be tragic to confuse the God of this Body, this present day Temple, with the gods of Hamath, Arpad, Sepharvaim, Hena and Ivah.

Translação Portuguese
(Traduzido pelo Pastor Rafael Nogueira Rezende)

Conversas na Estrada para Fullers Field – Parte dois

Quando o corpo de crentes está espiritualmente sentado em uma posição elevada com Cristo – esta localização espiritual está muito acima dos principados e potestades, poder e domínio, e todo nome que é nomeado.

O desafio para Sua igreja é manifestar de forma prática esta posição na terra – há uma demanda dos céus em Seu corpo de crentes na terra para resistir ferozmente aos espíritos que Cristo já colocou sob Seus pés. Os líderes devem continuar a ensinar sem remorso a verdade da Palavra de Deus.

Para que essa cultura surja, devemos aceitar a necessidade de um discurso e diálogo vigorosos, onde seja proveitoso acomodar o espírito de dissidência.

Discordar contra uma contracultura emergente que desconsidera a Palavra de Deus NÃO é rebelião; discordar contra vozes que trazem descrédito à salvação e redenção dos crentes na Cruz NÃO é rebelião; discordar contra uma dimensão assíria que busca subjugar o povo de Deus aos seus vassalos NÃO é rebelião.

Isaías era a voz profética, a voz de Deus para o povo de Deus. Quando Judá experimentou uma grande invasão assíria, não espere que sua voz se cale. Ele é o porta-voz de Deus para o povo de Deus.

Todos os profetas e apóstolos do Senhor expressaram sua dissidência contra o afastamento da cultura e da Palavra do Senhor. O próprio Jesus discordava regularmente. Os representantes do Senhor não ficarão à vontade em um ambiente que não reflita a cultura de Deus. Este é o clamor de dissidência no centro de todo movimento de reforma. Elias clamou, João Batista clamou, Jesus clamou, Paulo clamou.

Examinaremos brevemente a questão da circuncisão com Paulo e Barnabé. A igreja primitiva do Senhor Jesus Cristo estava claramente em transição. Certos homens chegaram da Judéia a Antioquia e começaram a ensinar a Lei de Moisés.

“Se vocês não forem circuncidados conforme o costume ensinado por Moisés, não poderão ser salvos”

Atos 15: 1-2 Alguns homens desceram da Judéia para Antioquia e passaram a ensinar aos irmãos: “Se vocês não forem circuncidados conforme o costume ensinado por Moisés, não poderão ser salvos”.Isso levou Paulo e Barnabé a uma grande contenda e discussão com eles. Assim, Paulo e Barnabé foram designados, juntamente com outros, para irem a Jerusalém tratar dessa questão com os apóstolos e com os presbíteros.

Paulo e Barnabé expressaram sua discordância. Eles não permaneceram em silêncio. Eles rejeitaram a aplicação da Lei sobre a salvação que exigia a circuncisão.

Os proponentes e defensores desta lei podem ter considerado Paulo e Barnabé como violadores e traidores da Lei; eles podem até ter sido rotulados como hereges e blasfemadores. Esta dissensão escalou este assunto para Jerusalém para posterior deliberação.

Em Jerusalém, Pedro testificou como os gentios receberam o batismo do Espírito Santo por meio da confissão de sua fé no Senhor. O Senhor purificou os corações dos gentios pela fé.

Tiago então trouxe à lembrança as palavras das declarações proféticas de Amós, Jeremias e Isaías…

Atos 15:17 para que o restante dos homens busque o Senhor, e todos os gentios sobre os quais tem sido invocado o meu nome, diz o Senhor, que faz estas coisas’

Amós 9:12 para que o meu povo conquiste o remanescente de Edom e todas as nações que me pertencem”, declara o SENHOR, que realizará essas coisas.

Depois do discurso vigoroso com os apóstolos, a questão foi resolvida.

Atos 15:30-33 Uma vez despedidos, os homens desceram para Antioquia, onde reuniram a igreja e entregaram a carta. Os irmãos a leram e se alegraram com a sua animadora mensagem. Judas e Silas, que eram profetas, encorajaram e fortaleceram os irmãos com muitas palavras. Tendo passado algum tempo ali, foram despedidos pelos irmãos com a bênção da paz para voltarem aos que os tinham enviado.

A dissidência em prol da integridade do evangelho não deve ser desprezada. Houve grande alegria no meio da multidão.

Paulo declararia aos efésios:

Efésios 2:8-9 Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie.

Portanto, não desprezemos a voz dissidente. Tem o potencial de trazer ajustes à nossa perspectiva.

Os crentes precisam discordar da dimensão assíria para trazer este sistema sob os pés do Corpo de Cristo na terra. O orgulho do principado assírio deve ser neutralizado.

Esse adversário corrói a confiança e a fé do povo de Deus. O assírio blasfema e profana o Deus de Ezequias, e também traz descrédito à liderança de Ezequias.

A dimensão assíria zomba da fé do povo de Deus que declara:

“O Senhor nos livrará”

Nestes tempos de incerteza em que vivemos, a esperança do crente está no Senhor. Esses tempos podem ser melhor descritos na mensagem que Ezequias enviou a Isaías …

‘Este é um dia de angústia, repreensão e blasfêmia; porque os filhos nasceram, mas não há força para gerá-los ”

2 Reis 18:32b-35  …Não dêem ouvidos a Ezequias, pois ele os está iludindo, quando diz: ‘O Senhor nos livrará’. Será que o deus de alguma nação conseguiu livrar sua terra das mãos do rei da Assíria? Onde estão os deuses de Hamate e de Arpade? Onde estão os deuses de Sefarvaim, Hena e Iva? Acaso livraram Samaria das minhas mãos? Qual dentre todos os deuses dessas nações conseguiu livrar sua terra do meu poder? Como então o Senhor poderá livrar Jerusalém das minhas mãos”

Esta é a estratégia da dimensão assíria contra o remanescente do povo de Deus. As tribos do norte podem ter sucumbido ao poderio militar dos assírios; as cidades fortificadas de Judá podem ter sido capturadas; mas Jerusalém tem o oráculo de Deus, o Templo, a Palavra de Deus na boca de Seu servo.

O Corpo de Cristo, que representa o Templo atual, tem a Palavra de Deus habitando perto e ricamente nele. Seria trágico confundir o Deus deste Corpo, deste Templo atual, com os deuses de Hamath, Arpad, Sefarvaim, Hena e Ivah.

Read Full Post »