Feeds:
Posts
Comments

When we come before God, alone in prayer, we often disclose the truth that resides in the depths of our hearts; a pouring out of our closely guarded emotions from our innermost beings. During these moments of interaction with God, our utterances are usually at their purest and most sincere state of expression.

We will study the disclosures of Jesus concerning Eternal Life in His final prayer to the Eternal Father.

John 17:2 as You have given Him authority over all flesh, that He should give eternal life to as many as You have given Him. 3 And this is eternal life, that they may know You, the only true God, and Jesus Christ whom You have sent.

This is the final prayer of Jesus Christ, the One who has been sent by the Only True God. He is disclosing the key, foundational demand of all believers concerning “Eternal Life”.

Consider the fact that Jesus’ ministry on earth is drawing to a close. During this time He had been exposed to all types of operating systems and leaders in the religious sphere; He engaged the ruling, governing authorities of the land; He had engaged satan and the demonic realm; He now comes to a place, where He addresses His Father as “The Only True God”.

Let us examine the scriptures at the time when Lazarus was resurrected. Jesus is addressing Martha …..

John 11:40 Jesus said to her, “Did I not say to you that if you would believe you would see the glory of God?” 41 Then they took away the stone from the place where the dead man was lying. And Jesus lifted up His eyes and said, “Father, I thank You that You have heard Me. 42 And I know that You always hear Me, but because of the people who are standing by I said this, that they may believe that You sent Me.”

Observe clearly the flow of events as they played out here. Jesus’ prayer to the Father did not focus on the resurrection of Lazarus. Although He wept He did not lose sight of who He is, He is Jesus Christ, the One Sent by the Only True God. He is declaring to the Father that the words of His prayer and the response of God is for the benefit of the witnesses standing by. The resurrection would validate the credibility and authority of Jesus as the One sent by the Only True God. The Father always hears His Son. It is the demonstration of the strength and integrity of this abiding relationship that neutralizes the spirit of unbelief. The One Sent by the Only True God is able to call Lazarus out of the tomb. If not, the words of Martha would prevail, and Jesus would be simply be regarded as the carpenter’s son.

This incident has two clear purposes

1. Martha, Mary and that community to witness the Glory of God

2. For the same crowd to recognize Jesus as the One Sent by God

“And this is eternal life, that they may know the only true God, and Jesus Christ whom You have sent” (John 17:3)

Now, with this in mind, let us return to the final prayer of Jesus. It is a reflection as well a “report card” of all that Jesus has done during His short ministry. I would like to focus on two things that Jesus mentioned to the Father ….

John 17:14 I have given them Your word; and the world has hated them because they are not of the world, just as I am not of the world. 15 I do not pray that You should take them out of the world, but that You should keep them from the evil one. 16 They are not of the world, just as I am not of the world.

The Word God will cause hostility and hatred between those who have been baptised in the ways of the world and believers in the Triune God.

It is a day of great lamentation where we see the emergence of a hybrid counter culture, that is evolving from the marriage between the ways of the world and the adoption of some of the ways of God. Believers have structured their messages to receive the applause of those who are embedded in the ways of the world. The early believers were hated by the world because of the message they carried; the call for reformation and change will always intimidate those who were comfortable in the broad way. Jesus declared to the Father that He is hated by the world

John 5: 38 But you do not have His word abiding in you, because whom He sent, Him you do not believe. 39 You search the Scriptures, for in them you think you have eternal life; and these are they which testify of Me. 40 But you are not willing to come to Me that you may have life.41 “I do not receive honor from men.

The Jews whom Jesus was addressing were exposed for not having the Word of the Lord abiding in them. They relied copiously on the Laws of Moses, yet refusing to acknowledge Jesus as the promised Saviour and Messiah, the gateway to Eternal Life.

The second point that I would like us to examine is this :

PROTECT THEM FROM THE EVIL ONE. John 17:15(b) ……. but that You should keep them from the evil one.

Let us examine the meaning of the Greek Word “keep”. tēréō; a warden, guard. To keep an eye on, watch, and hence to guard, keep, obey. Particularly to observe attentively, keep the eyes fixed upon, or a custom meaning to perform watchfully, vigilantly (Extracted from CWSB Dictionaries)

Jesus and the Father are ONE in the Godhead. Jesus is speaking the mind of the Father. The Father did not keep Adam from the tree in the Garden. Adam was simply given the Word (instruction). In the Garden immunity from the evil one was activated by obedience to the Word and direct commands of God. Nothing has changed. Divine Immunity is conferred through the believer’s obedience to the Word of God.

This is the reason Jesus first informs His Father, in His prayer, that He has given His disciples the Word of God. There can be no immunity outside obedience to the Word of God. Faithfulness to His Word attracts the attention of the One whose characteristic feature is being True and Faithful. God does not take us out of the world to escape trials and afflictions. He keeps us (protects and sustains us during our various challenges)

All representative leadership structures operating in the church on the earth , including the father/son wineskin, must use these Divine patterns to achieve the highest possible standards in our representation of the culture within the Holy Trinity.

TRADUÇÃO PORTUGUESA
(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

AJUDA DO ALTO – CHAVE PARA A VIDA ETERNA

Quando nos achegamos a Deus, sozinhos em oração, frequentemente revelamos a verdade que reside no fundo de nossos corações; um derramamento de nossas emoções bem guardadas de nosso ser mais íntimos. Durante esses momentos de interação com Deus, nossas declarações geralmente estão em seu estado de expressão mais puro e sincero.

Estudaremos as revelações de Jesus a respeito da Vida Eterna em Sua oração final ao Pai Eterno.

João 17:2-3 Pois lhe deste autoridade sobre toda a humanidade, para que conceda a vida eterna a todos os que lhe deste. Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

Esta é a oração final de Jesus Cristo, Aquele que foi enviado pelo Único Deus Verdadeiro. Ele está revelando a demanda fundamental e fundamental de todos os crentes a respeito da “Vida Eterna”.

Considere o fato de que o ministério de Jesus na terra está chegando ao fim. Durante esse tempo, Ele foi exposto a todos os tipos de sistemas operacionais e líderes na esfera religiosa; Ele envolveu as autoridades governantes do país; Ele havia se encontrado com Satanás e o reino demoníaco; Ele agora chega a um lugar onde se dirige a Seu Pai como “O Único Deus Verdadeiro”.

Vamos examinar as escrituras da época em que Lázaro ressuscitou. Jesus está se dirigindo a Marta…

João 11:40-42 Disse-lhe Jesus: “Não lhe falei que, se você cresse, veria a glória de Deus? ” Então tiraram a pedra. Jesus olhou para cima e disse: “Pai, eu te agradeço porque me ouviste. Eu sabia que sempre me ouves, mas disse isso por causa do povo que está aqui, para que creia que tu me enviaste”.

Observe claramente o fluxo dos eventos conforme eles se desenrolam aqui. A oração de Jesus ao Pai não se concentrou na ressurreição de Lázaro. Embora Ele tenha chorado, Ele não perdeu de vista quem Ele é, Ele é Jesus Cristo, Aquele Enviado pelo Único Deus Verdadeiro. Ele está declarando ao Pai que as palavras de Sua oração e a resposta de Deus são para o benefício das testemunhas presentes. A ressurreição validaria a credibilidade e autoridade de Jesus como o enviado pelo único Deus verdadeiro. O Pai sempre ouve Seu Filho. É a demonstração da força e integridade desse relacionamento duradouro que neutraliza o espírito de descrença. Aquele enviado pelo único Deus verdadeiro é capaz de chamar Lázaro para fora do túmulo. Do contrário, as palavras de Marta prevaleceriam, e Jesus seria simplesmente considerado o filho do carpinteiro.

Este incidente tem dois objetivos claros:

1. Marta, Maria e aquela comunidade para testemunhar a Glória de Deus.

2. Para que a mesma multidão reconheça Jesus como o Enviado de Deus.

“Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” (João 17: 3)

Agora, com isso em mente, voltemos à oração final de Jesus. É também um reflexo de um “boletim escolar” de tudo o que Jesus fez durante Seu breve ministério. Eu gostaria de me concentrar em duas coisas que Jesus mencionou ao Pai…

João 17:14-16 Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, pois eles não são do mundo, como eu também não sou. Não rogo que os tires do mundo, mas que os protejas do Maligno. Eles não são do mundo, como eu também não sou.

A Palavra de Deus causará hostilidade e ódio entre aqueles que foram batizados nos caminhos do mundo e os crentes no Deus Triúno.

É um dia de grande lamentação onde vemos o surgimento de uma contracultura híbrida, que está evoluindo a partir do casamento entre os caminhos do mundo e a adoção de alguns dos caminhos de Deus. Os crentes estruturaram suas mensagens para receber os aplausos daqueles que estão inseridos nos caminhos do mundo. Os primeiros crentes eram odiados pelo mundo por causa da mensagem que transmitiam; a chamada para reforma e mudança sempre intimidará aqueles que se sentiam confortáveis no caminho mais amplo. Jesus declarou ao Pai que Ele é odiado pelo mundo.

João 5:38-41 nem a sua palavra habita em vocês, pois não crêem naquele que ele enviou. Vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito; contudo, vocês não querem vir a mim para terem vida. “Eu não aceito glória dos homens,

Os judeus a quem Jesus se dirigia foram expostos por não terem a Palavra do Senhor habitando neles. Eles confiaram copiosamente nas Leis de Moisés, mas recusando-se a reconhecer Jesus como o Salvador e Messias prometido, o portal para a Vida Eterna.

O segundo ponto que gostaria que examinássemos é este:

OS PROTEJA DO MALIGNO. João 17:15 (b) … mas que deves mantê-los longe do maligno.

Vamos examinar o significado da palavra grega “manter”.

tēréō; um diretor, guarda. Para ficar de olho, vigiar e, portanto, guardar, guardar, obedecer. Particularmente para observar atentamente, manter os olhos fixos em, ou um significado personalizado para executar vigilante, vigilante (Extraído de Dicionários CWSB)

Jesus e o Pai são UM na Divindade. Jesus está falando a mente do pai. O Pai não afastou Adão da árvore no Jardim. Adão simplesmente recebeu a Palavra (instrução). No Jardim, a imunidade do maligno foi ativada pela obediência à Palavra e aos mandamentos diretos de Deus. Nada mudou. A imunidade divina é conferida através da obediência do cristão à Palavra de Deus.

Esta é a razão pela qual Jesus primeiro informa a Seu Pai, em Sua oração, que Ele deu a Seus discípulos a Palavra de Deus. Não pode haver imunidade fora da obediência à Palavra de Deus. A fidelidade à Sua Palavra atrai a atenção Daquele cuja característica é ser verdadeiro e fiel. Deus não nos tira do mundo para escapar de provações e aflições. Ele nos mantém (nos protege e nos sustenta durante nossos vários desafios).

Todas as estruturas de liderança representativas operando na igreja na terra, incluindo o odre pai/filho, devem usar esses padrões Divinos para alcançar os mais altos padrões possíveis em nossa representação da cultura dentro da Santíssima Trindade.

This morning we will talk about grace that is sent from the Father but is despised.

Matthew 23 is an exposition by Jesus of the cold heart of religious bigotry and the traditions of men; Jesus openly confronted, challenged and rebuked the principality that governs and rules the hearts and minds of scribes, Pharisees and the religious order.

This suffocating, oppressive and political regime was totally deficient of grace, focussing largely on external observances of the Law

They were relentless opponents of the message of reformation of practices in the Father‘s house brought by Jesus. They thrived on the platform of political theatre and religious, unprofitable, partisan bickering.

God has always expressed His thoughts through the human resource and other created beings throughout scripture. Man could not plead ignorance of God’s ways at any point in biblical history. God would always raise up His servants to voice His displeasure concerning the spiritual condition and apostasy concerning His beloved people.

In most instances prayers are heard by God, and He would often respond by sending solutions and grace.

We will carefully study the Parable of the Wicked Vinedressers that is found in Matthew 21:33-46. A vinedresser is a person who cultivates and prunes vines.

The Lord sends help to a community in the form of a landowner who makes a capital investment in that village. He plants a vineyard (type of church); he installs the perimeter fencing and builds a tower (for the oversight of the vineyard and surroundings). This is central to the security detail. He then proceeded to construct a manufacturing, blending and bottling facility(wine press). This project would have utilised local labour resources. Once the infrastructure was completed he decided to lease the property to some vinedressers rather than manage the operations by himself. The scriptures record that he then departed from that region and went to a far country.

We can apply the revelatory principles in this parable to almost any partnership or collaboration whether it is business, ministry, relationships – the truth remains. Critical to the longevity and sustainability of the vineyard is the ability of the “lessee” to discern the grace of the landowner (type of the Lord)

Although the landowner sent various representatives to bring back the fruit from his original investment, the vinedressers assaulted, stoned and murdered all the representatives sent by the landowner. The return of the fruit was clearly an integral part of the lease agreement.

The apostle Paul would say quite directly :

1 Corinthians 9:7 Who ever goes to war at his own expense? Who plants a vineyard and does not eat of its fruit? Or who tends a flock and does not drink of the milk of the flock?

Finally, assuming that his own son would be respected, he sent his son. The vinedressers cast the son, the heir out of his inheritance and murdered him.

These vinedressers may have been seduced into a false sense of security during the time of the harvest. They may have thought that they did all the hard work in the vineyard and may have felt entitled to retain the fruit.

We must always remember that Jesus is not only the landowner; He is also the vine; that the fruit is the outcome of being connected to the Lord. The tower in the vineyard is also a consistent symbol of the Lord at the heart of our investment.

Proverbs 18:10 The name of the Lord is a strong tower; The righteous run to it and are safe.

Psalms 127:1 Unless the LORD builds the house, They labor in vain who build it; Unless the LORD guards the city, The watchman stays awake in vain.

Hosea 14:8 O Ephraim, what more have I to do with idols? It is I who answer and look after you. I am like a luxuriant cypress; From Me comes your fruit.

The blessings of the dew, rain and the light come from above to the vineyard as a blessing and a help to nourish and refresh. Although it is the landowner who establishes the property and its infrastructure creating a business opportunity, it is God who makes the vineyard grow. The process involves those who would plant; and those who water, but as Paul would inform the Corinthians, it is God who gives the increase.

As we said, the vineyard is a picture of the church; the vine is Jesus. The believers are the branches. This vineyard was called out of Egypt and planted (Psalms 80:8)

The chief priests and Pharisees were part of the audience when Jesus told this parable. A while later we find Jesus making a strong statement against this city …..

Matthew 23:37 “O Jerusalem, Jerusalem, the one who kills the prophets and stones those who are sent to her! How often I wanted to gather your children together, as a hen gathers her chicks under her wings, but you were not willing! 38 See! Your house is left to you desolate; 39 for I say to you, you shall see Me no more till you say, Blessed is He who comes in the name of the LORD!’ ”

This city is held accountable by Jesus for rejecting those who carry the solutions from God. These are image bearers and carriers of helps and blessings from above. These sendings are God’s responses to the prayers offered in Jerusalem; prayers that were offered “in this place” – the location of the Temple.

Approximately one thousand years ago God promised Solomon that He would answer the prayers that were offered in this place after the protocols of 2 Chronicles 7:14 are met…..

• Process of humility – giving the Rock an elevated position. • Pray and seek the Face of God – work on our relationship with the Eternal God. • Not to entangle ourselves in a pervasive culture of wickedness

We can now see clearly that the answering of our prayers is manifested through the Lord commissioning His resources to reach us. Our victory is dependent on us receiving and implementing the logistics that are brought by grace carrying vessels that are sent to us from the Lord. Rejection of these vessels is a sure way to restricting the flow of grace. Those vinedressers lost the opportunity to renew their lease. A thousand years ago the promise of God to Solomon was that His eyes and His heart will be on the Temple in Jerusalem perpetually.

How does a vineyard become desolate ?

A church does not become desolate when the people leave; it becomes desolate when the Lord leaves

Joseph discovered this truth the hard way. When the Glory of God departs this is the beginning of desolation, the beginning of sorrows. When the Lord departs, His Word departs. When His Word departs, many embrace the language and literature of the Chaldeans. Focus shifts to external traditions and rituals; apostasy sets in. The intent in the heart of the Lord was always for His people to gather under Him; under His Word; experience safety and immunity that is found under His wings. The city must declare “He is my refuge and my fortress; My God, in Him I will trust.”

This is the reality of the spiritual condition of Jerusalem :

Rejection of the Ones sent by the Lord = Rejection of the Sender Himself

Disciples of the Lord will not experience the hen/chicks model of gathering outside His Word. The Lord wants to cover us with His feathers; our place of refuge is under His wings. We cannot separate the Lord from His Word. He is the Word. When we are covered under His feathers, it is equal to His Word covering us.

There is a secret place, that has become a place of habitation for those who have made the Lord their refuge and fortress. This is a spiritual location, a place where we would take refuge from the chaos.

Psalms 91:1 He who dwells in the secret place of the Most High. Shall abide under the shadow of the Almighty. 2 I will say of the LORD, “He is my refuge and my fortress; My God, in Him I will trust.” 3 Surely He shall deliver you from the snare of the fowler And from the perilous pestilence. 4 He shall cover you with His feathers, And under His wings you shall take refuge; His truth shall be your shield and buckler. 5 You shall not be afraid of the terror by night, Nor of the arrow that flies by day, 6 Nor of the pestilence that walks in darkness, Nor of the destruction that lays waste at noonday.

TRADUÇÃO PORTUGUESA
(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

AJUDA DO ALTO – Rejeição da Graça.

Esta manhã vamos falar sobre a graça que é enviada pelo Pai, mas é desprezada.

Mateus 23 é uma exposição de Jesus do coração frio do fanatismo religioso e das tradições dos homens; Jesus confrontou, desafiou e repreendeu abertamente o principado que governava e regia os corações e mentes dos escribas, fariseus e da ordem religiosa.

Este regime sufocante, opressor e político era totalmente carente de graça, concentrando-se amplamente nas observâncias externas da Lei.

Eles eram oponentes implacáveis da mensagem de reforma das práticas na casa do Pai trazida por Jesus. Eles prosperaram na plataforma do teatro político e das disputas partidárias religiosas e não lucrativas.

Deus sempre expressou Seus pensamentos por meio dos recursos humanos e de outros seres criados em todas as escrituras. O homem não poderia alegar ignorância dos caminhos de Deus em qualquer ponto da história bíblica. Deus sempre levantou Seus servos para expressar Seu desagrado a respeito da condição espiritual e apostasia de Seu povo amado.

Na maioria dos casos, as orações são ouvidas por Deus, e Ele frequentemente responde enviando soluções e graça.

Estudaremos cuidadosamente a Parábola dos lavradores iníquos que se encontra em Mateus 21:33-46. O viticultor é a pessoa que cultiva e poda vinhas.

O Senhor envia ajuda a uma comunidade na forma de um proprietário de terras que faz um investimento de capital naquela aldeia. Ele planta uma vinha (tipo de igreja); instala a cerca perimetral e constrói uma torre (para fiscalização da vinha e arredores). Isso é fundamental para os detalhes de segurança. Ele então começou a construir uma instalação de fabricação, mistura e engarrafamento (prensa de vinho). Este projeto teria utilizado recursos de mão de obra local. Assim que a infraestrutura foi concluída, ele decidiu arrendar a propriedade para alguns vinicultores, em vez de administrar as operações sozinho. As escrituras registram que ele então partiu daquela região e foi para um país distante.

Podemos aplicar os princípios reveladores desta parábola a quase qualquer parceria ou colaboração, seja negócios, ministério, relacionamentos – a verdade permanece. A exigência para a longevidade e sustentabilidade da vinha é a capacidade do “locatário” de discernir a graça do proprietário (tipo do Senhor)

Embora o fazendeiro tenha enviado vários representantes para trazer de volta os frutos de seu investimento original, os vinicultores agrediram, apedrejaram e assassinaram todos os representantes enviados pelo fazendeiro. A devolução da fruta era claramente parte integrante do contrato de arrendamento.

O apóstolo Paulo diria diretamente:

1 Coríntios 9:7 Quem serve como soldado às suas próprias custas? Quem planta uma vinha e não come do seu fruto? Quem apascenta um rebanho e não bebe do seu leite?

Finalmente, supondo que seu próprio filho seria respeitado, ele o enviou. Os vinicultores expulsaram o filho herdeiro de sua herança e o assassinaram.

Esses vinicultores podem ter sido seduzidos por uma falsa sensação de segurança durante a época da colheita. Eles podem ter pensado que fizeram todo o trabalho árduo na vinha e podem ter se sentido no direito de reter os frutos.

Devemos sempre lembrar que Jesus não é apenas o proprietário; Ele também é a videira; que o fruto é o resultado de estar conectado ao Senhor. A torre na vinha também é um símbolo consistente do Senhor no centro de nosso investimento.

Provérbios 18:10 O nome do Senhor é uma torre forte; Os justos correm para ela e estão seguros.

Salmos 127:1 Se não for o Senhor o construtor da casa, será inútil trabalhar na construção. Se não é o Senhor que vigia a cidade, será inútil a sentinela montar guarda.

Oseias 14:8 O que Efraim ainda tem com ídolos? Sou eu que lhe respondo e dele cuidarei. Sou como um pinheiro verde; o fruto que você produz de mim procede”.

As bênçãos do orvalho, da chuva e da luz vêm do alto para a vinha como uma bênção e uma ajuda para nutrir e refrescar. Embora seja o proprietário que estabelece a propriedade e sua infraestrutura criando uma oportunidade de negócio, é Deus quem faz crescer a vinha. O processo envolve quem vai plantar; e os que regam, mas como Paulo informaria aos coríntios, é Deus quem dá o aumento.

Como dissemos, a vinha é uma imagem da igreja; a videira é Jesus. Os crentes são os ramos. Esta vinha foi chamada do Egito e plantada (Salmos 80:8).

Os principais sacerdotes e fariseus faziam parte da audiência quando Jesus contou essa parábola. Um tempo depois, encontramos Jesus fazendo uma forte declaração contra esta cidade.

Mateus 23:37 “Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram.

Esta cidade é responsabilizada por Jesus por rejeitar aqueles que carregam as soluções de Deus. Estes são portadores de imagens e portadores de ajuda e bênçãos do alto. Esses envios são as respostas de Deus às orações feitas em Jerusalém; orações que foram oferecidas “neste lugar” – a localização do Templo.

Aproximadamente mil anos atrás, Deus prometeu a Salomão que Ele responderia às orações que eram oferecidas neste lugar depois que os protocolos de 2 Crônicas 7:14 fossem cumpridos…

• Processo de humildade – dando à Rocha uma posição elevada. • Ore e busque a Face de Deus – trabalhe em nosso relacionamento com o Deus Eterno.

• Não nos enredar em uma cultura generalizada de maldade

Agora podemos ver claramente que a resposta às nossas orações se manifesta por meio do Senhor comissionando Seus recursos para nos alcançar. Nossa vitória depende de recebermos e implementarmos a logística trazida pela graça, carregando vasos que nos são enviados pelo Senhor. A rejeição desses vasos é uma maneira segura de restringir o fluxo da graça. Esses vinicultores perderam a oportunidade de renovar o aluguel. Mil anos atrás, a promessa de Deus a Salomão era que Seus olhos e Seu coração estariam perpetuamente no Templo em Jerusalém.

Como uma vinha fica desolada?

Uma igreja não fica desolada quando as pessoas vão embora; fica desolado quando o Senhor sai!

José descobriu essa verdade da maneira mais difícil. Quando a Glória de Deus parte, este é o começo da desolação, o começo das tristezas. Quando o Senhor parte, Sua Palavra parte. Quando Sua Palavra se afasta, muitos adotam a linguagem e a literatura dos caldeus. O foco muda para tradições e rituais externos; A apostasia se instala. A intenção no coração do Senhor sempre foi que Seu povo se reunisse sob Ele; sob Sua Palavra; experimente a segurança e imunidade que se encontra sob Suas asas. A cidade deve declarar “Ele é meu refúgio e minha fortaleza; Meu Deus, Nele vou confiar. ”

Esta é a realidade da condição espiritual de Jerusalém:

Rejeição dos enviados pelo Senhor = Rejeição do próprio remetente

Os discípulos do Senhor não experimentarão o modelo de ajuntamento de galinha/pintinho fora de Sua Palavra. O Senhor quer nos cobrir com Suas penas; nosso lugar de refúgio está sob Suas asas. Não podemos separar o Senhor de Sua Palavra. Ele é a Palavra. Quando estamos cobertos por Suas penas, é igual a Sua Palavra nos cobrindo.

Há um lugar secreto, que se tornou um lugar de habitação para aqueles que fizeram do Senhor seu refúgio e fortaleza. Este é um local espiritual, um lugar onde nos refugiaríamos do caos.

Salmos 91:1-5 Aquele que habita no abrigo do Altíssimo e descansa à sombra do Todo-poderoso pode dizer ao Senhor: Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio. Ele o livrará do laço do caçador e do veneno mortal. Ele o cobrirá com as suas penas, e sob as suas asas você encontrará refúgio; a fidelidade dele será o seu escudo protetor. Você não temerá o pavor da noite, nem a flecha que voa de dia,

We continue this week with the subject from last week – Help from Above. God has His own massive infrastructure (all of creation) in place to attain the highest standards in service delivery. He is Sovereign God and He has access to all of His creation, most especially the human resource to deliver help and uncommon blessings from above to His people. It is the spirit of God that stirs the hearts of human beings to become image bearers and carriers of grace to God’s people.

This week we will pursue this position under the heading “Embracing the Logistics”

For those of us who have had the experience of being exposed to a secular/corporate environment we will not have much difficulty in understanding this term.

What is Logistics? Logistics is the planning, implementation and coordination of specific details of an operation or business. Definition extracted from Dictionary.com)

This word is often used in regard to military operations and is implemented through a highly evolved trail of communication.

Jesus Himself, whilst teaching on discipleship, explains the importance of logistics ; Jesus infers that the successful outcome of any project or operation is dependent on us mapping out the logistics

Luke 14:28 For which of you, intending to build a tower, does not sit down first and count the cost, whether he has enough to finish it— 29 lest, after he has laid the foundation, and is not able to finish, all who see it begin to mock him, 30 saying, ‘This man began to build and was not able to finish’? 31 Or what king, going to make war against another king, does not sit down first and consider whether he is able with ten thousand to meet him who comes against him with twenty thousand? 32 Or else, while the other is still a great way off, he sends a delegation and asks conditions of peace.

A great portion of the book of Exodus is dedicated to rolling out the Logistics for the construction of the Tabernacle. Even the administration of our present Tabernacle (Christ dwelling in and among the community of believers) is submitted to the logistics rolled out in the doctrine of Christ.

Last week I shared on how God commanded nature, through the earthquake, to set Paul and Silas free from prison; that this was a bloodless deliverance of His servants. The earthquake was the preferred method that the Sovereign Lord would use to set His servants free.

We also see God use nature as a means to send help to His people and judge His enemies

• We see God command a raven to provide sustenance for Elijah in the wilderness. When Elijah saw the raven with a piece of meat in its mouth, he was not surprised because God had told him.

• We see how God would deploy His great army of locusts to get Pharoah to release His people…… “or else”

Exodus 10:3 So Moses and Aaron came in to Pharaoh and said to him, “Thus says the LORD God of the Hebrews: ‘How long will you refuse to humble yourself before Me? Let My people go, that they may serve Me. 4 Or else, if you refuse to let My people go, behold, tomorrow I will bring locusts into your territory.

ALL THINGS WERE CREATED FOR HIM

His creation serves Him in accordance to His will and commands.

Colossians 1:16 For by Him all things were created that are in heaven and that are on earth, visible and invisible, whether thrones or dominions or principalities or powers. All things were created through Him and for Him. 17 And He is before all things, and in Him all things consist.

MILITARY LOGISTICS IN THE DESTRUCTION OF JERICHO

The Lord is releasing the military logistics to His servant Joshua who is positioned on the earth for the destruction and the overthrow of Jericho

Joshua 6:1 Now Jericho was securely shut up because of the children of Israel; none went out, and none came in. 2 And the LORD said to Joshua: “See! I have given Jericho into your hand, its king, and the mighty men of valor. 3 You shall march around the city, all you men of war; you shall go all around the city once. This you shall do six days. 4 And seven priests shall bear seven trumpets of rams’ horns before the ark. But the seventh day you shall march around the city seven times, and the priests shall blow the trumpets. 5 It shall come to pass, when they make a long blast with the ram’s horn, and when you hear the sound of the trumpet, that all the people shall shout with a great shout; then the wall of the city will fall down flat. And the people shall go up every man straight before him.”

Here are logistics necessary for victory in Jericho.

• Call all the men of War – this is a military operation

• March around the city once for six consecutive days

• March in silence – no sound

• Seven priests carrying seven trumpets will be positioned before the Ark of the Covenant

• On the seventh day march 7 times; the priests will blow their trumpets

• When you hear the long blast of the rams’ horn, and when you hear the sound of the trumpet – this is the moment of shouting

• The walls will fall flat

• The people shall go up, every man into the city

Logistics have to be extracted from the scriptures and documented; they must be precisely implemented in every detail to demonstrate our faithful collaboration with the Word of the Lord.

The Apostle John was instructed by the Lord to document His audit of the seven churches in the seven cities.

Revelation 1:10 I was in the Spirit on the Lord’s Day, and I heard behind me a loud voice, as of a trumpet, 11 saying, “I am the Alpha and the Omega, the First and the Last,” and, “What you see, write in a book and send it to the seven churches which are in Asia: to Ephesus, to Smyrna, to Pergamos, to Thyatira, to Sardis, to Philadelphia, and to Laodicea.”

Let us carefully analyse the military strategy given to Joshua for victory in Jericho, in light of my presentation last week on “Help from Above”.

What is the supernatural blessing (Help from Above) that God is ready to release to Joshua and the people of God on the earth?

Joshua receives a Divine visitation from the Commander of the Armies of the Lord. Joshua experienced a theophany – a visible appearance of the Lord Himself. This is further supported by the instruction to Joshua to take off his sandals because the place he is standing on is holy

Joshua 5:14 So He said, “No, but as Commander of the army of the LORD I have now come.” And Joshua fell on his face to the earth and worshiped, and said to Him, “What does my Lord say to His servant?” 15 Then the Commander of the LORD’s army said to Joshua, “Take your sandal off your foot, for the place where you stand is holy.” And Joshua did so.

THIS IS THE BLESSING THAT GOD WANTS TO RELEASE TO HIS PEOPLE

In fact, the victory over Jericho has already been predetermined by God.

Joshua 6:2 And the LORD said to Joshua: “See! I have given Jericho into your hand, its king, and the mighty men of valor

HOWEVER, THE VICTORY WILL BE MANIFESTED ON CONDITION OF EVERY LOGISTICAL DETAIL BEING IMPLEMENTED. THE OBEDIENCE OF JOSHUA IN METICULOUSLY EXPEDITING THE LOGISTICS OF THIS MILITARY OPERATION WILL GIVE VICTORY TO THE PEOPLE OF GOD.

THERE ARE ALSO SPECIFIC LOGISTICS REGARDING THE IMMUNITY CONFERRED UPON THE HOUSEHOLD OF RAHAB AND HER FAMILY

The roll out plan is divulged to every participant in the operation including Rahab.

Joshua 6: 22 But Joshua had said to the two men who had spied out the country, “Go into the harlot’s house, and from there bring out the woman and all that she has, as you swore to her.”

THE PROTOCOLS TO GRANT IMMUNITY TO THE HOUSE OF RAHAB

Joshua 2:17 So the men said to her: “We will be blameless of this oath of yours which you have made us swear, 18 unless, when we come into the land, you bind this line of scarlet cord in the window through which you let us down, and unless you bring your father, your mother, your brothers, and all your father’s household to your own home. 19 So it shall be that whoever goes outside the doors of your house into the street, his blood shall be on his own head, and we will be guiltless. And whoever is with you in the house, his blood shall be on our head if a hand is laid on him. 20 And if you tell this business of ours, then we will be free from your oath which you made us swear.” 21 Then she said, “According to your words, so be it.” And she sent them away, and they departed. And she bound the scarlet cord in the window.

The immunity granted to Rahab was sealed by her obedience, faithfulness and the blood (scarlet cord) on the window. If Rahab does not communicate the logistics to the members of her household and family and bring them into her home, she will be accountable to the Lord for positioning her family in harm’s way. The scarlet cord also represents the covenant between the representatives of the Lord and the house of Rahab. This was not the time for the family of Rahab to be found loitering outside the house on the streets. There are Logistics to implement if we want to experience Divine immunity in the house of Rahab.

Logistics are clear, plain instructions; they are not hidden in prophecies, parables or dark sayings; they do not require interpretation. They are clearly communicated and understood.

Jesus was amazed with the Roman use of logistics : Matthew 8:9-10
9 For I also am a man under authority, having soldiers under me. And I say to this one, ‘Go,’ and he goes; and to another, ‘Come,’ and he comes; and to my servant, ‘Do this,’ and he does it.”
10 When Jesus heard it, He marveled, and said to those who followed, “Assuredly, I say to you, I have not found such great faith, not even in Israel!

AJUDA DO ALTO – ABRAÇANDO A LOGÍSTICA (Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

Continuamos esta semana com o assunto da semana passada – Ajuda de Cima. Deus tem Sua própria infraestrutura massiva (toda a criação) para atingir os mais altos padrões na prestação de serviços. Ele é o Deus Soberano e tem acesso a toda a Sua criação, mais especialmente aos recursos humanos para entregar ajuda e bênçãos incomuns do alto ao Seu povo. É o espírito de Deus que move os corações dos seres humanos para se tornarem portadores da imagem e portadores da graça para o povo de Deus.

Nesta semana, buscaremos esta posição sob o título “Abraçando a Logística”

Para aqueles de nós que tiveram a experiência de serem expostos a um ambiente secular / corporativo, não teremos muita dificuldade em compreender este termo.

O que é Logística? Logística é o planejamento, implementação e coordenação de detalhes específicos de uma operação ou negócio. (Definição extraída de Dictionary.com)

Essa palavra é frequentemente usada em relação a operações militares e é implementada por meio de uma trilha de comunicação altamente desenvolvida.

O próprio Jesus, ao ensinar sobre o discipulado, explica a importância da logística; Jesus infere que o resultado bem-sucedido de qualquer projeto ou operação depende de mapearmos a logística.

Lucas 14:28-32 “Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la? Pois, se lançar o alicerce e não for capaz de terminá-la, todos os que a virem rirão dele, dizendo: ‘Este homem começou a construir e não foi capaz de terminar’. “Ou, qual é o rei que, pretendendo sair à guerra contra outro rei, primeiro não se assenta e pensa se com dez mil homens é capaz de enfrentar aquele que vem contra ele com vinte mil? Se não for capaz, enviará uma delegação, enquanto o outro ainda está longe, e pedirá um acordo de paz.

Uma grande parte do livro de Êxodo é dedicada ao desenvolvimento da Logística para a construção do Tabernáculo. Até mesmo a administração de nosso tabernáculo atual (Cristo habitando dentro e entre a comunidade dos crentes) é submetida à logística desenvolvida na doutrina de Cristo.

Na semana passada, compartilhei como Deus ordenou à natureza, por meio do terremoto, que libertasse Paulo e Silas da prisão; que esta foi uma libertação sem sangue de Seus servos. O terremoto era o método preferido que o Soberano Senhor usaria para libertar Seus servos.

Também vemos Deus usar a natureza como um meio de enviar ajuda ao Seu povo e julgar Seus inimigos

• Vemos Deus ordenar a um corvo que forneça sustento para Elias no deserto. Quando Elias viu o corvo com um pedaço de carne na boca, não se surpreendeu porque Deus lhe havia dito.

• Vemos como Deus implantaria Seu grande exército de gafanhotos para fazer o Faraó libertar Seu povo … “ou então”

Êxodo 10:3-4 Dirigiram-se, pois, Moisés e Arão ao faraó e lhe disseram: “Assim diz o Senhor, o Deus dos hebreus: ‘Até quando você se recusará a humilhar-se perante mim? Deixe ir o meu povo, para que me preste culto. Se você não quiser deixá-lo ir, farei vir gafanhotos sobre o seu território amanhã.

TODAS AS COISAS FORAM CRIADAS PARA ELE

Sua criação O serve de acordo com Sua vontade e comandos.

Colossenses 1:16-17 pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste.

LOGÍSTICA MILITAR NA DESTRUIÇÃO DE JERICÓ

O Senhor está liberando a logística militar para Seu servo Josué que está posicionado na terra para a destruição e derrubada de Jericó.

Josué 6:1-5 Jericó estava completamente fechada por causa dos israelitas. Ninguém saía nem entrava. Então o Senhor disse a Josué: “Saiba que entreguei nas suas mãos Jericó, seu rei e seus homens de guerra. Marche uma vez ao redor da cidade, com todos os homens armados. Faça isso durante seis dias. Sete sacerdotes levarão cada um uma trombeta de chifre de carneiro à frente da arca. No sétimo dia, marchem todos sete vezes ao redor da cidade, e os sacerdotes toquem as trombetas. Quando as trombetas soarem um longo toque, todo o povo dará um forte grito; o muro da cidade cairá e o povo atacará, cada um do lugar onde estiver”.

Aqui estão as logísticas necessárias para a vitória em Jericó.

• Chame todos os homens de guerra – esta é uma operação militar

• Marcha pela cidade uma vez por seis dias consecutivos

• Marcha em silêncio – sem som

• Sete sacerdotes carregando sete trombetas serão posicionados diante da Arca da Aliança

• No sétimo dia de março 7 vezes; os sacerdotes tocarão suas trombetas

• Quando você ouve o longo toque da buzina dos carneiros, e quando você ouve o som da trombeta – este é o momento de gritar

• As paredes vão cair

• O povo subirá, cada homem para a cidade

A logística deve ser extraída das escrituras e documentada; eles devem ser implementados com precisão em cada detalhe para demonstrar nossa colaboração fiel com a Palavra do Senhor.

O apóstolo João foi instruído pelo Senhor a documentar Sua auditoria das sete igrejas nas sete cidades.

Apocalipse 1:10-11 No dia do Senhor achei-me no Espírito e ouvi por trás de mim uma voz forte, como de trombeta, que dizia: “Escreva num livro o que você vê e envie a estas sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia”.

Vamos analisar cuidadosamente a estratégia militar dada a Josué para a vitória em Jericó, à luz da minha apresentação na semana passada sobre “Ajuda de Cima”.

Qual é a bênção sobrenatural (Ajuda do Alto) que Deus está pronto para liberar para Josué e o povo de Deus na terra?

Josué recebe uma visitação divina do Comandante dos Exércitos do Senhor. Josué experimentou uma teofania – uma aparição visível do próprio Senhor. Isso é ainda confirmado pela instrução de Josué para tirar as sandálias porque o lugar em que ele está é sagrado

Josué 5:14-15 “Nem uma coisa nem outra”, respondeu ele. “Venho na qualidade de comandante do exército do Senhor”. Então Josué prostrou-se, rosto em terra, em sinal de respeito, e lhe perguntou: “Que mensagem o meu senhor tem para o seu servo? “O comandante do exército do Senhor respondeu: “Tire as sandálias dos pés, pois o lugar em que você está é santo”. E Josué as tirou.

ESTA É A BÊNÇÃO QUE DEUS QUER LIBERAR AO SEU POVO

Na verdade, a vitória sobre Jericó já foi predeterminada por Deus.

Josué 6:2 Então o Senhor disse a Josué: “Saiba que entreguei nas suas mãos Jericó, seu rei e seus homens de guerra.

NO ENTANTO, A VITÓRIA SERÁ MANIFESTADA À CONDIÇÃO DE CADA DETALHE LOGÍSTICO QUE SEJA IMPLEMENTADO. A OBEDIÊNCIA DE JOSUÉ EM EXPEDIR METICULOSAMENTE A LOGÍSTICA DESTA OPERAÇÃO MILITAR DARÁ VITÓRIA AO POVO DE DEUS.

TAMBÉM HÁ LOGÍSTICA ESPECÍFICA A RESPEITO DA IMUNIDADE CONFERIDA SOBRE A FAMÍLIA DE RAABE E SUA FAMÍLIA

O plano de implantação é divulgado para todos os participantes da operação, incluindo Raabe.

Josué 6:22 Josué disse aos dois homens que tinham espionado a terra: “Entrem na casa da prostituta e tirem-na de lá com todos os seus parentes, conforme o juramento que fizeram a ela”.

OS PROTOCOLOS PARA CONCEDER IMUNIDADE À CASA DE RAABE

Josué 2:17-21 Os homens lhe disseram: “Estaremos livres do juramento que você nos levou a fazer

se, quando entrarmos na terra, você não tiver amarrado este cordão vermelho na janela pela qual nos ajudou a descer, e se não tiver trazido para a sua casa o seu pai e a sua mãe, os seus irmãos e toda a sua família. Qualquer pessoa que sair da casa será responsável por sua própria morte; nós seremos inocentes. Mas, seremos responsáveis pela morte de quem estiver na casa com você, caso alguém toque nessa pessoa. E se você contar o que estamos fazendo, estaremos livres do juramento que você nos levou a fazer”. “Seja como vocês disseram”, respondeu Raabe. Assim ela os despediu, e eles partiram. Depois ela amarrou o cordão vermelho na janela.

A imunidade concedida a Raabe foi selada pela sua obediência, fidelidade e pelo sangue (cordão vermelho) na janela. Se Raabe não comunicar a logística aos membros de sua casa e família e trazê-los para sua casa, ela será responsável perante o Senhor por posicionar sua família em perigo. O cordão escarlate também representa a aliança entre os representantes do Senhor e a casa de Raabe. Este não era o momento para a família de Raabe ser encontrada vagando do lado de fora de casa nas ruas. Há Logística a ser implementada se quisermos experimentar a imunidade Divina na casa de Raabe.

Logística são instruções claras; eles não estão escondidos em profecias ou parábolas; eles não requerem interpretação. Eles são claramente comunicados e compreendidos.

Jesus ficou maravilhado com o uso romano da logística:

Mateus 8: 9 Pois também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens. E eu digo a este, ‘Vá’, e ele vai; e para outro, ‘Venha’, e ele vem; e ao meu servo, ‘Faça isso’, e ele o fará. ” 10 Quando Jesus ouviu isso, ficou maravilhado e disse aos que o seguiam: “Em verdade vos digo que não encontrei tanta fé, nem mesmo em Israel!

Acts 16:16 Now it happened, as we went to prayer, that a certain slave girl possessed with a spirit of divination met us, who brought her masters much profit by fortune-telling. 17 This girl followed Paul and us, and cried out, saying, “These men are the servants of the Most High God, who proclaim to us the way of salvation.” 18 And this she did for many days. But Paul, greatly annoyed, turned and said to the spirit, “I command you in the name of Jesus Christ to come out of her.” And he came out that very hour. 19 But when her masters saw that their hope of profit was gone, they seized Paul and Silas and dragged them into the marketplace to the authorities.

The situation is that this slave girl had a gift that was hugely marketable – the gift of divination. In South Korea, for example, Divination or fortune telling is a 3.7 billion dollar industry. This girl had this gift and it would seem that her masters recognised her gift, and they used her gift for personal enrichment. When the Apostle Paul delivered this slave girl from this spirit, it clearly affected not only the economy of her masters but also the inhabitants of the city. The slave masters saw that their thriving economy was decimated just by one direct command. The apostles did not engage in the reading of tarot cards, or reading the palms of the girl, or the throwing of bones. They clearly functioned with the full authority and power imparted to them by the Lord :

“I command you in the name of Jesus Christ to come out of her.”

The slave masters were witnessing a supernatural sign following the declaration of Paul. This slave girl was a revenue earner for her masters. She declared accurately concerning Paul and Silas.

“These men are the servants of the Most High God, who proclaim to us the way of salvation.”

Her deliverance activated a chain of retaliatory actions. These apostles were arrested, dragged through the marketplace, brought before the Roman courts, found to be guilty of causing civil unrest and were beaten with rods and were imprisoned in chains. Paul proved his Roman citizenship by birth in a Jewish family in the city of Tarsus within the province of Cilicia (Acts 22:3). Yet this carried no weight concerning a fair trial and hearing to which he was legally entitled. When we are committed to the declaration of truth, we must be mentally strong to endure the unjust treatment of governing administrations that are more intent to avoid civil uprising and are more inclined to hear the voices of the populace, rather than grant Paul, a Roman citizen, one of their own, a fair hearing.

These apostles were zealous as they were experiencing the supernatural in Phillipi; they had recently led an influential family to the Lord, they had just baptized this family of Lydia, a notable woman, a seller of purple. However their acts were seen to be disruptive to the culture and the economy of those slave masters who used the girl’s gift to enrich themselves.

OBSERVE THE DIVINE INTERVENTION

It is amazing to witness the supernatural support from heaven at work; an intervention that put on display the full might and omnipotence of the Lord before their Roman captors. The intensity of our resistance to oppressive and dehumanising regimes, will attract the attention of an omnipotent God. One of the purposes of the anointing upon the life of Jesus is :

“To proclaim liberty to the captives. And recovery of sight to the blind, To set at liberty those who are oppressed”

We cannot abdicate the call to preach and teach the Word of the Lord that would convict the hearers to embrace the need for reform. In this scenario, these apostles were on their own – the multitude were against them, the slave masters were against them, the judicial system was against them.

YET THEY CHOSE TO OBSTINATELY, BE PLANTED AND ROOTED IN THEIR FAITH – BELIEVING IN THE ONE THAT THEY WERE PROFESSING AS LORD

Our preaching and teaching should not be intimidated by threats of incarceration by the Romans. Remember that the olive has to be squeezed for the oil to be released. How will we see the emergence of a faithful generation? Faith comes by hearing, and hearing the Word of God; Faith and believing is the outcome of our hearing the Word of the Lord.

Jesus Himself asked the question : “When the Son of Man comes, will He really find faith on the earth?”

Pleasing God demands our faith to arise. We see this unquenchable flame of faith burning in their hearts in prison when the apostles were in chains having endured a thorough beating. The purpose of imprisonment was to break the resolve of Paul and Silas, but listen to this …… God broke the prison!

Paul and Silas chose midnight to begin their prayers and singing hymns. They were determined to make their praises to their God heard; their confidence in an omnipotent God did not diminish having being beaten and incarcerated. Not only did the prisoners hear them, but more importantly, God heard them. The object of our faith, loyalty and covenant has to be able to strengthen us in our most challenging times; this is a general expectation.

Whether it is our faith in God; Faith in our Government; Faith in organisations;Faith in family or Faith in our riches. The place where we invest our faith must be able to encourage and strengthen us in times of distress.

David strengthened himself in the Lord. Ruth strengthened herself in her covenant with Naomi. Esther strengthened herself in aligning herself to the cause of the political struggle and the preservation and emancipation of the Jewish people. Daniel strengthened himself by resolving in his heart not to defile himself by the various demands of the governing structures of Babylon and through prayer. Jesus strengthened himself in the promise and the will of His Father. Governments may trust in their massive military infrastructure and in their competence in warfare. Others may have faith and trust in their chariots and horses

However, Paul and Silas, their faith rested securely in the timely intervention of an Omnipotent, Almighty God. They may have strengthened themselves by remembering the words of the psalmist, which declared :

“Whom have I in heaven but You?” My flesh and my heart fail; But God is the strength of my heart and my portion forever” or in ….

Psalms 94: 9 He who planted the ear, shall He not hear? He who formed the eye, shall He not see?

In times of great adversity, we choose to meditate upon scriptures like these ……

Matthew 10:28 And do not fear those who kill the body but cannot kill the soul. But rather fear Him who is able to destroy both soul and body in hell.

Paul and Silas strengthened their faith by singing hymns and praises that show the faithfulness of their God to deliver His people. The Lord must show up! He did, through nature.

He shook the earth, yet no one was harmed nor was there any loss of life. This clearly was the visitation of God that shook the Roman prison and judicial system. Let us continue to believe and trust God to deliver us from this pandemic, as well as every challenge that may be afflicting His people. Our hope remains in Him. He is mighty to save.

TRADUÇÃO PORTUGUESA

Traduzido por Rafael Nogueira Rezende

Ajuda do Alto

Atos 16:16-19 Certo dia, indo nós para o lugar de oração, encontramos uma escrava que tinha um espírito pelo qual predizia o futuro. Ela ganhava muito dinheiro para os seus senhores com adivinhações. Essa moça seguia a Paulo e a nós, gritando: “Estes homens são servos do Deus Altíssimo e lhes anunciam o caminho da salvação”. Ela continuou fazendo isso por muitos dias. Finalmente, Paulo ficou indignado, voltou-se e disse ao espírito: “Em nome de Jesus Cristo eu lhe ordeno que saia dela! ” No mesmo instante o espírito a deixou. Percebendo que a sua esperança de lucro tinha se acabado, os donos da escrava agarraram Paulo e Silas e os arrastaram para a praça principal, diante das autoridades.

A situação é que essa escrava tinha um dom extremamente comercializável – o dom da adivinhação. Na Coreia do Sul, por exemplo, a adivinhação é uma indústria de 3,7 bilhões de dólares. Esta menina tinha esse dom e parece que seus mestres reconheceram seu dom, e usaram seu dom para enriquecimento pessoal. Quando o apóstolo Paulo libertou essa escrava desse espírito, isso afetou claramente não apenas a economia de seus senhores, mas também os habitantes da cidade. Os senhores de escravos viram que sua economia próspera foi dizimada apenas por um comando direto. Os apóstolos não se engajaram na leitura de cartas de tarô, ou na leitura das palmas das mãos da menina, ou no lançamento de ossos. Eles claramente funcionavam com toda a autoridade e poder que o Senhor lhes concedeu:

“Em nome de Jesus Cristo eu lhe ordeno que saia dela! “

Os senhores de escravos estavam testemunhando um sinal sobrenatural após a declaração de Paulo. Essa escrava era uma fonte de receita para seus senhores. Ela declarou com precisão a respeito de Paulo e Silas.

“Estes homens são servos do Deus Altíssimo e lhes anunciam o caminho da salvação”.

Sua libertação ativou uma cadeia de ações retaliatórias. Esses apóstolos foram presos, arrastados pelo mercado, levados aos tribunais romanos, considerados culpados de causar distúrbios civis e foram espancados com varas e presos acorrentados. Paulo provou sua cidadania romana por nascimento em uma família judia na cidade de Tarso, na província da Cilícia (Atos 22:3). No entanto, isso não teve peso em relação a um julgamento justo e a uma audiência a que ele tinha direito legal. Quando estamos comprometidos com a declaração da verdade, devemos ser mentalmente fortes para suportar o tratamento injusto de administrações governamentais que têm mais intenção de evitar levantes civis e estão mais inclinados a ouvir as vozes da população, em vez de conceder a Paulo, um romano cidadão, um dos seus, uma audiência justa.

Esses apóstolos eram zelosos ao vivenciar o sobrenatural em Filipe; eles haviam recentemente conduzido uma família influente ao Senhor, eles tinham acabado de batizar esta família de Lídia, uma mulher notável, uma vendedora de púrpura. No entanto, seus atos foram vistos como perturbadores para a cultura e a economia dos senhores de escravos que usaram o dom da garota para se enriquecer.

OBSERVE A INTERVENÇÃO DIVINA

É incrível testemunhar o apoio sobrenatural do céu em ação; uma intervenção que exibia todo o poder e onipotência do Senhor diante de seus captores romanos. A intensidade de nossa resistência aos regimes opressores e desumanizadores atrairá a atenção de um Deus onipotente. Um dos propósitos da unção sobre a vida de Jesus é:

“Para proclamar a liberdade aos cativos. E recuperação da visão aos cegos, Para pôr em liberdade os oprimidos ”

Não podemos abdicar do chamado para pregar e ensinar a Palavra do Senhor que convenceria os ouvintes a aceitar a necessidade de reforma. Nesse cenário, esses apóstolos estavam por conta própria – a multidão estava contra eles, os senhores de escravos eram contra eles, o sistema judiciário era contra eles.

AINDA ESCOLHERAM OBSTINAMENTE, SER PLANTADO E ENRAIZADO NA SUA FÉ – ACREDITANDO NAQUELE QUE ERA PROFESSANDO COMO SENHOR

Nossa pregação e ensino não devem ser intimidados por ameaças de prisão pelos romanos. Lembre-se que a azeitona tem que ser espremida para que o azeite saia. Como veremos o surgimento de uma geração fiel? A fé vem por ouvir e ouvir a Palavra de Deus; Fé e fé são o resultado de ouvirmos a Palavra do Senhor.

O próprio Jesus fez a pergunta: “Quando o Filho do Homem vier, ele realmente encontrará fé na terra?”

Agradar a Deus exige que nossa fé apareça. Vemos essa chama inextinguível de fé queimando em seus corações na prisão quando os apóstolos estavam acorrentados por terem sofrido uma surra total. O propósito da prisão era quebrar a resolução de Paulo e Silas, mas ouça isso … Deus quebrou a prisão!

Paulo e Silas escolheram a meia-noite para começar suas orações e cantar hinos. Eles estavam decididos a fazer com que seus louvores a Deus fossem ouvidos; sua confiança em um Deus onipotente não diminuiu por terem sido espancados e encarcerados. Não apenas os prisioneiros os ouviram, mas o mais importante, Deus os ouviu. O objeto de nossa fé, lealdade e aliança deve ser capaz de nos fortalecer em nossos momentos mais desafiadores; esta é uma expectativa geral.

Quer seja a nossa fé em Deus; Fé em nosso governo; Fé nas organizações; Fé na família ou Fé nas nossas riquezas. O lugar onde investimos nossa fé deve ser capaz de nos encorajar e fortalecer em tempos de aflição.

Davi se fortaleceu no Senhor. Rute se fortaleceu em sua aliança com Noemi. Ester se fortaleceu ao se alinhar à causa da luta política e à preservação e emancipação do povo judeu. Daniel se fortaleceu decidindo em seu coração não se contaminar pelas várias demandas das estruturas governamentais da Babilônia e por meio da oração. Jesus se fortaleceu na promessa e na vontade de Seu pai. Os governos podem confiar em sua enorme infraestrutura militar e em sua competência na guerra. Outros podem ter fé e confiança em suas carruagens e cavalos

No entanto, Paulo e Silas, sua fé repousava com segurança na intervenção oportuna de um Deus Onipotente e Todo-Poderoso. Eles podem ter se fortalecido lembrando-se das palavras do salmista, que declarou:

“Quem tenho eu no céu senão você?” Minha carne e meu coração desfalecem; Mas Deus é a força do meu coração e minha porção para sempre ”

Salmo 94:9 Será que quem fez o ouvido não ouve? Será que quem formou o olho não vê?

Em tempos de grandes adversidades, optamos por meditar sobre escrituras como essas …

Mateus 10:28 Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno.

Paulo e Silas fortaleceram sua fé cantando hinos e louvores que mostram a fidelidade de seu Deus em libertar Seu povo. O Senhor deve aparecer! Ele o fez, por meio da natureza.

Ele sacudiu a terra, mas ninguém foi ferido nem houve qualquer perda de vida. Esta foi claramente a visitação de Deus que abalou a prisão romana e o sistema judicial. Vamos continuar a acreditar e confiar que Deus nos livrará desta pandemia, bem como de todos os desafios que possam estar afligindo Seu povo. Nossa esperança permanece Nele. Ele é poderoso para salvar.

We continue to talk about the Leadership model of David concerning Kingdom governance. The desired intended outcome is to train and equip believers who will demonstrate a heart after God, His Word and His nature; who understand the importance of consolidating the structures of the priesthood with the structures of governance and rulership that would enable and empower believers to rule from the midst of their enemies.

In Psalms 110 we see David as a prophet, priest and king

Psalms 110:1 The LORD said to my Lord, “Sit at My right hand, Till I make Your enemies Your footstool.”2 The LORD shall send the rod of Your strength out of Zion. Rule in the midst of Your enemies! 3 Your people shall be volunteers. In the day of Your power; In the beauties of holiness, from the womb of the morning, You have the dew of Your youth.

When David went against Goliath he told the giant who terrorised the Israeli armed forces :

1 Samuel 17:45 Then David said to the Philistine, “You come to me with a sword, with a spear, and with a javelin. But I come to you in the name of the LORD of hosts, the God of the armies of Israel, whom you have defied.

The Hebrew word for “Lord” here is : yehōwāh: A noun meaning God. The word refers to the proper name of the God of Israel, particularly the name by which He revealed Himself to Moses (Exodus 6:2, 3) (extracted from CWS Dictionaries)

The Hebrew word for the second mention of the word “Lord” in Psalms 110:1 is

ādôn: A masculine noun meaning lord or master. The most frequent usage is of a human lord, but it is also used of divinity. Generally, it refers more to authority rather than ownership. When used of humans, it refers to authority over slaves. (extracted from CWS Dictionaries)

The Apostle Paul would refer to himself as a bondservant of Christ.

Romans 1: 1 Paul, a bondservant of Jesus Christ, called to be an apostle, separated to the gospel of God

The Greek word for “bondservant” is : doúlos; A slave, one who is in a permanent relation of servitude to another, his will being altogether consumed in the will of the other (Matthew 8:9; 20:27; 24:45, 46). Generally one serving, bound to serve, in bondage

In the light these original word translations, let us examine the opening words of David in Psalm 110:1

“The Lord said to my Lord”

This is Jehovah addressing His Son Jesus, or God the Eternal Father talking with His Son

David was witnessing in the Spirit, the Eternal Father and His Son in a conversation, with Jesus, our High Priest and Advocate, representing David before the Eternal Father. David had an absolute, unshakeable faith that he had a proxy, his Rock Jesus, representing him as an Advocate would before the Eternal Father.

Our position regarding Divine conversations and the conveyance of “proceeding words and revelations” by the Holy Spirit to believers is supported by the scripture where Jesus Himself declares :

John 16:13 However, when He, the Spirit of truth, has come, He will guide you into all truth; for He will not speak on His own authority, but whatever He hears He will speak; and He will tell you things to come. 14 He will glorify Me, for He will take of what is Mine and declare it to you. 15 All things that the Father has are Mine. Therefore I said that He will take of Mine and declare it to you. 16 “A little while, and you will not see Me; and again a little while, and you will see Me, because I go to the Father.”

David received what we would call in this present day a “proceeding revelation” – that which has been Divinely communicated and carried by the Holy Spirit, which Jesus confirmed over one thousand years later. This reveals clearly what David believed; that the Lord sees clearly all the works of our enemies.

This is reflected in David’s words when he declares to the men who wanted to be helpers and volunteers (Verse 3) that their activities within his sphere of governance will automatically be subject to Divine scrutiny.

1 Chronicles 12:17 And David went out to meet them, and answered and said to them, “If you have come peaceably to me to help me, my heart will be united with you; but if to betray me to my enemies, since there is no wrong in my hands, may the God of our fathers look and bring judgment.”

Thousands of years later, Jesus had just silenced the Saducees, and He is now engaging the Pharisees who had gathered together with the intention of entrapping or entangling Him in His teachings.

How can David call his descendant Lord?

Matthew 22:41 While the Pharisees were gathered together, Jesus asked them, 42 saying, “What do you think about the Christ? Whose Son is He?” They said to Him, “The Son of David.” 43 He said to them, “How then does David in the Spirit call Him ‘Lord,’ saying: 44 ‘The LORD said to my Lord, “Sit at My right hand, Till I make Your enemies Your footstool” ’? 45 If David then calls Him ‘Lord,’ how is He his Son?” 46 And no one was able to answer Him a word, nor from that day on did anyone dare question Him anymore.

David knew that there is a ROCK that is higher than himself; that it had been prophesied that the Messiah would emerge through his family genealogy. But David also understood that the Messiah would be sent from above; that he would be able to resist and overcome all the natural inclinations to sin that would lead to the moral, ethical and spiritual violations of the majority of kings and leaders of Israel. Jesus would be blameless.

David knew that the Messiah, Saviour and Redeemer of humanity would be God Himself visiting the earth in human form. The Pharisees could only see the “human form” of Jesus without discerning His divinity.

We know that Christ is seated at the right hand of the Father and that believers are seated with Him. This remains our spiritual reality. Believers are privy to classified information through the ministry of the Holy Spirit who listens attentively to conversations between the Eternal Father and His Son.

David received a “transcript” of the conversation between the Eternal Father and His Son through the agency of the Spirit of God.

“Sit at My right hand, Till I make Your enemies Your footstool.”

The right hand is a symbol of Honor, a place of great trust; it is a place where there are multiple transactions of grace

PSALMS 110 DECLARES THAT THERE WILL BE ENEMIES

An enemy of David is the enemy of the Lord. As explained earlier, God has a vested interest in the administration of David that would be the conduit to present His Son, Immanuel, “God with us” as a gift of God for the salvation and redemption of humanity. It does not matter how anointed a man of God is, does not matter how much a leader’s heart is after God, it does not matter how great your exploits were, it does not matter that you brought the Ark into the city….. The reality is that there will be enemies of the truth of the gospel, enemies against the call of the Lord to come up higher. Success attracts enemies.

The instruction from the Word is to be seated at the right hand of the Father and rule from the epicentre of adversity and hostility; rule from the midst of our enemies; from the midst of wickedness. The Lord has prepared a table for David in his enemies’ presence

Psalms 23:5 You prepare a table before me in the presence of my enemies; You anoint my head with oil; My cup runs over.

The Davidic company will experience a strange, supernatural phenomenon; whilst being positioned to rule in the midst of his enemies, David will simultaneously experience the goodness, mercy and a anointing from above to rule and govern.

David’s most venomous enemies were members of his own household. Jesus would have been more explicit in His description of this people – Jesus would have called them “A Brood of vipers”. The Father’s instruction to His Son was this simple command : “Sit at My right hand” until I make Your enemies Your footstool. The Father is declaring to His Son that the Son’s place of safety is at His right hand.

Although this is a promise to Jesus from the Father, believers also share in this same promise because we are seated with Christ. This is the believer’s spiritual reality

We died with Him, we have been buried with Him and we have been resurrected with Him, and now we are seated with Him.

All types, shadows and representative structures on the earth, especially the Father/son wineskin, need to align their leadership models to reflect the integrity of the administration of David. Spiritual sons need to take up their rightful seats with Christ at the right hand of the father.

TRADUÇÃO PORTUGUESA

O SENHOR DISSE AO MEU SENHOR. (Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

Continuamos a falar sobre o modelo de liderança de Davi com relação ao governo do Reino. O resultado pretendido desejado é treinar e equipar os cristãos a importância de consolidar as estruturas do sacerdócio com as estruturas de controle e governo que delegariam e capacitariam os cristãos a governar do meio de seus inimigos.

No Salmo 110, vemos Davi como profeta, sacerdote e rei

Salmos 110:1-3 O Senhor disse ao meu Senhor: “Senta-te à minha direita até que eu faça dos teus inimigos um estrado para os teus pés”. O Senhor estenderá o cetro de teu poder desde Sião, e dominarás sobre os teus inimigos! Quando convocares as tuas tropas, o teu povo se apresentará voluntariamente. Trajando vestes santas, desde o romper da alvorada os teus jovens virão como o orvalho.

Quando Davi foi contra Golias, ele disse ao gigante que aterrorizava as forças armadas de Israel:

1 Samuel 17:45 E Davi disse ao filisteu: “Você vem contra mim com espada, com lança e com dardo, mas eu vou contra você em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem você desafiou.

A palavra hebraica para “Senhor” aqui é: yehōwāh: Um substantivo que significa Deus. A palavra se refere ao nome próprio do Deus de Israel, particularmente o nome pelo qual Ele se revelou a Moisés (Êxodo 6: 2, 3) (extraído dos Dicionários CWS)

A palavra hebraica para a segunda menção da palavra “Senhor” em Salmos 110: 1 é

ādôn: Um substantivo masculino que significa senhor ou mestre. O uso mais frequente é para um senhor humano, mas também é usado para a divindade. Geralmente, se refere mais à autoridade do que à propriedade. Quando usado para humanos, refere-se à autoridade sobre os escravos. (extraído dos Dicionários CWS)

O apóstolo Paulo se referia a si mesmo como um servo de Cristo.

Romanos 1:1 Paulo, servo de Cristo Jesus, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus,

A palavra grega para “servo” é: doúlos; Um escravo, aquele que está em uma relação permanente de servidão para com outro, sua vontade sendo totalmente consumida pela vontade do outro (Mateus 8: 9; 20:27; 24:45, 46). Geralmente um servindo, obrigado a servir, em cativeiro

À luz dessas traduções das palavras originais, examinemos as palavras iniciais de Davi no Salmo 110: 1

“O Senhor disse ao meu Senhor”

Este é Jeová se dirigindo a Seu Filho Jesus, ou Deus, o Pai Eterno, falando com Seu Filho

Davi estava testemunhando no Espírito, o Pai Eterno e Seu Filho em uma conversa, com Jesus, nosso Sumo Sacerdote e Advogado, representando Davi perante o Pai Eterno. Davi tinha uma fé absoluta e inabalável de que tinha um procurador, sua Rocha Jesus, representando-o como um Advogado faria perante o Pai Eterno.

Nossa posição a respeito das conversas Divinas e a transmissão de “palavras e revelações procedentes” pelo Espírito Santo aos cristãos é apoiada pela escritura onde o próprio Jesus declara:

João 16:13-16 Mas quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade. Não falará de si mesmo; falará apenas o que ouvir, e lhes anunciará o que está por vir. Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e o tornará conhecido a vocês. Tudo o que pertence ao Pai é meu. Por isso eu disse que o Espírito receberá do que é meu e o tornará conhecido a vocês. “Mais um pouco e já não me verão; um pouco mais, e me verão de novo”.

Davi recebeu o que hoje chamaríamos de “revelação contínua” – aquela que foi divinamente comunicada e conduzida pelo Espírito Santo, que Jesus confirmou mil anos depois. Isso revela claramente no que Davi acreditava; que o Senhor vê claramente todas as obras de nossos inimigos.

Isso se reflete nas palavras de Davi quando ele declara aos homens que queriam ser ajudantes e voluntários (versículo 3) que suas atividades dentro de sua esfera de governo estarão automaticamente sujeitas ao uma pesquisa minuciosa Divina.

1 Crônicas 12:17 Davi saiu ao encontro deles e lhes disse: “Se vocês vieram em paz, para me ajudarem, estou pronto para recebê-los. Mas, se querem trair-me e entregar-me aos meus inimigos quando minhas mãos não cometeram violência, que o Deus de nossos antepassados veja isso e julgue vocês”.

Milhares de anos depois, Jesus acabara de silenciar os saduceus e agora está envolvendo os fariseus que se reuniram com a intenção de prendê-Lo ou embaraça-Lo em Seus ensinamentos.

Como Davi pode chamar seu descendente de Senhor?

Mateus 22:41-46 Estando os fariseus reunidos, Jesus lhes perguntou: “O que vocês pensam a respeito do Cristo? De quem ele é filho? ” “É filho de Davi”, responderam eles. Ele lhes disse: “Então, como é que Davi, falando pelo Espírito, o chama ‘Senhor’? Pois ele afirma: ‘O Senhor disse ao meu Senhor: “Senta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo de teus pés” ’. Se, pois, Davi o chama ‘Senhor’, como pode ser ele seu filho? ” Ninguém conseguia responder-lhe uma palavra; e daquele dia em diante, ninguém jamais se atreveu a lhe fazer perguntas.

David sabia que existe uma ROCHA que é superior a ele; que havia sido profetizado que o Messias surgiria por meio de sua genealogia familiar. Mas Davi também entendeu que o Messias seria enviado do alto; que ele seria capaz de resistir e superar todas as inclinações naturais para o pecado que levariam às violações morais, éticas e espirituais da maioria dos reis e líderes de Israel. Jesus seria inocente.

Davi sabia que o Messias, Salvador e Redentor da humanidade seria o próprio Deus visitando a terra em forma humana. Os fariseus só podiam ver a “forma humana” de Jesus sem discernir Sua divindade.

Sabemos que Cristo está sentado à direita do Pai e que os crentes estão sentados com ele. Esta continua sendo nossa realidade espiritual. Os crentes têm acesso a informações confidenciais por meio do ministério do Espírito Santo, que ouve atentamente as conversas entre o Pai Eterno e Seu Filho.

David recebeu uma “transcrição” da conversa entre o Pai Eterno e Seu Filho por meio do Espírito de Deus.

“Senta-te à minha direita até que eu faça dos teus inimigos um estrado para os teus pés”

A mão direita é um símbolo de honra, um lugar de grande confiança; é um lugar onde existem várias transações de graça

SALMOS 110 DECLARA QUE HAVERÁ INIMIGOS

Um inimigo de Davi é o inimigo do Senhor. Conforme explicado anteriormente, Deus tem um interesse pessoal na administração de Davi que seria o canal para apresentar Seu Filho, Emanuel, “Deus conosco”, como um presente de Deus para a salvação e redenção da humanidade. Não importa o quão ungido um homem de Deus seja, não importa o quanto o coração de um líder está atrás de Deus, não importa quão grandes foram suas façanhas, não importa que você trouxe a Arca para a cidade … a realidade é que haverá inimigos da verdade do evangelho, inimigos contra o chamado do Senhor para subir mais alto. O sucesso atrai inimigos.

A instrução da Palavra deve estar assentada à destra do Pai e governar desde o epicentro da adversidade e hostilidade; governar do meio de nossos inimigos; do meio da maldade. O Senhor preparou uma mesa para Davi na presença de seus inimigos

Salmos 23:5 Preparas um banquete para mim à vista dos meus inimigos. Tu me honras, ungindo a minha cabeça com óleo e fazendo transbordar o meu cálice.

A companhia davídica experimentará um fenômeno estranho e sobrenatural; embora esteja posicionado para governar no meio de seus inimigos, Davi experimentará simultaneamente a bondade, a misericórdia e a unção de cima para regulamentar e governar.

Os inimigos mais venenosos de Davi eram membros de sua própria casa. Jesus teria sido mais explícito em Sua descrição deste povo – Jesus os teria chamado de “Raça de víboras”. A instrução do Pai para Seu Filho foi este comando simples: “Senta-te à minha direita” até que eu faça dos teus inimigos o seu estrado. O Pai está declarando a Seu Filho que o lugar seguro do Filho está à Sua direita.

Embora esta seja uma promessa do Pai a Jesus, os crentes também compartilham dessa mesma promessa porque estamos assentados com Cristo. Esta é a realidade espiritual do crente

Nós morremos com Ele, fomos sepultados com Ele e ressuscitamos com Ele, e agora estamos sentados com Ele.

Todos os tipos, sombras e estruturas representativas na terra, especialmente o odre pai / filho, precisam alinhar seus modelos de liderança para refletir a integridade da administração de David.

Os filhos espirituais precisam ocupar seus lugares de direito com Cristo à direita do pai.

The recent Passover/Easter celebration that commemorates the deliverance of God’s people from Egypt and also the death and resurrection of our Lord is loaded with prophetic directives for God’s people

This morning I would like to talk about one such directive. Hidden in the initial conversation between God and Moses is the revelation concerning God’s intention concerning His people. Let us take a closer look at Exodus 3:10 where God would commission Moses…..

Exodus 3:10 Come now, therefore, and I will send you to Pharaoh that you may bring My people, the children of Israel, out of Egypt.”

The main assignment of Moses who was commissioned or sent out by the Lord is to carry a message to the ruling principality; to act as a proxy or an agency on behalf of God that would ultimately bring the people of God out of the oppressive system of captivity; delivered from demeaning, inhumane and humiliating servitude, captivity and bondage. Liberation and emancipation always demand a partnership between God and a human resource.

The messenger should simply carry the words that have been given to him by the Lord. God will always receive the glory; He is careful to remind His people not to forget that He is the Lord the God who brought His people out of Egypt.

We must understand the expression “out of Egypt”. Egypt meant different things to different people in the course of history in Biblical times.

For those among God’s people who lived in the time of severe famine like Jacob and his sons, roughly in the 7th century, Egypt would be a place of provision and resource, a place that was a refuge for Jacob and his sons.

For those among God’s people who lived in the time of the Exodus around 600 years later, Egypt, that which was once a place of deliverance from famine for the people of God would become a place of incredible, unimaginable and relentless suffering, oppression and captivity that would attract the attention and a response from God

Thousands of years later Egypt would become a safe haven and hiding place for Mary, Joseph and the infant Jesus as they escaped the wrath of Herod. Egypt was not the land of promise. What was the motivation behind God calling His people out of Egypt?

The problem was not Egypt. The whole earth belongs to God. It was the inhumane way God’s people were being treated. God will never remain silent when His people are being afflicted. He loves us with a Godly jealousy.

God wants to deliver his people from the severe affliction that caused them to groan under the cruel hand of taskmasters. We have all been called out of various afflictions and bondages to serve and worship God. When we leave our “Egypt” we must embrace and foster the culture of God among His people , by representing Him and His ways in the midst of a hostile and indifferent people towards God, His Word and His ways.

The Greek word for church is “ekklesia” which means – called out….a gathering of the “called out” people. Jesus uses this word to describe His intention with those who have been “called out”

Matthew 16:18 And I also say to you that you are Peter, and on this rock I will build My church, and the gates of Hades shall not prevail against it.

JESUS CALLS OUT THE WEARY AND THOSE WHO ARE WEIGHED DOWN BY CARES OF THIS LIFE

Matthew 11:28-30 Come to Me, all you who labor and are heavy laden, and I will give you rest. 29 Take My yoke upon you and learn from Me, for I am gentle and lowly in heart, and you will find rest for your souls. 30 For My yoke is easy and My burden is light.”

Christ is the place for rest for all believers. We will know that the culture of heaven has descended on the earth, and that Christ rules over all things when there is a manifestation of this heavenly culture that is evidenced by unique phenomena demonstrated by His disciples.

Isaiah talks about the transformative effect of Christ’s rulership over ALL things. His glorious reign will herald the culture of heaven on earth, as a branch shoots forth from the stump of Jesse. God is revisiting this stump and nothing would impede or frustrate the emergence and establishment of a conduit through which Christ would enter the earth. The prophet Isaiah divulges some of the phenomena that will herald the glorious reign of Christ.

Isaiah 11:6 “The wolf also shall dwell with the lamb, The leopard shall lie down with the young goat, The calf and the young lion and the fatling together; And a little child shall lead them.

The natural traits of these animals are also referenced to human behaviour. There would be a visible behavioural change among believers. The church will be delivered from all the rebellion and lawlessness that seems to abound during this time. The governance of Christ will have a restraining influence on all inclinations to hurt or destroy on God’s holy mountain

We will know when Christ rules over all things. The nursing child can be left alone with the serpent. God’s holy mountain will be a safe environment.

Isaiah 11:8 The nursing child shall play by the cobra’s hole, And the weaned child shall put his hand in the viper’s den. 9 They shall not hurt nor destroy in all My holy mountain, For the earth shall be full of the knowledge of the LORD as the waters cover the sea.

The stump of Jesse is Ground Zero for the administration and management of the church on the earth. For households/families of faith to witness the spiritual manifestation of Christ their leaders need to revisit their organisational structures on the ground.

Every household must be configured according to protocol requirements of a Davidic administration.

• Every believer in the house of God must

• Identify his or her David

• Come in peace

• Establish a covenant with David

• Be helpers to your David

• Communicate clearly wherever possible rather than using “dark sayings” that require interpretation (2 Samuel 15:3)

• Follow instructions and directives

• Discern and respect the anointing on another, even if it’s Saul; resist the opportunity to kill Saul even if the opportunity presents itself at your door

• Know and celebrate the truth that the Rock that is Higher than David.

• Trust God to be our defence against our enemies

The instructions in the household/family of God, the leadership model that is modelled after the formation of David’s army will lead believers to Christ, the rock that is higher than David

We have to engage the challenges that we are encountering as a Body by revisiting our operating systems; we will not have deviant, compromised congregations determining the operating systems or the doctrines of the church

We see the church, the called out ones, manifest the protocols in the army of David. We see men coming to David, gathering around him without any coercion, persuasion or solicitation. Some of them were called out of other tribes. Although some of the men who came to David may be ambidextrous, we need men with staying power, longevity, mental fortitude for the long haul

The floods do not present any danger to houses that are built on the rock; they also present no danger to a Davidic company that has within its ranks a unique group of men; when the Jordan was in flood and had burst its banks, these men crossed over to David.

These men represented “rock like/unshakeable/steadfast/immovable” qualities – an image of Christ Himself.

1 Chronicles 12:15 These are the ones who crossed the Jordan in the first month, when it had overflowed all its banks; and they put to flight all those in the valleys, to the east and to the west

There will be a magnetic attraction of men with specific skills into the army of David.

TRADUÇÃO PORTUGUESA
Por Rafael Nogueira Rezende

CONVOCADO

A recente celebração da Passagem/Páscoa que comemora a libertação do povo de Deus do Egito e também a morte e ressurreição de nosso Senhor está repleta de diretrizes proféticas para o povo de Deus

Esta manhã, gostaria de falar sobre uma dessas diretivas. Oculto na conversa inicial entre Deus e Moisés está a revelação sobre a intenção de Deus em relação ao Seu povo. Vamos dar uma olhada mais de perto em Êxodo 3:10, onde Deus comissionaria Moisés …

Êxodo 3:10 Vem agora, portanto, e eu te enviarei a Faraó para que você tire o meu povo, os filhos de Israel, do Egito. ”

A principal tarefa de Moisés, que foi comissionado ou enviado pelo Senhor, é levar uma mensagem ao principado governante; agir como um procurador ou agência em nome de Deus que acabaria por tirar o povo de Deus do opressivo sistema do cativeiro; libertados de servidão, cativeiro e escravidão humilhante, desumana e humilhante. A libertação e a emancipação sempre exigem uma parceria entre Deus e um recurso humano.

O mensageiro deve simplesmente levar as palavras que foram dadas a ele pelo Senhor. Deus sempre receberá a glória; Ele tem o cuidado de lembrar a Seu povo de não se esquecer de que Ele é o Senhor Deus que tirou Seu povo do Egito.

Devemos entender a expressão “fora do Egito”. O Egito significava coisas diferentes para pessoas diferentes no curso da história nos tempos bíblicos.

Para aqueles entre o povo de Deus que viviam em tempos de fome severa como Jacó e seus filhos, aproximadamente no século 7, o Egito seria um lugar de provisão e recursos, um lugar que era um refúgio para Jacó e seus filhos.

Para aqueles entre o povo de Deus que viveram na época do Êxodo cerca de 600 anos depois, o Egito, o que antes era um lugar de libertação da fome para o povo de Deus se tornaria um lugar de sofrimento, opressão e cativeiro incríveis, inimagináveis e implacáveis que atrairia a atenção e uma resposta de Deus

Milhares de anos depois, o Egito se tornaria um porto seguro e esconderijo para Maria, José e o menino Jesus, enquanto escapavam da ira de Herodes. O Egito não era a terra da promessa. Qual foi a motivação por trás de Deus chamar Seu povo para fora do Egito?

O problema não era o Egito. A terra inteira pertence a Deus. Era a maneira desumana como o povo de Deus estava sendo tratado. Deus nunca ficará em silêncio quando Seu povo estiver sendo afligido. Ele nos ama com um ciúme divino.

Deus deseja livrar seu povo da severa aflição que os fez gemer sob as mãos cruéis dos capatazes. Todos nós fomos chamados de várias aflições e cativeiros para servir e adorar a Deus. Ao sairmos do nosso “Egito” devemos abraçar e fomentar a cultura de Deus entre Seu povo, representando a Ele e Seus caminhos em meio a um povo hostil e indiferente a Deus, Sua Palavra e Seus caminhos.

A palavra grega para igreja é “ekklesia” que significa – convocada … uma reunião das pessoas “convocadas”. Jesus usa essa palavra para descrever sua intenção com aqueles que foram “chamados”

Mateus 16:18 E eu também te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

JESUS CHAMA OS CANSADOS E OS QUE SÃO SOBRECARREGADOS POR CUIDADOS DESTA VIDA

Mateus 11:28-30 Vinde a mim, todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomem o Meu jugo sobre vocês e aprendam de Mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para suas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve ”.

Cristo é o lugar de descanso para todos os crentes. Saberemos que a cultura do céu desceu sobre a terra e que Cristo governa todas as coisas quando há uma manifestação dessa cultura celestial que é evidenciada por fenômenos únicos demonstrados por Seus discípulos.

Isaías fala sobre o efeito transformador do governo de Cristo sobre TODAS as coisas. Seu glorioso reinado anunciará a cultura do céu na terra, como um galho brotando do toco de Jessé. Deus está revisitando este toco e nada impediria ou frustraria o surgimento e o estabelecimento de um conduto através do qual Cristo entraria na terra. O profeta Isaías divulga alguns dos fenômenos que anunciarão o glorioso reinado de Cristo.

Isaías 11:6 “O lobo também habitará com o cordeiro, O leopardo se deitará com o cabrito, O bezerro e o leãozinho e o cevado juntos; E uma criança os guiará.

As características naturais desses animais também são referenciadas ao comportamento humano. Haveria uma mudança visível de comportamento entre os crentes. A igreja será libertada de toda rebelião e ilegalidade que parece abundar durante este tempo. O governo de Cristo terá uma influência restritiva sobre todas as inclinações de ferir ou destruir na montanha sagrada de Deus

Saberemos quando Cristo governar todas as coisas. A criança que está amamentando pode ser deixada sozinha com a serpente. A montanha sagrada de Deus será um ambiente seguro.

Isaías 11:8-9 A criança que está amamentando deve brincar na toca da cobra, e a criança desmamada colocará a mão na cova da víbora Não farão dano nem destruição em todo o meu santo monte, pois a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar.

A raiz de Jessé é o Marco Zero para a administração e gestão da igreja na terra. Para que as casas/famílias de fé testemunhem a manifestação espiritual de Cristo, seus líderes precisam revisitar suas estruturas organizacionais no local.

Cada casa deve ser configurada de acordo com os requisitos de protocolo de uma administração Davídica.

Todo Cristão na casa de Deus deve

• Identificar seu Davi

• Vir em paz

• Estabelecer uma aliança com Davi

• Ser ajudante de seu Davi

• Comunicar-se claramente, sempre que possível, em vez de usar “ditados” que exigem interpretação (2 Samuel 15:3)

• Seguir as instruções e diretivas

• Discernir e respeitar a unção de outra pessoa, mesmo que seja Saul; resistir à oportunidade de matar Saul, mesmo que a oportunidade se apresente à sua porta

• Conhecer e celebrar a verdade que é a Rocha que é Superior a Davi

• Confiar em Deus para ser nossa defesa contra nossos inimigos

As instruções na casa / família de Deus, o modelo de liderança que é modelado após a formação do exército de Davi levará os crentes a Cristo, a rocha que é mais alta do que Davi.

Temos que enfrentar os desafios que enfrentamos como um Corpo revisitando nossos sistemas operacionais; não teremos congregações comprometidas e desviantes determinando os sistemas operacionais ou as doutrinas da igreja.

Vemos a igreja, os chamados, manifestar os protocolos no exército de Davi. Vemos homens vindo a Davi, reunindo-se em torno dele sem qualquer coerção, persuasão ou solicitação. Alguns deles foram chamados de outras tribos. Embora alguns dos homens que procuraram Davi possam ser ambidestros, precisamos de homens com resistência, longevidade e força mental para o longo prazo.

As inundações não representam nenhum perigo para as casas construídas na rocha; eles também não representam nenhum perigo para uma companhia davídica que tem em suas fileiras um grupo único de homens; quando o Jordão estava inundado e havia rompido suas margens, esses homens cruzaram por Davi.

Esses homens representavam qualidades “semelhantes a rocha, inabaláveis / constantes / imóveis” – uma imagem do próprio Cristo.

1 Crônicas 12:15 Estes são os que cruzaram o Jordão no mês primeiro, quando ele transbordou todas as suas margens; e eles puseram em fuga todos aqueles nos vales, para o leste e para o oeste.

Haverá uma atração magnética de homens com habilidades específicas para o exército de Davi.

Last week we referred to the prophecy of Amos where he declared the intention of God to restore and rebuild the Tabernacle of David. The Lord has committed Himself to this assignment.

I would like us to revisit this prophecy in Acts 15 where there arose a dispute concerning some of the Jews who demanded that the Gentiles be circumcised.

Barnabas and Paul testified before the Jerusalem Council concerning the miracles that God had done with the Gentiles. Then James stepped up and reminded and referred the Council to the prophecy of Amos.

Acts 15:13 And after they had become silent, James answered, saying, “Men and brethren, listen to me: 14 Simon has declared how God at the first visited the Gentiles to take out of them a people for His name. 15 And with this the words of the prophets agree, just as it is written: 16 ‘After this I will return And will rebuild the tabernacle of David, which has fallen down; I will rebuild its ruins, And I will set it up; 17 So that the rest of mankind may seek the LORD, Even all the Gentiles who are called by My name, Says the LORD who does all these things.’

1300 years later we see this prophecy being fulfilled with the apostles with the salvation of the Gentiles.This was also prophesied by Zechariah

Zechariah 12:8 In that day the LORD will defend the inhabitants of Jerusalem; the one who is feeble among them in that day shall be like David, and the house of David shall be like God, like the Angel of the LORD before them. 9 It shall be in that day that I will seek to destroy all the nations that come against Jerusalem.

Jerusalem is a symbol of the present day Temple or the gathering of believers in the City. As believers in Christ, we understand our spiritual location clearly. We are seated with Him in heavenly places.

Ephesians 2:4 But God, who is rich in mercy, because of His great love with which He loved us, 5 even when we were dead in trespasses, made us alive together with Christ (by grace you have been saved), 6 and raised us up together, and made us sit together in the heavenly places in Christ Jesus, 7 that in the ages to come He might show the exceeding riches of His grace in His kindness toward us in Christ Jesus.

However, we also need to be conscious of our natural existence on the earth. When we are totally preoccupied with our heavenly seating in Christ, the likes of Absalom, Korah, Adonijah, Jezebel and false brethren are busy with their business dismantling the household of faith. These are practical challenges to governance that need to be regularly confronted through the teaching of the Word of God which is the doubled edged sword that is used during spiritual warfare.

Let us refresh our memories with the account of Elijah who made a bold declaration before Ahab. He declared a drought over the land from a spiritual position (this is equivalent to the believer being seated with the Lord in heavenly places). Power, authority, confidence, boldness comes from the impartation received from being seated with Christ

The Lord had to instruct Elijah concerning his earthly position. Although he was declaring a drought from being spiritually positioned in heaven, Elijah had to recognise the dangers of his real, natural position before King Ahab

1 Kings 17:2 Then the word of the LORD came to him, saying, 3 “Get away from here and turn eastward, and hide by the Brook Cherith, which flows into the Jordan.

Elijah had to reconcile himself with the perils associated with his declaration on the earth. God told him to escape and hide until the Lord arranges help for his deliverance. For every declarer of truth, there will be seasons where God will hide us. This is the reality of the duality of our existence.

Man is a tripartite being consisting of body, soul and spirit. All three parts have to work together. We have to live in our bodies (flesh) as long as we are on this earth.

The principles for the practical management and leadership of the church on the earth is gleaned from David’s unique style of governing, especially the formation of his army at Ziklag. David, as we know is a man after God’s own heart ; every household of faith needs a David as its leader.

We may refer to him as a set man, senior elder, spiritual father; He is the One sent by God to plant the household of faith or to lead a congregation. He carries the Word of the Lord and follows God with all his heart. Sons and daughters in the house of God need to establish a covenant with their David. After this pandemic and this plague, we are expectant to encounter a new breed of sons and daughters who have encountered God and have seen His hand over their lives. We will emerge as the remnant of God who have been tried and tested.

We will emerge with a spirit of gratitude towards God, His servants and His Word that has sustained us.

We need to be used by the Lord to restore and rebuild the Tabernacle of David which is in ruins. Use the skills that God has given us.

We need to refresh our covenant with our David.

The people declared to David “Indeed we are your bone and your flesh” (2 Samuel 5:1)

The household of faith was never intended to be a loose, random group of variously graced and talented individuals functioning as each one saw fit in his or her own eyes.

The house of God is a collective of graces; it requires astute leadership. The five fold grace must enter in a spirit of peace and connect in his or her heart with David. Entrance is not based on how gifted you are; it is based on whether you can execute your gift in peace with your David.

Helpers of David are included in this peace accord. This is the reason when we violate our peace with David, it has a domino effect on his helpers as well, because this covenant is cut in our hearts.

Listen, it does not matter at what level we are building in the Kingdom. Everything begins at Ground Zero. The success of the church in the city, the Temple that the Lord is presently configuring, is dependent on a strong, faithful, God centred local church.

Paul quotes Isaiah to the Romans :

Romans 15:12 And again, Isaiah says: “There shall be a root of Jesse; And He who shall rise to reign over the Gentiles, In Him the Gentiles shall hope.” 13 Now may the God of hope fill you with all joy and peace in believing, that you may abound in hope by the power of the Holy Spirit.

We realise that every church has its problems. But the purpose of instruction from God’s Word is to bring order to chaos, lawlessness and unaccountability. If we want to witness the manifestation of Christ, the root of Jesse in the house, build the local house according to the Davidic blueprint. The Father chose to usher Christ into the earth through the lineage of David. Spiritual violations within a Davidic administration will attract Divine judgement because the nature of the peace accord is that judgement will be deferred to the Lord; the Lord will look and He will judge the enemies of a legitimate Davidic leadership.

TRADUÇÃO PORTUGUESA
(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

Sentado e em pé (existência dupla).

Na semana passada, nos referimos à profecia de Amós, onde ele declarou a intenção de Deus de restaurar e reconstruir o Tabernáculo de Davi. O Senhor se comprometeu com esta tarefa.

Eu gostaria que revisitássemos esta profecia em Atos 15, onde surgiu uma disputa a respeito de alguns dos judeus que exigiam que os gentios fossem circuncidados.

Barnabé e Paulo testificaram perante o Concílio de Jerusalém a respeito dos milagres que Deus havia feito com os gentios. Então James se aproximou e lembrou e referiu o Conselho à profecia de Amós.

Atos 15:13-17 E depois que eles se calaram, Tiago respondeu, dizendo: “Irmãos, escutem-me: Simão declarou como Deus a princípio visitou os gentios para tirar deles um povo para o seu nome. E com isso as palavras dos profetas concordam, assim como está escrito: ‘Depois disso voltarei E reconstruirei o tabernáculo de Davi, que está caído; Eu reconstruirei as suas ruínas, E eu a erigirei; Para que o resto da humanidade busque ao SENHOR, sim, todos os gentios que são chamados pelo meu nome, diz o SENHOR, que faz todas essas coisas. ‘

1300 anos depois, vemos esta profecia sendo cumprida com os apóstolos com a salvação dos gentios. Isso também foi profetizado por Zacarias

Zacarias 12:8-9 Naquele dia o Senhor defenderá os habitantes de Jerusalém; o que estiver fraco entre eles naquele dia será como Davi, e a casa de Davi será como Deus, como o anjo do Senhor antes deles. Será naquele dia que procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém.

Jerusalém é um símbolo do templo atual ou a reunião de crentes na cidade. Como crentes em Cristo, entendemos nossa localização espiritual claramente. Estamos sentados com Ele nos lugares celestiais.

Efésios 2:4-7 Mas Deus, que é rico em misericórdia, por causa do seu grande amor com que nos amou, ainda quando estávamos mortos nas ofensas, nos deu vida juntamente com Cristo (pela graça fostes salvos), e nos ressuscitou juntos e nos fez sentar juntos nos lugares celestiais em Cristo Jesus, para que nos séculos vindouros Ele mostrasse as abundantes riquezas de Sua graça em Sua bondade para conosco em Cristo Jesus.

No entanto, também precisamos estar cientes de nossa existência natural na terra. Quando estamos totalmente preocupados com nosso assentamento celestial em Cristo, pessoas como Absalão, Corá, Adonias, Jezabel e falsos irmãos estão ocupados com seus negócios, desmantelando a família da fé. Esses são desafios práticos para o governo que precisam ser confrontados regularmente por meio do ensino da Palavra de Deus, que é a espada de dois gumes usada durante a guerra espiritual.

Vamos refrescar nossa memória com o relato de Elias que fez uma declaração ousada diante de Acabe. Ele declarou uma seca sobre a terra de uma posição espiritual (isso é equivalente a o crente estar sentado com o Senhor nos lugares celestiais). Poder, autoridade, confiança e ousadia vêm da transmissão recebida por estar assentado com Cristo.

O Senhor teve que instruir Elias a respeito de sua posição terrena. Embora ele estivesse declarando uma seca por estar espiritualmente posicionado no céu, Elias teve que reconhecer os perigos de sua posição real e natural diante do rei Acabe.

1 Reis 17:2-3 Então veio a ele a palavra do Senhor, dizendo: “Afasta-te daqui, vira para o oriente e esconde-te junto ao ribeiro de Querite, que deságua no Jordão.

Elias teve que se reconciliar com os perigos associados à sua declaração na terra. Deus disse a ele para escapar e se esconder até que o Senhor providencie ajuda para sua libertação. Para cada declarante da verdade, haverá momentos em que Deus nos esconderá. Esta é a realidade da dualidade de nossa existência.

O homem é um ser triplo constituído de corpo, alma e espírito. Todas as três partes precisam funcionar juntas. Temos que viver em nossos corpos (carne) enquanto estivermos nesta terra.

Os princípios para o gerenciamento prático e liderança da igreja na terra são extraídos do estilo único de governo de Davi, especialmente a formação de seu exército em Ziclague. Davi, como sabemos, é um homem segundo o coração de Deus; toda família de fé precisa de um Davi como seu líder.

Podemos nos referir a ele como um homem estabelecido, ancião sênior, pai espiritual; Ele é Aquele enviado por Deus para plantar uma família de fé ou para liderar uma congregação. Ele carrega a Palavra do Senhor e segue a Deus de todo o coração. Filhos e filhas na casa de Deus precisam estabelecer uma aliança com seu Davi. Após esta pandemia e esta praga, esperamos encontrar uma nova geração de filhos e filhas que encontraram Deus e viram Sua mão sobre suas vidas. Iremos emergir como o remanescente de Deus que foi provado e testado.

Sairemos com um espírito de gratidão para com Deus, Seus servos e Sua Palavra que nos sustentou.

Precisamos ser usados pelo Senhor para restaurar e reconstruir o Tabernáculo de Davi, que está em ruínas. Use as habilidades que Deus nos deu.

Precisamos renovar nossa aliança com nosso Davi.

O povo declarou a Davi “Na verdade nós somos teus ossos e tua carne” (2 Samuel 5: 1)

A família da fé nunca teve a intenção de ser um grupo solto e aleatório de indivíduos talentosos e agraciados de várias maneiras, funcionando como cada um considerasse adequado aos seus próprios olhos.

A casa de Deus é um coletivo de graças; requer liderança astuta. A graça quíntupla deve entrar em um espírito de paz e conectar-se em seu coração com Davi. A entrada não se baseia em quão talentoso você é; baseia-se em saber se você pode executar seu dom em paz com seu Davi.

Os ajudantes de Davi estão incluídos neste acordo de paz. Esta é a razão pela qual violamos nossa paz com Davi, isso tem um efeito dominó em seus ajudantes também, porque esta aliança está cortada em nossos corações.

Ouça, não importa em que nível estamos edificando no Reino. Tudo começa no Marco Zero. O sucesso da igreja na cidade, o Templo que o Senhor está configurando atualmente, depende de uma igreja local forte, fiel e centrada em Deus.

Paulo cita Isaías aos Romanos:

Romanos 15:12-13 E novamente, Isaías diz: “Haverá uma raiz de Jessé; E aquele que se levantar para reinar sobre os gentios, nele os gentios esperarão. ” Agora que o Deus de esperança os encha de toda a alegria e paz na fé, para que abundem em esperança pelo poder do Espírito Santo.

Percebemos que toda igreja tem seus problemas. Mas o propósito da instrução da Palavra de Deus é trazer ordem ao caos, ilegalidade e irresponsabilidade. Se quisermos testemunhar a manifestação de Cristo, a raiz de Jessé na casa, construa a casa local de acordo com o projeto davídico. O Pai escolheu introduzir Cristo na terra por meio da linhagem de Davi. Violações espirituais dentro de uma administração davídica atrairão o julgamento divino porque a natureza do acordo de paz é que o julgamento será deferido ao Senhor; o Senhor olhará e julgará os inimigos de uma liderança davídica legítima.

Amos prophesies, firstly, concerning the judgement upon God’s people. Remember when we talk about Israel, we are referring to the spiritual Israel, the church of God

If you thought our present day preaching was abrasive to the ear, spare a thought for God’s people during the time of the prophets; spare a thought for the prophet himself, like Amos who was deployed by the Lord to carry a Word of rebuke and chastisement to the people of God.

It is no wonder that God would ask Isaiah the question: “And who will go for Us?”

It would seem that there were not many who would speak on His behalf. Amos had to risk personal injury as well as being discredited in his ministry to release these words concerning the idolatrous altar at Bethel. This was during the timeline of Jeroboam 2 and Uzziah, two of the most powerful kings of the Northern and Southern kingdoms who are notorious for economic exploitation and legal injustice. Jeroboam 2 perpetuated the idolatrous culture that was instituted by Jeroboam 1; he added pagan elements to the existing golden calf worship. The altars at Bethel and Gilgal were steeped in idolatry with no remembrance of the one true God. Who would desire an assignment like this in this present day? Who would go to represent the voice of God in this present day culture that is contaminated with the leaven of this world?

Here is the content of the message given to Amos :

Amos 9:1 I saw the Lord standing by the altar, and He said: “Strike the doorposts, that the thresholds may shake, And break them on the heads of them all. I will slay the last of them with the sword. He who flees from them shall not get away, And he who escapes from them shall not be delivered. 2 “Though they dig into hell, From there My hand shall take them; Though they climb up to heaven, From there I will bring them down; 3 And though they hide themselves on top of Carmel, From there I will search and take them; Though they hide from My sight at the bottom of the sea, From there I will command the serpent, and it shall bite them; 4 Though they go into captivity before their enemies, From there I will command the sword, And it shall slay them. I will set My eyes on them for harm and not for good”

God is simply saying to His people, including the illegal priests …. There is no place in heaven, earth or under the earth in the oceans where you can hide from Me.

Take the very same doorposts and strike them on their heads. None shall get away! The Lord has set His eyes upon you. The imagery here is one where people are running away in fear and terror, afraid of the impending judgement of the Lord. God has positioned Himself as the righteous Judge at the altar of idolatry in Bethel. No one can bypass Him or avoid Him

“Strike the doorposts, that the thresholds may shake,And break them on the heads of them

The doorposts are a reference to those who represent Christ, the Door of the sheepfold. It is a reference to the leadership of the altars set up by Jeroboam in Bethel and Gilgal. The words given to the prophet clearly reveals and represents the exact mood, frustration and dissatisfaction of God concerning the conduct of His people.

God’s expectation of His people is that they would become a kingdom of priests and a holy nation, devoting themselves to the service and worship of the one true God. He is hugely disappointed with the spiritual condition of His people.

God’s evaluation and assessment.

Amos 9:7 “Are you not like the people of Ethiopia to Me, O children of Israel?” says the LORD. “Did I not bring up Israel from the land of Egypt, The Philistines from Caphtor, And the Syrians from Kir?

The Ethiopians or the Cushites that the scriptures are referring to are a wild and savage people, descendants of Ham, devoid of any civilisation, steeped in idolatry and pagan worship. The Lord, standing at the altar, observed that the behavior and conduct of His people was not dissimilar to that of the barbaric Cushites. God’s people are relying copiously on their genealogy; that their roots are in Abraham, Isaac and Jacob. They feel entitled, emboldened and empowered because they are of the seed of father Abraham; their pride has its roots in their pedigree. Identity is meaningless if these people do not demonstrate the culture of Abraham. Abraham was a friend of God. He trusted God completely. Abraham had an enduring relationship with the one true God who called him out of the idolatrous culture of his family. Jesus is in agreement with this position.

John 8:39 They answered and said to Him, “Abraham is our father.” Jesus said to them, “If you were Abraham’s children, you would do the works of Abraham. 40 But now you seek to kill Me, a Man who has told you the truth which I heard from God. Abraham did not do this.

Yet even in the face of this harsh rebuke, we encounter the enduring mercies of God towards the remnant who have been faithful to Him. God will not slay the righteous with the wicked. For the eyes of the LORD are on the righteous, And His ears are open to their prayers; But the face of the LORD is against those who do evil. From this apostate culture , there will emerge a remnant, a little flock. In the backdrop of this imagery of idolatry, devastation and ruin, the Lord would release His gracious promises through His prophet Amos.

Amos 9:11 “On that day I will raise up the tabernacle of David, which has fallen down, And repair its damages; I will raise up its ruins, And rebuild it as in the days of old; 12 That they may possess the remnant of Edom, And all the Gentiles who are called by My name,” Says the LORD who does this thing.

The Lord assumes divine responsibility to restore and recover His remnant. The remnant shall gather as a Davidic company. The Lord will attend to all the damages that have been caused. He will raise the ruins. God will rebuild it as in the days of old, restoring the integrity of the Tabernacle. It is through the lineage of David, a a man after God’s own heart, that Christ would enter this earth. God will not allow the destruction of the very conduit or womb through which the Messiah would emerge. As His representatives, we must avail ourselves to be used as His proxies in this process, reflecting the integrity of the Tabernacle in our service to the Lord.

TRADUÇÃO PORTUGUESA

COMO OS CUCHITAS. (Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

Amós profetiza, em primeiro lugar, sobre o julgamento do povo de Deus. Lembre-se que quando falamos sobre Israel, estamos nos referindo ao Israel espiritual, a igreja de Deus

Se você pensava que nossa pregação atual era abrasiva para os ouvidos, pense no povo de Deus durante o tempo dos profetas; poupe um pensamento para o próprio profeta, como Amós, que foi implantado pelo Senhor para levar uma Palavra de repreensão e castigo ao povo de Deus.

Não é de admirar que Deus fizesse a Isaías a pergunta: “E quem irá por nós?”

Parece que não havia muitos que falariam em Seu nome. Amós teve que arriscar ferimentos pessoais, bem como ser desacreditado em seu ministério, para liberar essas palavras a respeito do altar idólatra em Betel. Isso foi durante a linha do tempo de Jeroboão 2 e Uzias, dois dos reis mais poderosos dos reinos do Norte e do Sul, notórios pela exploração econômica e injustiça legal. Jeroboão 2 perpetuou a cultura idólatra instituída por Jeroboão 1; ele acrescentou elementos pagãos à adoração do bezerro de ouro existente. Os altares de Betel e Gilgal estavam imersos na idolatria, sem nenhuma lembrança do único Deus verdadeiro. Quem desejaria uma tarefa como esta nos dias de hoje? Quem iria representar a voz de Deus na cultura atual que está contaminada com o fermento deste mundo?

Aqui está o conteúdo da mensagem dada a Amós:

Amós 9:1-4 Vi o Senhor junto ao altar, e ele disse: “Bata no topo das colunas para que tremam os umbrais. Faça que elas caiam sobre todos os presentes; e os que sobrarem matarei à espada. Ninguém fugirá, ninguém escapará. Ainda que escavem até às profundezas, dali a minha mão irá tirá-los. Se subirem até os céus, de lá os farei descer. Mesmo que se escondam no topo do Carmelo, lá os caçarei e os prenderei. Ainda que se escondam de mim no fundo do mar, ali ordenarei à serpente que os morda. Mesmo que sejam levados ao exílio por seus inimigos, ali ordenarei que a espada os mate. Vou vigiá-los para lhes fazer o mal e não o bem”.

Deus está simplesmente dizendo ao Seu povo, incluindo os sacerdotes ilegais…. Não há nenhum lugar no céu, terra ou sob a terra nos oceanos onde você possa se esconder de mim.

Pegue os mesmos batentes das portas e bata-os nas cabeças. Ninguém vai fugir! O Senhor colocou Seus olhos em você. A imagem aqui é aquela em que as pessoas estão fugindo de medo e terror, com medo do julgamento iminente do Senhor. Deus se posicionou como o juiz justo no altar da idolatria em Betel. Ninguém pode contorná-lo ou evitá-lo

“Bata no topo das colunas para que tremam os umbrais. Faça que elas caiam sobre todos os presentes;

Os batentes das portas são uma referência para aqueles que representam Cristo, a Porta do redil. É uma referência à liderança dos altares erguidos por Jeroboão em Betel e Gilgal. As palavras dadas ao profeta revelam e representam claramente o humor exato, a frustração e a insatisfação de Deus com relação à conduta de Seu povo.

A expectativa de Deus de Seu povo é que eles se tornassem um reino de sacerdotes e uma nação santa, se dedicando ao serviço e adoração do único Deus verdadeiro. Ele está extremamente desapontado com a condição espiritual de Seu povo.

Avaliação e taxação de Deus.

Amós 9: 7 “Vocês, israelitas, não são para mim melhores do que os etíopes”, declara o SENHOR. “Eu tirei Israel do Egito, os filisteus de Caftor e os arameus de Quir.

Os etíopes ou cuchitas aos quais as escrituras se referem são um povo selvagem e feroz, descendentes de Cam, desprovido de qualquer civilização, mergulhado na idolatria e na adoração pagã. O Senhor, de pé no altar, observou que o comportamento e a conduta de Seu povo não eram diferentes dos bárbaros cusitas. O povo de Deus está confiando copiosamente em sua genealogia; que suas raízes estão em Abraão, Isaque e Jacó. Eles se sentem no direito, encorajados e capacitados porque são da semente do pai Abraão; seu orgulho tem raízes em seu pedigree. A identidade não tem sentido se essas pessoas não demonstram a cultura de Abraão. Abraão era um amigo de Deus. Ele confiou em Deus completamente. Abraão teve um relacionamento duradouro com o único Deus verdadeiro que o chamou para sair da cultura idólatra de sua família. Jesus está de acordo com esta posição.

João 8:39-40 Eles responderam e disseram-lhe: “Nosso pai é Abraão”. Jesus disse a eles: “Se vocês fossem filhos de Abraão, vocês fariam as obras de Abraão. Mas agora procuras matar-me, homem que vos disse a verdade que eu ouvi de Deus. Abraão não fez isso.

No entanto, mesmo em face dessa repreensão severa, encontramos a misericórdia duradoura de Deus para com o remanescente que foi fiel a ele. Deus não matará o justo com o ímpio. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos às suas orações; Mas a face do Senhor está contra os que praticam o mal. Desta cultura apóstata surgirá um remanescente, um pequeno rebanho. No pano de fundo dessa imagem de idolatria, devastação e ruína, o Senhor liberaria Suas graciosas promessas por meio de Seu profeta Amós.

Amós 9:11-12 “Naquele dia levantarei a tenda caída de Davi. Consertarei o que estiver quebrado, e restaurarei as suas ruínas. Eu a reerguerei, para que seja como era no passado, para que o meu povo conquiste o remanescente de Edom e todas as nações que me pertencem”, declara o SENHOR, que realizará essas coisas.

O Senhor assume a responsabilidade divina de restaurar e recuperar Seu remanescente. O remanescente se reunirá como um grupo davídico. O Senhor cuidará de todos os danos causados. Ele levantará as ruínas. Deus o reconstruirá como nos dias antigos, restaurando a integridade do Tabernáculo. É por meio da linhagem de Davi, um homem segundo o coração de Deus, que Cristo entrará nesta terra. Deus não permitirá a destruição do próprio conduto ou útero através do qual o Messias emergirá. Como Seus representantes, devemos nos valer para ser usados como Seus procuradores neste processo, refletindo a integridade do Tabernáculo em nosso serviço ao Senhor.

DIRECT INSTRUCTION

We will examine some of the Apostle Paul’s instructions to the church in Thessalonica, especially concerning some of the challenges that they encountered there.

2 Thessalonians 3:4 And we have confidence in the Lord concerning you, both that you do and will do the things we command you.

Paul is commanding/instructing the believers in Thessalonica in his letter to follow the good examples that they have set before them whilst functioning in the midst of a disorderly, unfaithful, unreasonable and troublesome group of people who are hostile to their instructions. There are moments in ministry, where the man of God would need to issue direct commands to the people under his care. Like in the formation of Gideon’s army, those who are fearful and afraid must go home.

Paul declares positively that they are confident that the core group of believers among the Thessalonians will be obedient to their commands. Paul is clearly confronting the emergence of a counter culture within the group that he calls “unreasonable” and “disorderly”. This leads us to believe that at some stage Paul or the others must have tried to reason with them.

2 Thessalonians 3:11 For we hear that there are some who walk among you in a disorderly manner, not working at all, but are busybodies.

A busybody – The root word in Greek,(periergos), which is translated as one who is a worker of magic or one who is a witch. A meddler, or a marplot is someone who meddles in the affairs of others. The chief pleasure of the busybody is knowing everybody’s business. (Definition extracted from Complete Word Study Dictionary)

Paul commends the faith of the Thessalonian believers, speaking in glowing terms about them, almost boasting, but most especially speaking of the inescapable, eventual final judgement on all those who have positioned themselves against the Lord and His people.

2 Thessalonians 1:3 We are bound to thank God always for you, brethren, as it is fitting, because your faith grows exceedingly, and the love of every one of you all abounds toward each other, 4 so that we ourselves boast of you among the churches of God for your patience and faith in all your persecutions and tribulations that you endure, 5 which is manifest evidence of the righteous judgment of God, that you may be counted worthy of the kingdom of God, for which you also suffer; 6 since it is a righteous thing with God to repay with tribulation those who trouble you, 7 and to give you who are troubled rest with us when the Lord Jesus is revealed from heaven with His mighty angels, 8 in flaming fire taking vengeance on those who do not know God, and on those who do not obey the gospel of our Lord Jesus Christ. 9 These shall be punished with everlasting destruction from the presence of the Lord and from the glory of His power,

This church that was founded by Paul was clearly taught that the church is a family of God. Constant interference from those who have positioned themselves to destroy the father/son wineskin and the culture of family has opened the window for strife, contention and division.

What are the traditions that Paul has left with these believers ? We are all familiar with the four pillars of the culture of the early church.

Apostles’ doctrine, fellowship, in the breaking of bread, and prayers. Paul discloses a few details to the Thessalonians regarding the pillar of fellowship

2 Thessalonians 3:6 But we command you, brethren, in the name of our Lord Jesus Christ, that you withdraw from every brother who walks disorderly and not according to the tradition which he received from us.

Psalms 1:1 Blessed is the man who walks not in the counsel of the ungodly, Nor stands in the path of sinners, Nor sits in the seat of the scornful; 2 But his delight is in the law of the LORD, And in His law he meditates day and night.

The Apostle Paul has not made a humble request – this is a direct command from the Apostle who founded the church in Thessalonica. We need to strengthen ourselves mentally in order to separate ourselves from those who are disorderly and lawless in our midst. Paul recognizes that the church of Jesus Christ will be impeded in it’s growth as long as we have those in our midst who are constantly defying direct instructions and commands issued by the spiritual father of the household of faith.

Disciples of the Lord are not surprised by the presence of manifestations of evil in their habitat. Jesus said this :

Matthew 10: 16 “Behold, I send you out as sheep in the midst of wolves. Therefore be wise as serpents and harmless as doves.

Disciples of the Lord have been told about the dangers concerning their assignment. Don’t be surprised at the sight and sound of wolves howling in your back yard or even entering through an open back door.

Paul said this to the Philippians in ….. Philippians 2:13 for it is God who works in you both to will and to do for His good pleasure. 14 Do all things without complaining and disputing, 15 that you may become blameless and harmless, children of God without fault in the midst of a crooked and perverse generation, among whom you shine as lights in the world, 16 holding fast the word of life, so that I may rejoice in the day of Christ that I have not run in vain or labored in vain.

Once again, disciples are informed about the environment in which they will function….. the midst of a crooked and perverse generation, kin it’s very heart. It is in this place where we are called to shine as lights in the world – in a place of deep darkness. Do not battle with “flesh and blood”. We must be perceived to be “harmless”.

THE APOSTLES SET AN EXAMPLE OF BEING ORDERLY

2 Thessalonians 3:7 For you yourselves know how you ought to follow us, for we were not disorderly among you; 8 nor did we eat anyone’s bread free of charge, but worked with labor and toil night and day, that we might not be a burden to any of you, 9 not because we do not have authority, but to make ourselves an example of how you should follow us. 10 For even when we were with you, we commanded you this: If anyone will not work, neither shall he eat. 11 For we hear that there are some who walk among you in a disorderly manner, not working at all, but are busybodies. 12 Now those who are such we command and exhort through our Lord Jesus Christ that they work in quietness and eat their own bread.

2 Thessalonians 3: 13 But as for you, brethren, do not grow weary in doing good.

This remains the greatest challenge that faces those who represent the Lord; it has been a challenge tome anyway – not to give up doing good because of those among us who continue to walk in a disorderly manner. Disorderly, divisive and lawless individuals impart a spirit of weariness to the household of faith. This demands that our defensive actions have to defy all sense of logic and reason. How do we retain our testimony in the face of relentless intimidation?

• Be faithful in the midst of unfaithful people ( Paul declares that although not all men have faith, the Lord is faithful)

• Be honest in the midst of dishonest people

• Be gentle in the midst of brutal people

• Be grateful in the midst of ungrateful people

• Respect the anointed in the midst of mockers, scorners and slanderers of the anointed.

Do not grow weary in doing good. May God help us.

INSTRUÇÃO DIRETA

(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

Examinaremos algumas das instruções do apóstolo Paulo para a igreja em Tessalônica, especialmente no que diz respeito a alguns dos desafios que eles encontraram lá.

2 Tessalonicenses 3:4 4 E temos confiança no Senhor a respeito de vocês, tanto que vocês fazem como farão as coisas que nós lhes ordenamos.

Paulo está comandando / instruindo os cristãos em Tessalônica em sua carta a seguirem os bons exemplos que deram a eles enquanto atuavam no meio de um grupo desordenado, infiel, irracional e problemático de pessoas que são hostis às suas instruções. Há momentos no ministério em que o homem de Deus precisaria dar ordens diretas às pessoas sob seus cuidados. Como na formação do exército de Gideão, aqueles que estão temerosos e com medo devem voltar para casa.

Paulo declara positivamente que eles estão confiantes de que o grupo principal de crentes entre os tessalonicenses será obediente aos seus mandamentos. Paul está claramente confrontando o surgimento de uma contracultura dentro do grupo que ele chama de “irracional” e “desordenada”. Isso nos leva a acreditar que em algum estágio Paulo ou os outros devem ter tentado argumentar com eles.

2 Tessalonicenses 3:11 11 Porque ouvimos que alguns há que andam entre vós desordenadamente, nem trabalham, mas são intrometidos.

Um intrometido – A palavra raiz em grego, (periergos), que é traduzida como alguém que faz magia ou que é um feiticeiro. Um intrometido ou marplot é alguém que se intromete nos assuntos dos outros. O principal prazer do intrometido é saber da vida de todos. (Definição extraída do Dicionário Completo de Estudo de Palavras).

Paulo elogia a fé dos crentes de Tessalônica, falando em termos entusiasmados sobre eles, quase se vangloriando, mas mais especialmente falando do inevitável julgamento final sobre todos aqueles que se posicionaram contra o Senhor e Seu povo.

2 Tessalonicenses 1:3-9 3 Irmãos, somos obrigados a agradecer sempre a Deus por vós, como convém, porque a vossa fé aumenta muito, e o amor de cada um de vós é abundante uns pelos outros, 4 para que nós mesmos nos gloriamos entre as igrejas de Deus, por sua paciência e fé em todas as perseguições e tribulações que suportar, 5 o que é evidência manifesta do justo julgamento de Deus, para que você seja considerado digno do reino de Deus, pelo qual também sofre; 6 visto que é justo para Deus retribuir com tribulação aqueles que vos perturbam, 7 e dar-vos, que estais atribulados, descanso conosco, quando o Senhor Jesus é revelado do céu com os seus anjos poderosos, 8 em chamas de fogo tomando vingança sobre aqueles que não conhecem a Deus, e sobre aqueles que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. 9 Estes serão punidos com destruição eterna, da presença do Senhor e da glória do Seu poder,

Esta igreja que foi fundada por Paulo foi claramente ensinada que a igreja é uma família de Deus. A interferência constante daqueles que se posicionaram para destruir o odre pai / filho e a cultura da família abriu a janela para contendas, disputas e divisões.

Quais são as tradições que Paulo deixou com esses crentes? Todos nós estamos familiarizados com os quatro pilares da cultura da igreja primitiva.

A doutrina dos apóstolos, comunhão, no partir do pão e orações. Paulo revela alguns detalhes aos tessalonicenses a respeito da coluna da comunhão.

2 Tessalonicenses 3:6 6 Mas nós vos ordenamos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vocês se afastem de todo irmão que anda desordenadamente e não segundo a tradição que ele recebeu de nós.

Salmos 1:1-2 1 Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; 2 Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite.

O apóstolo Paulo não fez um pedido humilde – esta é uma ordem direta do apóstolo que fundou a igreja em Tessalônica. Precisamos nos fortalecer mentalmente para nos separar daqueles que estão desordenados e sem lei em nosso meio. Paulo reconhece que a igreja de Jesus Cristo terá seu crescimento impedido enquanto tivermos aqueles em nosso meio que estão constantemente desafiando as instruções e comandos diretos emitidos pelo pai espiritual da família da fé.

Os discípulos do Senhor não se surpreendem com a presença de manifestações do mal em seu habitat. Jesus disse isso:

Mateus 10:16 16 “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos. Portanto, sejam sábios como as serpentes e inofensivos como as pombas.

Os discípulos do Senhor foram informados sobre os perigos de sua designação. Não se surpreenda com a visão e o som de lobos uivando em seu quintal ou mesmo entrando por uma porta traseira aberta.

Paulo disse isso aos filipenses em … Filipenses 2:13-16 13 porque é Deus quem opera em vocês tanto o querer como o fazer para a Sua boa vontade. 14 Fazei todas as coisas sem reclamar e contestar, 15 para que sejais irrepreensíveis e inocentes, filhos de Deus sem culpa no meio de uma geração corrupta e perversa, entre a qual brilhas como luzes no mundo, 16 retendo a palavra da vida , para que eu possa me alegrar no dia de Cristo por não ter corrido em vão nem trabalhado em vão.

Mais uma vez, os discípulos são informados sobre o ambiente em que funcionarão … no meio de uma geração distorcida e perversa, parente, é o coração. É neste lugar que somos chamados a brilhar como luzes no mundo – em um lugar de escuridão profunda. Não lute com “carne e sangue”. Devemos ser considerados “inofensivos”.

OS APÓSTOLOS SÃO UM EXEMPLO DE SER ORDENADO

2 Tessalonicenses 3:7-12 7 Pois vós mesmos sabeis como nos deves seguir, porque não éramos desordenados entre vós; 8 nem comemos de graça o pão de ninguém, mas trabalhamos com trabalho e fadiga noite e dia, para não ser um peso para nenhum de vós, 9 não porque não temos autoridade, mas para nos tornarmos exemplo de você deve nos seguir. 10 Pois ainda quando estávamos convosco, vos mandávamos isto: se alguém não trabalhar, também não comerá. 11 Pois sabemos que alguns há que andam entre vós desordenadamente, sem trabalhar, mas são intrometidos. 12 Aos tais, ordenamos e exortamos, por nosso Senhor Jesus Cristo, que trabalhem sossegadamente e comam seu próprio pão.

2 Tessalonicenses 3: 13Mas, quanto a vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.

Este continua sendo o maior desafio enfrentado por aqueles que representam o Senhor; De qualquer forma, tem sido um desafio para mim – não desistir de fazer o bem por causa daqueles entre nós que continuam a andar desordenadamente. Indivíduos desordenados, divisivos e sem lei transmitem um espírito de cansaço à família da fé. Isso exige que nossas ações defensivas desafiem todo senso de lógica e razão. Como conservamos nosso testemunho em face da intimidação implacável?

• Seja fiel no meio de pessoas infiéis (Paulo declara que embora nem todos os homens tenham fé, o Senhor é fiel)

• Seja honesto no meio de pessoas desonestas

• Seja gentil no meio de pessoas brutais

• Seja grato no meio de pessoas ingratas

• Respeite o ungido no meio de zombadores e caluniadores dos ungidos.

Não se canse de fazer o bem. Que Deus nos ajude.

Message preached by Pastor Alistair Pillay

A month ago Apostle Roy taught us about the Divine Intent of God. God created us in his image and likeness, so that through us God can be revealed and make His appeal on earth.

Everything that is in God the heavenly father can be seen through us His creation. I would like to appeal to you to trust God’s will and intent for our lives.

God commanded Moses to gather the people on Mount Sinai where He would dictate to Moses His commandments and laws that are necessary to build His ways into His people.

Jesus makes this statement regarding the barrier of entry into the Kingdom of heaven.

Matthew 7:21 “Not everyone who says to Me, Lord, Lord,’ shall enter the kingdom of heaven, but he who does the will of My Father in heaven.

During these difficult and perilous times that we are facing it is important for us to be consistent in our trust in God’s will for our lives. This is our safety net, especially during these challenging times. God had a definite desire for humanity when He created us.

The importance for the believer to perform His will is enshrined in the Lord’s Prayer.

Matthew 6:9 In this manner, therefore, pray: Our Father in heaven, Hallowed be Your name. 10 Your kingdom come. Your will be done on earth as it is in heaven.

We as believers cannot function from outside His will. His will and purpose for our lives is what defines us. His will establishes us.

Exodus 19:4 You have seen what i did to the Egyptians and how I bore you on eagles wings and brought you to myself. Now therefore if you will indeed obey my voice and keep my covenant, then you shall be a special treasure to me above all people, for all the earth is Mine.

If we are Faithful and remain in God’s will and Intent for our lives God says we will be a special treasure to Him. God would prioritize His relationship with His covenantal people. Often in our journey we get distracted from pursuing God’s will. Most of us can recall the number of times God had to rescue and bring us to safety. Even in our most challenging times it would be wise to remain in God’s will.

Whether we find ourselves in captivity or in the wilderness our place of safety is to remain in God’s will. He promised never to leave nor forsake us. We cannot predict the future and whats going to happen in months to come but we can trust in God’s will and purpose for our lives. The scriptures declare that His word will never return void but it will accomplish everything that it has purposed.

The heart is deceptive. An ascended position demands cleanliness of hands and purity of heart.

Psalms 24:1-4
1 The earth is the LORD’s, and all its fullness,
The world and those who dwell therein.
2 For He has founded it upon the seas,
And established it upon the waters.
3 Who may ascend into the hill of the LORD?
Or who may stand in His holy place?
4 He who has clean hands and a pure heart,
Who has not lifted up his soul to an idol,
Nor sworn deceitfully.

The condition of our hearts may prevent us from remaining in God’s will. It is the seat of our emotions. Our emotions can lead us away from God’s will and purpose for us. The scriptures declare that His ways are higher than our ways. Our emotions can overwhelm us. We get so caught up in satisfying our own personal desires and will; we forget that we serve for His good pleasure.

2 Samuel 18 speaks about Ahimaaz who was determined to carry tragic news to David. He was more competent in running than most of the young men, even the seasoned Cushites, but it was not intended for him to run with this particular message. He was passionate but he did not have the temperament to relay the message that David’s son had died. Ahimaaz had the reputation of being a good man who brings good news.

2 Samuel 18:27 So the watchman said, “I think the running of the first is like the running of Ahimaaz the son of Zadok.” And the king said, “He is a good man, and comes with good news.”

Our emotions must be restrained to deliver classified military reports from the field of battle.

Jeremiah declares that the heart is deceitful above all things and desperately wicked. Deceitful means to deceive, to give false impressions, to be treacherous and crafty. Our heart can give us a false impression of God’s will. We need to pray for divine discernment, so we can understand what is the will of God is for our lives. Daniel exercised great restraint over his emotions. Although he was presented with the finest food and drink in Babylon he resolved in his heart not to defile himself. His heart was not easily persuaded. He remained true to his God. The food and drink of Babylon represent the counsel, philosophy and the literature of the Chaldean system. God is the chief architect of our lives. We cannot change God’s plans for our lives. Our lives and purpose have been mapped out and predestined by God. In a natural building an architect may draw plans; if we are unhappy with them we can change things in the design to meet our preference. God’s designs for our lives are predetermined. We need to submit to God’s divine plan for our lives.

For us to understand the will of God for us we need to have an active relationship with God.

Revelation 3:20 Behold I stand at the door and knock. If anyone hears my voice, and opens the door. I will come in to him and eat with him and he with me.

The ascended Christ respected His church. Where Jesus, the Son of Man walked into the synagogue and declared it to be a habitation of thieves – the Ascended Christ knew how to stand at the door and knock and wait to be invited into His house. Christ is knocking at the door of our hearts (the spiritual Temple). In the natural if we want to understand the intent of our fathers, we go and talk to them and they speak to us their desires. Similarly if we want to discern the will of our Heavenly Father, we need to maintain constant communication with Him so that His will may be revealed to us. Let us engage the Holy Spirit and develop a vibrant relationship with Him. God is a Triune God. We must recognise the importance and value of each person of the Holy Trinity. The scriptures declare that the Spirit, who is another Helper, will lead us into all truth. We must allow the Holy Spirit to reveal to us God’s will for our lives.

Psalms 119:59 I thought about my ways, And turned my feet to Your testimonies. 60 I made haste, and did not delay to keep Your commandments.

We are living in challenging times. It is important for us not to delay but to be quick to discern the will of God for our lives. Therein lies our peace and rest.

TRADUÇÃO PORTUGUESA

(Traduzido por Rafael Nogueira Rezende)

CONFIANDO NA VONTADE DE DEUS

Mensagem pregada pelo Pastor Alistair Pillay

Um mês atrás, o apóstolo Roy nos ensinou sobre a intenção divina de Deus. Deus nos criou à sua imagem e semelhança, para que através de nós Deus se revele e faça o Seu apelo na terra.

Tudo o que está em Deus, o pai celestial, pode ser visto através de nós, Sua criação. Gostaria de apelar a você para que confie na vontade e intenção de Deus para nossas vidas.

Deus ordenou a Moisés que reunisse o povo no Monte Sinai, onde ditaria a Moisés Seus mandamentos e leis que são necessários para construir Seus caminhos dentro de Seu povo.

Jesus fez esta declaração a respeito da barreira de entrada no Reino dos céus.

Mateus 7:21 “Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, ‘entrará no reino dos céus, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus.

Durante estes tempos difíceis e perigosos que enfrentamos, é importante que sejamos consistentes em nossa confiança na vontade de Deus para nossas vidas. Esta é a nossa rede de segurança, especialmente durante estes tempos desafiadores. Deus tinha um desejo definido pela humanidade quando nos criou.

A importância para o cristão de realizar Sua vontade está consagrada na Oração do Senhor.

Mateus 6:9-10 9 Portanto, ore desta maneira: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. 10 Venha o seu reino. Sua vontade seja feita na terra como no céu.

Nós, como cristãos, não podemos funcionar fora de Sua vontade. Sua vontade e propósito para nossas vidas é o que nos define. Sua vontade nos estabelece.

Êxodo 19:4 Você viu o que eu fiz aos egípcios e como eu te carreguei nas asas de águia e te trouxe para mim. Agora, portanto, se você realmente obedecer a minha voz e guardar meu convênio, então você será um tesouro especial para mim acima de todas as pessoas, pois toda a terra é Minha.

Se formos fiéis e permanecermos na vontade e intenção de Deus para nossas vidas, Deus diz que seremos um tesouro especial para ele. Deus priorizaria Seu relacionamento com Seu povo da aliança. Frequentemente, em nossa jornada, nos distraímos de buscar a vontade de Deus. A maioria de nós pode se lembrar do número de vezes que Deus teve que nos resgatar e nos levar à segurança. Mesmo em nossos momentos mais desafiadores, seria sábio permanecer na vontade de Deus.

Quer estejamos em cativeiro ou no deserto, nosso lugar de segurança é permanecer na vontade de Deus. Ele prometeu nunca nos deixar nem nos abandonar. Não podemos prever o futuro e o que vai acontecer nos próximos meses, mas podemos confiar na vontade e no propósito de Deus para nossas vidas. As escrituras declaram que Sua palavra nunca voltará vazia, mas cumprirá tudo o que se propôs.

O coração é enganoso. Uma posição ascendida exige limpeza de mãos e pureza de coração.

Salmos 24:1 A terra é do Senhor, e toda a sua plenitude, O mundo e aqueles que nele habitam. 2 Pois ele o fundou sobre os mares, E estabeleceu-o sobre as águas. 3 Quem pode subir ao monte do Senhor? Ou quem pode permanecer em Seu lugar santo? 4 Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, Quem não elevou sua alma a um ídolo, Nem jurou enganosamente.

A condição de nossos corações pode nos impedir de permanecer na vontade de Deus. É a sede de nossas emoções. Nossas emoções podem nos afastar da vontade e do propósito de Deus para nós. As escrituras declaram que Seus caminhos são mais elevados do que os nossos. Nossas emoções podem nos oprimir. Ficamos tão envolvidos em satisfazer nossos próprios desejos e vontades pessoais; esquecemos que servimos para Seu bom prazer.

2 Samuel 18 fala sobre Aimaás, que estava determinado a levar notícias trágicas a Davi. Ele era mais competente na corrida do que a maioria dos rapazes, mesmo os experientes cusitas, mas não era para ele correr com esta mensagem em particular. Ele era apaixonado, mas não tinha temperamento para transmitir a mensagem de que o filho de Davi havia morrido. Ahimaaz tinha a reputação de ser um bom homem que traz boas notícias.

2 Samuel 18:27 Então o vigia disse: “Acho que a corrida do primeiro é como a corrida de Aimaás, filho de Zadoque.” E o rei disse: “Ele é um bom homem e vem com boas novas.”

Nossas emoções devem ser contidas para entregar relatórios militares confidenciais do campo de batalha.

Jeremias declara que o coração é enganoso acima de todas as coisas e desesperadamente perverso. Enganoso significa enganar, dar falsas impressões, ser traiçoeiro e astuto. Nosso coração pode nos dar uma falsa impressão da vontade de Deus. Precisamos orar por discernimento divino, para que possamos entender qual é a vontade de Deus para nossas vidas. Daniel exerceu grande controle sobre suas emoções. Embora tivesse recebido a melhor comida e bebida da Babilônia, ele decidiu em seu coração não se contaminar. Seu coração não foi facilmente persuadido. Ele permaneceu fiel ao seu Deus. A comida e a bebida da Babilônia representam o conselho, a filosofia e a literatura do sistema caldeu. Deus é o principal arquiteto de nossas vidas. Não podemos mudar os planos de Deus para nossas vidas. Nossa vida e propósito foram mapeados e predestinados por Deus. Em um edifício natural, um arquiteto pode desenhar plantas; se não estivermos satisfeitos com eles, podemos mudar as coisas no design para atender às nossas preferências. Os desígnios de Deus para nossas vidas são predeterminados. Precisamos nos submeter ao plano divino de Deus para nossas vidas.

Para entendermos a vontade de Deus para nós, precisamos ter um relacionamento ativo com Deus.

Apocalipse 3:20 Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir minha voz, e abrir a porta. Entrarei em sua casa e cearei com ele e ele comigo.

O Cristo ascendido respeitou Sua igreja. Onde Jesus, o Filho do Homem, entrou na sinagoga e declarou que era uma habitação de ladrões – o Cristo Ascensionado sabia como ficar na porta e bater e esperar ser convidado a entrar em Sua casa. Cristo está batendo à porta de nossos corações (o templo espiritual). No natural, se queremos entender a intenção de nossos pais, vamos falar com eles e eles nos falam de seus desejos. Da mesma forma, se quisermos discernir a vontade de nosso Pai Celestial, precisamos manter uma comunicação constante com Ele para que Sua vontade nos seja revelada. Vamos envolver o Espírito Santo e desenvolver um relacionamento vibrante com ele. Deus é um Deus Triúno. Devemos reconhecer a importância e o valor de cada pessoa da Santíssima Trindade. As escrituras declaram que o Espírito, que é outro Facilitador, nos conduzirá a toda a verdade. Devemos permitir que o Espírito Santo nos revele a vontade de Deus para nossas vidas.

Salmos 119:59-60 59 Pensei nos meus caminhos, e voltei os meus pés para os teus testemunhos. 60 Apressei-me e não demorei em guardar os teus mandamentos.

Vivemos tempos desafiadores. É importante que não demoremos, mas que sejamos rápidos em discernir a vontade de Deus para nossas vidas. É aí que reside nossa paz e descanso.